quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Tailândes é novo campeão mosca WBA e Cotto prepara retorno


Denakaosen - AFP


O desafiante tailandês Denakaosen Kaowichit (45-1-1, 19 KO’s) conquistou o cinturão dos moscas da World Boxing Association ao bater o então campeão Takafumi Sakata (33-5-2, 15 KO’s). O niponico tentou fazer sua quinta defesa em Hiroshima, nesta quarta-feira, Ano-Novo japonês.


Sakata (azul) x Denakaosen - AP


A vitória veio no 2º assalto com uma violenta direita na cabeça mandando para lona Sakata aos 2 minutos e 55 segundos este até tentou mostrar reação segurando o pé do oponente, mas não conseguiu se recuperar antes da contagem do árbitro. No giro anterior Kaowichit mostrou o poder de seus ataques ao partir pra cima do rival. A luta foi um tira-teima já que em sua primeira batalha de 12 rounds em novembro terminou em empate.

Galeria de Fotos

Miguel Cotto se prepara para disputar cinturão vago da WBO


Cotto treinando
Promociones Miguel Cotto

Miguel Cotto (32-1, 26 KO’s) tem treinado por três semanas e esta se preparando para enfrentar Michael Jennings (34-1, 16 KO’s) em disputa pelo cinturão da World Boxing Organization pela categoria dos meio-médios (até 66,7 kg) no dia 21 de fevereiro em um pay-per-view da Top Rank.

“Eu sentia falta da acadêmia e estava preparado para voltar e começar meus treinos”, revelou Cotto sobre seu retorno. “Eu estou ansioso por um ótimo período de aprimoramento e por uma grande luta. Estou confiante que retornarei a Porto Rico em fevereiro como campeão mundial”, completa o lutador direto da cidade de Caguas em seu país.


Cotto (branco) x Margarito - 26/07/2008
Chris Farina - Top Rank

Cotto retorna de uma derrota e perda de título para Antonio Margarito, luta na qual era apontado como favorito, porém acabou com o córner do porto-riquenho atirando a toalha no 11º assalto, o combate previsto para 12 etapas deu o cinturão dos meio-médios da WBA para Margarito, além de ter sido uma das melhores lutas no ano.

O pugilista já deteve também a coroa mundial dos super-leves da WBO conquistada ao superar o brasileiro Kelson Pinto em 2004 por nocaute técnico. O título no momento estava vago.

Fonte: FightNews.com

Miguel Cotto x Antonio Margarito 26/07/2008 - Melhores Momentos

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Boxeador brasiliense morre em acidente de estrada

Djalma Ricardo Oliveira, 27, faleceu num acidente automobilístico hoje quando viajava de Brasília para o Rio de Janeiro para passar o réveillon conforme a Presidente da Federação de Boxe do Distrito Federal, Patrícia Justino da Silva.

Djalma foi campeão do Torneio Centro Oeste em 2006 e no mesmo ano ficou em 3º lugar no Campeonato Brasileiro na categoria Meio Médio. Em 2008 veio a profissionalização e em sua estréia derrotou Agnaldo Barbosa, atleta do Mato Grosso do Sul competindo pela categoria dos meio-pesados.

O enterro será amanhã, dia 31, às 11 horas, no Cemitério Vila Esperança em Brasília.

FONTE: Confederação Brasileira de Boxe

Camacho Jr é suspenso pela Comissão Porto-Riquenha de Boxe

Filho de lendário pugilista pode perder licença para lutar.


Camacho Jr. e Macho Camacho - Matthew Staver

A Comissão de Boxe de Porto Rico suspendeu indefinidamente o atleta Hector Camacho Jr. A suspensão é em razão do cancelamento do combate entre Camacho Jr. E Yory Boy Campas em novembro na cidade mexicana de Tijuana. O filho do lendário Macho Camacho nega ter assinado contrato para essa apresentação.

Camacho Jr. poderá ter de pagar uma multa além de encarar a possibilidade de não poder lutar no México, E.UA e Porto Rico. Em novembro conforme o BoxRec Yory Boy Campas perdeu para Saul Roman em Tijuana e Camacho Jr. superou Dave Saunder nos Estados Unidos.

Fonte: FightNews

WBA vai reavaliar combate entre Holyfield e Valuev valendo cinturão dos pesados

A World Boxing Association vai analisar o resultado do combate tido como controverso pela mídia e público.


Holyfield (vermelho) avança contra Valuev - 20/12/2008

Em comunicado à imprensa a World Boxing Association (Associação Mundial de Boxe) afirma que vai analisar novamente o embate entre o campeão mundial dos peso-pesados Nikolay Valuev da Rússia e o desafiante dos E.U.A, Evander Holyfield. O encontro foi realizado no dia 20 deste mês, a previsão é de anunciar o novo resultado nas próximas semanas.

A defesa de Valuev disputada em doze rounds ocorreu em Zurique, Suíça na qual dois jurados deram vantagem ao europeu de 116-112 e 115-114, enquanto o terceiro viu um empate de 114-114. Em nota no site oficial a entidade justifica a medida, pois “sempre se preocupa e respeita a opinião dos fãs e da mídia”, para a tarefa definiu uma equipe de árbitros para rever a contenda e decidir quem é o real dono do cedro.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Evander Holyfield: um herói do passado



“Evander Holyfield, o último desses monstros sagrados de luvas e sapatilhas, voltou ao ringue no último fim de semana, em Zurique, para nocautear o que restava de meu interesse pelo esporte. Numa forma invejável para seus 46 anos, o americano enfrentou o russo Nikolay Valuev, 2,13m e 145 kg, um gigante de banhas e vocação atlética zero, atual campeão da Associação Mundial de Boxe”, o cronista Tutty Vasques analisou na terça-feira do dia 23 de dezembro o embate mais polêmico do ano no jornal O Estado de S.Paulo.

Antes, a luta foi tida como uma anomalia no mundo do esporte, o ex-rival George Foreman afirmou temer pela saúde de “Real Deal”, enquanto o lendário treinador Angelo Dundee alegou preocupação com a carreira do pugilista pelo mesmo motivo. A imprensa questionou os motivos de Holyfield para voltar, jornalistas viram na bolsa de US$ 750 mil uma maneira de pagar as dividas e as pensões de alguns dos seus 11 filhos. “O duelo é digno de um circo de horrores”, foi a definição dada pelo Uol em 19 de dezembro deste ano.

Na verdade o embate foi muito emocionante, não pela qualidade técnica, mas sim pela torcida por um verdadeiro herói do passado. Conhecendo a vida de Holyfield, ele pode ser visto como uma antitese de Mike Tyson, o canibal dos ringues. Se não estivesse envolvido, a maioria do público brasileiro não saberia quem é Nikolay Valuev e o evento não teria transmissão em rede aberta.

O choque da derrota foi grande, alguns me perguntaram se houve envolvimento da máfia russa e outros exclamaram sobre a possibilidade de revanche. Eu me pergunto se para a Associação Mundial de Boxe Holyfield seria lucrativo.

Após conquistar o cedro Holyfield poderia se retirar dos ringues com recorde tão buscado de campeão mais velho e também aliviar suas dividas, entretanto, para a os organizadores talvez a vitória de um idoso e obsoleto veterano sobre um jovem e poderoso campeão tiraria a credibilidade do último.

Há a possibilidade do reencontro desses dois e caso a performance de ambos seja idêntica a da noite do dia 20 e o resultado parecido, o boxe levará mais um golpe baixo. Holyfield tem seus dias contados nos ringues, pode ser que desista de enfrentar o russo em 2009.

E para Valuev? Logo verá mais uma vez seu nemesis. Será que ele agüenta mais um combate contra Ruslan Chagaev, o único que o derrotou e desmascarou suas habilidades atléticas questionadas por Tutty Vasques? E se passar pelo algoz um dia encontrará com um dos irmãos Klitschko. Em outro esporte Valuev seria formidável e ainda assim estaria em um ringue, porém enfrentando nomes como The Undertaker e The Great Khali nas arenas do coreografado telecatch. E assim 2008 se despede no boxe.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Grupo de Valuev rejeita protesto de Holyfield

Empresários do russo não gostaram das afirmações do pugilista e de seu técnico.


Valuev (esq.) e Holyfield - Sauerland Events

Team Sauerland, a empresa defensora dos interesses de Nikolay Valuev, vai reconsiderar a possível revanche entre o campeão dos pesados pela World Boxing Association e o desafiante Evander Holyfield, após as declarações do técnico do americano, Tommy Brooks. O treinador da lendário pugilista de 46 anos derrotado nas papeletas por 116-112, 115-114 e 114-114 falou ao Atlanta Journal Constitution: “Eu acho que foi só mais um nome no cartel do lutador do promotor do evento. Eu acho que ali alguém molhou a mão de alguém”.

Wilfried Sauerland ficou chocado quando descobriu sobre as declarações: “Eu posso entender que não esteja contente, pois afinal, seu lutador teve uma apresentação impressionante pela qual merece respeito, entretanto, eu não compreendo sua postura. Ela é ridícula, ultrajante e absolutamente inverossímil. Eu não esperava um comportamento tão anti-ético de sua parte”, lamenta o empresário, “oferecemos uma revanche a Holyfield logo após o fim do evento, mas agora teremos que reconsiderar”.

O diretor de gestão da Sauerland Chris Meyer admitiu que a contenda foi difícil de julgar. “Fui um combate muito parelho, os juizes concordaram em apenas 4 rounds, além disso a luta parecia outra completamente diferente na TV do que para quem estava na arena. A maioria dos especialistas próximos ao ringue viram Valuev vencendo. É engraçado ver como a mídia européia e estadunidense descordam do resultado”, explica o cartola.

Um grupo de cronistas de pugilismo altamente respeitados – assim como o presidente da WBA Gilberto Mendoza – viram Valuev na frente. Entre eles Phil Woolever - “Na minha marcação deu 115-113 Valuev” -, Ron Lewis do The Times e Gareth A. Davies do The Telegraph.

Fonte: Fightnews.com

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Holyfield entra com protesto formal após vitória suspeita de Valuev

Tetra-campeão dos pesados acionou a World Boxing Association


Valuev (esq.) x Holyfield - 20/12/2008

Os fãs vaiaram, os veículos de mídia criticaram, Evander Holyfield (42-10-2, 27 KO’s) e sua equipe não acreditaram no resultado e o veterano pugilista entrou na terça-feira com um recurso na World Boxing Association questionando a derrota por pontos valendo a coroa dos pesados para o gigante russo Nikolay Valuev (50-1, 34 KO’s) no último sábado, informa o jornal Atlanta Journal Constitution.

“Não sei porque os juízes fizeram aquilo, mas foi uma injustiça”, reclama o gladiador de 46 anos sobre a pontuação dada pelos jurados; um viu empate e 2 a vitória por pontos do europeu. O estadunidense foi campeão unificado dos cruzadores na década de 80 e seu currículo tem nomes como Muhammad Dwight Qawi, Mike Tyson, Pinklon Thomas, George Foreman e Larry Holmes.

Nos últimos anos tem se apresentado de maneira irregular e foi até proibido de boxear pela comissão de Nova York, em 8 combates mantém 5 derrotas, porém impressionou o mundo semana passada ao apresentar vigor físico, garra e inteligência em cima do tablado. “Estamos preenchendo um protesto que diz basicamente, ‘nós queremos reverter isso’. Só quero o que é meu. Eu não perdi. Venci”. O “Real Deal” (Cara Autêntico, em tradução livre) busca bater o recorde de “Big” George Foreman, campeão aos 45 anos ao bater Michael Moorer pelos cinturões da WBA e IBF no ano de 1994.



Valuev (esq.) x Chagaev - 14/04/2007

“Foi patético” definiu o técnico de Holyfield, Tommy Brooks sobre a contenda. O seu instruído foi medalhista de Bronze nos Jogos Olímpicos de 1984. Porém antes de enfrentar o lendário campeão Valuev encontrará novamente Ruslan Chagaev (24-0-1, 17 KO’s), ex-dono do cinturão e o único capaz de derrotá-lo até hoje. Em seu primeiro combate Chagaev tirou a coroa do gigante, porém entrou em recesso ao lesionar o calcanhar de Aquiles.

Não é sabido quanto tempo o protesto levará para ser julgado, enquanto isso, Chagaev encara no dia 7 de fevereiro Carl Davis Drumond (26-0, 20 KO’s), da Costa Rica. Ambos entrarão invictos no ringue.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Japonês mantém cinturão dos moscas WBC


Daisuke Naito - Divulgação

Peso pena consegue detém coroa após 4 defesas

Em Tóquio, Japão o local Daisuke Naito derrotou o compatriota Shingo Yamaguchi com um nocaute técnico no 11º round na terça-feira para manter sua coroa dos moscas da World Boxing Council.

Naito mandou Yamaguchi para a lona com um direto na cabeça no inicio da 11ª etapa e então finalizou a disputa com uma seqüência que obrigou o arbitro a encerrar a disputa.

O campeão avança seu cartel para 34-3-2 com 21 nocautes, enquanto o desafiante cai para 23-2-6 e 9 vitórias pela via rápida. Esta é a quarta defesa bem sucedida de Naito pelo cinturão obtido em julho do ano passado com uma vitória sobre Pongsaklek Wonjongkam (70-3-1, 37 KO’s) da Tailândia.

Fonte: ESPN

Galeria de Fotos Uol

domingo, 21 de dezembro de 2008

Evander perde batalha pelo cinturão da WBA

Lenda do boxe quase faz história novamente


Valuev x Holyfield (dir.) - EFE

Evander Holyfield (42-10-2, 27 KO’s) perdeu por decisão nos pontos para o russo Nikolay Valuev (50-1, 34 KO’s) a disputa do cinturão dos pesados da World Boxing Association que estava em poder do europeu, ontem em Zurique, Suíça. As papeletas marcaram 114-114, 116-112 e 115-114. O “Real Deal” entrou no ringue ovacionado, enquanto o rival recebeu muitas vaias.

Os árbitros viram uma vitória que o público não viu e impediram Holyfield de escrever uma das histórias mais bonitas no boxe. O veterano não desperdiçou movimentos e colocou os golpes certos nos momentos certos, por sua vez o campeão utilizava uma tática de vaca louca disparando golpes a esmo e partiu pra cima nos últimos rounds da contenda.

Holyfield fez a lição de casa ao assistir o taipe da única derrota do adversário sofrida nas mãos e inteligência do ex-campeão WBA Ruslan Chagaev e o circulou esperando o momento correto de penetrar a sua guarda o que mostrou quão inepto é o “campeão”.

O título continua com Valuev e futuramente deve enfrentar um dos irmãos Klitschko ou um de seus desafiantes obrigatórios buchas-de-canhão para preencher seu cartel assim como os árbitros fizeram ao adicionar um legendário nome ao seu currículo. No ápice “The Real Deal” faria do russo apenas mais um na lista de derrotados. O gigante Primo Carnera onde quer que esteja deve estar orgulhoso de seu herdeiro.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Pac-Man e Hitman podem colidir em Maio de 2009


Manny Pacquiao

O CEO da Golden Boy Promotions Richard Schaefer afirmou a Associated Press que o acordo para firmar a luta entre Manny Pacquiao e Ricky Hatton está próximo de ser acertado para 2 de Maio em Las Vegas com o peso acertado para 140 libras ou aproximadamente 63,5kgs.

Pacquiao (48-3-2, 36 KO’s) é o herói do povo filipino e vem de uma luta onde aposentou uma lenda, Oscar De La Hoya, atualmente Pac-Man está no ápice de sua carreira e tem como técnico Freddie Roach um dos melhores da atualidade que traçou a tática certa para derrotar o Golden Boy mesmo não sendo apontado como favorito. O britânico Ricky Hatton (45-1, 32 KO’s) se recuperou de sua única derrota na carreira com uma vitória sobre Paulie Malignaggi no mês passado e tem em seu córner Floyd Mayweather Sr., o pai de seu algoz.


Ricky Hatton

O resultado da luta pode tirar o invicto Floyd Mayweather (39-0, 25 KO’s) – ex-número 1 do ranking ‘pound-for-pound’ – da aposentadoria para dar a revanche a Hatton ou enfrentar o atual número 1 do esporte.


Floyd Mayweather - CNN

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Holyfield e Valuev na Band


Foto: Valuev e Holyfield - AFP

Emissora da capital paulista apresentará ao país todo combate dos pesados

Há muito tempo uma emissora de tv aberta não transmite um combate internacional de alto calibre em suas ondas, porém sábado às 23h30 o canal Band terá o embate entre Evander Holyfield e Nikolay Valuev pelo cinturão da World Boxing Association.

A Suiça é o palco de um dos combates com grandes diferenças entre seus protagonistas neste ano. Valuev tem 2,13m, pesa 145kg e 35 anos, enquanto o rival americano vem com 46 anos, 1,88m e 95kg.

"The Real Deal" como é conhecido Holyfield, já foi campeão unificado dos cruzadores, categoria na qual fez uma das melhores lutas de todos os tempos quando enfrentou Dwight Muhammad Qawi em 1986, além de ser tetra-campeão na divisão máxima do esporte. O pugilista é lembrado por ter sofrido a infame mordida na orelha de Mike Tyson. Quando questionado sobre a altura de Valuev responde: "A cabeça dele está exatamente onde deve estar para que eu a atinja".

"Quando você vem de origem pobre, todos estão sempre duvidando de você. Alguém sempre diz que você não pode fazer algo. Eu nunca dei ouvidos", foi outra das respostas de Holyfield quando questionado em coletiva de imprensa quais eram suas motivações para continuar lutando. Em sua última apresentação foi derrotado por decisão unânime frente ao também russo Sultan Ibragimov pela coroa da WBO em 2007. Em seu currículo constam nomes como Hasim Rahman, John Ruiz, Riddick Bowe, Michael Moorer, George Foreman, Larry Holmes, Ray Mercer, James "Buster" Douglas e o brasileiro Maguila.

"É algo muito especial lutar contra um campeão tão completo como Evander Holyfield", ressalta o campeão da WBA Nikolai Valuev que em sua carreira foi derrotado apenas por Ruslan Chagaev. Em sua última apresentação manteve afastado de si usando o seu jab o desafiante John Ruiz que pouco conseguiu mostrar de seu boxe. Apesar de ter iniciado seus treinos tardiamente é dono de uma força descomunal em seus punhos e vai colocá-lo a prova contra um adversário que já passou há muito de seu ápice, porém é conhecido por dar a volta por cima.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Conselho Mundial abre investigação sobre doping de Mosley

Das agências internacionais
Em Nova York (EUA)


O caso de doping envolvendo o norte-americano Shane Mosley, ex-campeão mundial, será investigado pelo Conselho Mundial de Boxe (CMB). A entidade afirmou que tomará providências depois que veio a público uma admissão de que o pugilista usou substâncias ilícitas na preparação para um combate contra Oscar de la Hoya, em 2003, segundo o New York Daily News.

Cerca de três meses após o combate em que venceu o título do CMB, pela categoria médio-ligeiro, Mosley confessou a um júri que usou esteróides e EPO no período de treinamento para o combate. Ele testemunhou no processo dos laboratórios Balco, que incriminaram nomes como a atleta Marion Jones, mas só recentemente isso foi divulgado.

A luta foi uma revanche após De la Hoya perder disputa contra o compatriota em 2000. Novamente, o "Golden Boy" perdeu, com uma performance arrasadora de Mosley nos últimos rounds. Em sua defesa, Mosley afirmou que não sabia que o que estava tomando poderia melhorar seu rendimento de forma ilícita.

"Foi uma surpresa ler que Mosley tomou todas aquelas substâncias", disse Jose Sulaiman, dirigente do CMB. "Algumas das drogas são totalmente proibidas. Segundo nossos estatutos, ele terá de ser ouvido e este assunto é algo de séria importância para nós."

Sulaiman ordenou que sejam levantadas evidências sobre o caso para que elas sejam apresentadas ao conselho da entidade, que decidirá se haverá penas. Podem ser votadas como punições suspensões e multas severas contra os envolvidos.

Mosley, um ex-campeão em quatro oportunidades, por três categorias, está agendado para lutar no dia 24 de janeiro. Em Los Angeles, ele enfrenta Antonio Margarito, lutador mexicano que detém o cinturão dos meio-médios pela Associação Mundial de Boxe (AMB).

FONTE: UOL ESPORTE

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

David Haye abre temporada de caça aos Klitschkos

David Haye afirma ter um compromisso com o campeão dos pesados da WBC Vitali Klitschko no mês de Junho em Londres.


Foto: David Haye com a cabeça de Wladimir Klitschko - Men's Health


O ex-rei dos cruzadores David Haye (22-1, 21 KO’s) afirma que um acordo para lutar contra Vitali Klitschko (36 – 2, 35 KO’s) após a defesa dos cinturões da IBF e WBO em poder do irmão do ucraniano, Wladimir Klitschko (52 – 3, 46 KO’s) ao nocautear no sétimo round Hasim Rahman (45 – 7 – 2, 36 KO’s) no sábado.

“Eu fui a Alemanha assistir Wladimir Klitschko entediar todos até o sono com seu jab”, relatou Haye à rádio BBC Sunday. “Está tudo confirmado, é só por os pingos nos “i’s” e colocar o ponto final”.

“Nós nos sentamos e conversamos sobre cifras que ambos lados concordassem. Não há politicagem de boxe envolvida. Claro e simples, assim como deveria ser o esporte”. Afirma o pugilista do Reino Unido.

Entretanto, Klitschko deve fazer uma defesa obrigatória contra o desafiante Juan Carlos Gomez (44 - 1, 35 KO's) de Cuba. O campeão da WBC não comentou sobre nenhum dos combates.

Haye declarou ao site Telegraph.co.uk que está muito próximo de Lennox Lewis – o ex-campeão foi o único a vencer Vitali por nocaute técnico – e seu compatriota não está impressionado com a vitória de Wladimir sobre Rahman tanto que acredita em uma vitória de Haye sobre o Klitschko caçula por nocaute.

“Lennox já treinou comigo antes, me viu fazendo sparring, ele sabe que sou pra valer. Eu vou aproximá-lo de mim como um conselheiro. Ele enfrentou Vitali e sabe o que funciona e se há alguém para me dar conselhos sobre estratégia é Lennox. Talvez eu vá a América onde ele está morando. Eu tenho 6 meses, é um bom tempo para me preparar, então porque não ir?”, relata Haye.

“Era pra ter sido contra Wladimir (o futuro combate) até minha luta contra Barrett. Mas Vitali estava sentado próximo ao ringue em minha vitória e eu acho que ele viu um lado meu com o qual seu irmão não deveria se envolver”. Haye em se apresentou na categoria máxima em sua última luta onde nocauteou Monte Barrett (34 – 7, 20 KO’s). Em uma edição da revista Men’s Health de seu país, aparece com a cabeça de Wladimir Klitschko.

“É difícil descrever meus sentimentos no momento. Lá está David Haye na foto rindo com a cabeça do meu irmão. Eu procurei David e disse que foi muito desrespeitoso e que passou dos limites. Ele deve pagar por essa foto. Dessa vez entrarei no ringue com o coração gelado”, declarou Vitali ao mesmo site.

Em seu último combate Vitali Klitschko também conhecido como Dr. Ironfist superou o potente, porém lerdo nigeriano Samuel Peter (30 – 2, 23 KO’s) ex-detentor da coroa dos pesados da World Boxing Council.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Wladimir Klitschko nocauteia em defesa de cinturões


Rahman após ser derrubado por Wladimir - Ronald Wittek/EFE

A vítima Hasim Rahman foi um alvo fácil.

Na noite de ontem na Alemanha, na cidade de Mannheim, Wladimir Klistchko nocauteou Hasim Rahman no sétimo round na Arena SAP para manter os boldriés da World Boxing Organization e International Boxing Federation.

Klitschko acertou o mais baixo, velho e pesado Rahman a sua vontade e após desferir uma combinação tripla de esquerda-direita-esquerda contra o americano no córner, o árbitro Tony Weeks entrou no meio para encerrar a contenda aos 44 segundos do assalto.

“Ele sabia que essa era sua chance”, falou Klitschko. “Eu estava surpreso, mas ele foi muito mais lento do que esperado”. O europeu derrubou o adversário no round anterior com sucessivos ganchos de esquerda. O nocaute técnico em sua sexta defesa do cinturão da IBF – e terceira este ano – acrescenta ao currículo do pugilista nascido na Ucrânia 52 vitórias com 46 nocautes e três derrotas.

“Ele lutou com esperteza e inteligência”, afirma o técnico de Klistchko, Emmanuel Steward. Rahman que surgiu como um substituto de Alexander Povetkin (16-0) – ausente, pois fraturou o tornozelo - no mês passado, batalhou para ultrapassar os jabs do oponente e agora conta com 45 vitórias, 7 derrotas, 2 empates e 36 nocautes.

Ambos apresentaram agilidade e um hábil jogo de pernas no início, mas rapidamente ficou visível a batalha de Rahman para ultrapassar os jabs do rival. O ex-bi campeão mundial tinha que se aproximar e curvar demais e era facilmente repelido pelos punhos do rival.

Quando não buscava entrar na guarda Rahman conseguia apenas se proteger nas cordas enquanto o campeão facilmente penetrava sua defesa.

“Wladimir foi muito esperto ao não soltar muitos socos e ser paciente para trabalhar com seu jab esquerdo” revelou o técnico Steward. Rahman voltou revigorado para o quarto round usando todo seu tronco para fazer ataques ambiciosos e eventualmente conectar golpes ao corpo de Wladimir.

Mas, o desafiante raramente desferiu socos no crânio do oponente e as conseqüências de seus fracos ataques ficaram claras quando foi ao chão no sexto assalto vítima de 2 ganchos de esquerda na cabeça. O americano levantou, mas passou o resto da etapa se defendendo no córner.

Outra combinação no começo do 7º round nocauteou os anseios de Rahman. Klitschko também manteve o cinturão menor da IBO (International Boxing Organization). O campeão adquiriu a coroa da IBF ao vencer por nocaute técnico Chris Byrd (40-5-1, 21 KO’s) em 2006 e a da WBO ao bater o russo Sultan Ibragimov (22-1-1, 17 KO’s) este ano por decisão unânime em uma luta de poucos movimentos.


Klitschko celebra mais uma vitória, mas ainda precisa de um adversário de nome para mostrar seu valor - Torsten Silz/AFP/Getty Images

Após o embate Klitschko citou Povetkin, Nikolai Valuev (49-1, 34 KO’s) – campeão interino da WBA – e Cristobal Arreola (26-0, 23 KO’s) como sinais de melhoria em sua categoria. Também falou do ex-campeão indisputável dos cruzadores David Haye (22-1, 21 KO’s) que subiu para os pesados e dominou a coletiva de imprensa após a luta com um desafio para Vitali Klitschko, irmão mais velho de Wladimir e campeão pela World Boxing Council.

“Eu quero lutar contra ele por ser o maior, em minha opinião é o melhor lutador” falou o britânico Haye que em novembro derrotou Monte Barrett (34-7, 20 KO’s) em sua estréia na categoria dos pesados com Vitali na platéia elogiando sua estréia e o valorizando como um futuro bom adversário.

Vitali que conquistou sua coroa ao superar o nigeriano Samuel Peter (30-2, 23 KO’s), dono do soco mais potente na categoria, afirmou que pode encarar o ex-rei dos cruzadores em 2009. “Bem, eu o enfrentaria com orgulho”.

O retorno de Bowe


Bowe superou Holyfield em 1992 na primeira luta de uma série de melhor de 3 na qual levou vantagem - Al Bello/Getty Images

Nas preliminares Riddick Bowe (45-1, 33 KO’s) voltou a vestir as luvas em um retorno modesto com decisão unânime em oito rounds sobre o alemão Gene Pukall (14-13-2, 12 KO’s). Esta foi a terceira luta na década para o veterano americano que já anunciara a aposentadoria em outra oportunidade.

Bowe esteve treinando no país do rival desde setembro em um esforço para recuperar o preparo físico e reduzir de peso. O esforço compensou e ele superou o escada Pukall de 33 anos com golpes na cabeça, porém ele não é a sombra do lutador que foi um verdadeiro encosto na vida de Evander Holyfield.

Em outro combate da noite o médio-ligeiro Cornelius Bundrage (29-4, 16 KO’s) retornou de uma derrota para Grady Brewer (24-11, 13 KO’s) ao tirar a invencibilidade de Zaurbek Baysangurov (19-1, 14 KO’s) com um nocaute técnico no 5º round.

Holt derrota Hopkins e mantém cinturão dos super leves WBO

Kendall Holt (25-2, 13 KO’s) bateu Demetrius Hopkins (28-1-1, 11 KO’s) por decisão dividida, em Nova Jersey. Os scores ficaram 115-113 para o sobrinho de Bernard Hopkins, enquanto, Holt teve 117-111 e 116-112.

D-Hop procurou trocar golpes ao contrário do oponente que soltava suas armas mais poderosas investindo no nocaute que não ocorreu por sua habilidade de esquiva. Até o quinto round ambos foram parelhos, porém Holt conseguiu mostrar serviço no sexto e também apresentou uma boa estratégia defensiva ao seu favor o que o fez manter o cinturão dos penas da WBO.

Com a vitória Holt se prepara para a unificação com o cinturão da WBC em poder de Timothy Bradley (23-0, 11 KO’s). Conhecido como “Tempestade no Deserto”- nome da ofensiva do exercito americano na Guerra do Iraque -, o pugilista tem vitórias sobre Edner Cherry, Junior Witter e Miguel Vazquez.

Fonte: Associated Press

sábado, 13 de dezembro de 2008

O fim de Oscar?


Teria sido a luta de sábado o canto do cisne para o garoto de ouro.

“Eu sinto náuseas algumas vezes quando vejo alguns de meus heróis, grandes lutadores, terminarem suas carreiras desta forma, mas felizmente Oscar está bem. Ele é um grande campeão, um ótimo modelo para o esporte e não é legal ver isto”, revelou a imprensa Ricky Hatton ao assistir a última apresentação de Oscar De La Hoya realizada no último sábado onde foi feito de sparring por Manny Pacquiao até perder por nocaute técnico ao não retornar para o nono assalto.

O invicto galês compara o Golden Boy com Iron Mike: “Mike Tyson provavelmente já estava acabado com 29 anos, apesar de algumas pessoas chegarem ao seu ápice aos 40. Todo mundo é diferente nesse esporte. De La Hoya pode ser dois anos mais novo que eu, mas eu sou faminto. Ele tem muito mais dinheiro do que eu também e essa é a grande diferença, o cara não precisava continuar lutando”. O galês venceu por decisão unânime o lutador Roy Jones Jr, outra lenda do esporte que foi considerado o melhor da década passada.

Com essas duas declarações é visível que o lutador-cantor Oscar De La Hoya perde o respeito dentre seus colegas no final de sua carreira apesar de ser jovem, para ele o momento de pendurar as luvas parece ter chegado, ao contrário de Bernard Hopkins um exemplo de boa fase na casa dos 40. Contratado da Golden Boy Promotions B-Hop se apresenta muito bem na divisão dos meio-pesados e em sua última apresentação há dois meses deu uma aula de pugilismo a Kelly Pavlik, 17 anos mais jovem e campeão dos médios pela WBC e WBO.

O Maior de Todos também passou por esse tipo de vexame, a primeira vez em sua penúltima luta quando enfrentou Larry Holmes em 1980 em um embate que foi uma “autopsia de um homem vivo” conforme o ator Sylvester Stallone que estava presente na platéia. Em sua última apresentação Ali enfrentou o inexpressivo Trevor Berbick nas Bahamas, pois muitos outros países não mostraram interesse pelo embate por medo da saúde do ídolo e o cenário foi um verdadeiro fundo de quintal, um estádio de beisebol no qual o gongo era a peça de um caminhão já aposentado.

Existem outras histórias de homens que passaram por situações degradantes no termino de suas carreiras como Joe Louis, Archie Moore, Max Baer e tantos outros que acabaram sendo massacrados por outros grandes campeões ou até mesmo por pugilistas medíocres.

Mas existem também vitórias de homens que retornam aos ringues com grande êxito como ocorreu com George Foreman na década de 90 quando conquistou o cinturão mundial versões WBA e IBF aos 45 anos.

Cabe ao pugilista se conhecer cada vez mais para definir o seu momento de parar e deixar o ringue com honra como fez Lennox Lewis indicado ao Hall da Fama de 2009 que afirma ter sempre buscado a glória em seus combates e não o dinheiro.

Boxe Internacional no Premiere combate neste sábado


Wladimir Klistchko e Hasim Rahman

Emissora paga terá Klistchko x Rahman

Numa decisão incomum às emissoras brasileiras, a TV por assinatura Premiere Combate adquiriu os direitos de duas programações de boxe que acontecerão no mesmo dia, com disputas de títulos mundiais. Os dois espetáculos serão exibidos “ao vivo” para o Brasil. Devido às diferenças de fuso horário, as transmissões acontecerão na noite do próximo sábado, dia 13, e na madrugada de domingo, dia 14.

Às 20 horas de sábado, diretamente de Mannheim, Alemanha, a emissora transmitirá o combate em que Wladimir Klitschko colocará em jogo seus cinturões WBO Organização Mundial de Boxe e IBF Federação Internacional de Boxe enfrentando Hasim Rahman que já foi campeão mundial IBF e WBC.

Às 2 horas da madrugada de sábado para domingo, o Premiere Combate exibirá diretamente de Nova York, Estados Unidos, a programação em que na luta principal o campeão mundial super leve WBO, Kendall Holt, defenderá seu título contra o invicto Demetrius Hopkins, sobrinho de Bernard Hopkins.

Brasileiros retornam com 4 medalhas do Perú

Os quatro atletas que representaram o Brasil na modalidade do boxe, na II Olimpíadas Desportivas Amazônicas realizadas na cidade de Iquitos, Peru, retornaram ao país com medalhas conquistadas na competição. Todos treinam e competem na região norte do país.

Segundo Vinicius “Bolinha” Pazos, presidente da Federação Amazonense de Boxe, os boxeadores com as respectivas medalhas foram os seguintes:

Ouro
54 kg - Marcelo dos Santos Silva (PA)

Prata
57 kg - Rinaldo Silva Machado (RR)
60 kg - André Lucian Gonçalves Pereira (AM)

Bronze
51 kg - Leandro Nascimento Duarte (AM)

Fonte: Confederação Brasileira de Boxe

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Entrevista Macaris do Livramento e Rosilete Santos


Macaris, Nicoly e Rosilete - Franklin de Freitas

Rosilete dos Santos é campeã mundial dos galos pela World Boxing Comission e este ano disputou o título interino dos super-moscas da World Boxing Association contra Carolina Marcela Gutierrez, porém não trouxe a vitória ao Brasil. Na quarta-feira conquistou uma vitória sobre a uruguaia Renata Lopez.

Macaris do Livramento, esposo e técnico de Rosilete aos 48 anos possui se dedica ao boxe em Curitiba tanto que já foi homenageado pela câmara dos vereadores. Em entrevista ao Córner do Leão ambos falam dos avanços da atleta e da validade do cinturão da mesma na história do esporte.

Macaris como você conheceu o mundo do pugilismo e entrou nele?

Macaris: Em 1984 eu treinei muay-thai, treinei e lutei durante 3 anos, depois passei para o boxe, pois gostava mais de assistir e comecei a lutar também. Realizei um total de 23 lutas como amador. Em 1987 me profissionalizei e encerrei minha carreira em 2006, realizando um total de 110 lutas, das quais foram 105 vitórias e 5 derrotas.

Como os dois se conheceram e iniciaram os treinamentos de boxe da Rosilete?

Macaris: Fui lutar em Castro, cidade natal da Rosilete, e ela foi assistir. Depois começou a trabalhar nos meus eventos e conseqüentemente passou a treinar.

Tem como separar o lado afetivo do profissional já que são marido e mulher?

Macaris: Sim, eu separo bem. A hora dos treinos e a hora das lutas sai o marido e entra o treinador, e eu cobro dela como qualquer outra atleta minha.

Qual é a rotina de treino da atleta?

Macaris: Ela acorda às 6h30 e das 7h30 às 8h30hrs corre 10Km, todos os dias. A tarde, a partir das 14 horas ela começa a fazer o treinamento técnico e tático.

Qual foi a luta mais dura de Rosilete?

Macaris: Sem dúvida alguma, foi a luta contra Alesia Graf, na Alemanha. (Em maio Rosilete foi derrotada pela bielo-russa no quinto assalto por nocaute técnico em disputa valendo o cinturão valendo a coroa da WIBF).

Como é a sensação de desfilar em carro aberto em sua cidade?

Rosilete: Sem dúvida alguma é uma sensação única, pois eu saí da cidade como empregada doméstica e ex-bóia fria e de repente eu volto como campeã mundial e todos me aplaudindo.

Conte como foi gravar a matéria para o Globo Esporte de sua cidade:

Rosilete: Aqui no Paraná a RPC filiada à Rede Globo, sempre está cobrindo as nossas lutas e fazendo matérias especiais comigo, como também outras redes de televisão, pois a imprensa paranaense me tem como um ídolo do esporte.

Em sua luta na Alemanha Adriana Salles afirmou: "O Brasil não tem uma campeã mundial. E eu vou ser". Enquanto isso Rosilete já detinha o cinturão da World Boxing Commission (Comissão Mundial de Boxe). O que podem declarar sobre o ponto de vista de Salles?

Macaris: Preferimos acreditar que a Adriana não sabia que a Rosilete já tinha conquistado o título. Torcemos para que a Adriana conquiste um título mundial. Quanto mais brasileiros campeões mundiais, melhor para o boxe do nosso país.

O que acharam do resultado dela contra Ina Menzer na Alemanha?

Rosilete: A gente sabia que era uma luta difícil, não assisti a luta e não sei como ela lutou, então não posso dar minha opinião, a única coisa que posso afirmar é que sou a única mulher nascida no Brasil a ser Campeã Mundial.

Como avaliam o reinado de Duda Yankovich frente ao cinturão da WIBA?

Macaris: Embora ela não seja brasileira, mas é uma grande conquista para o esporte brasileiro porque ela está radicada em nosso país. E sua conquista ajuda cada vez mais a divulgar o boxe.

Os grupos midiáticos mais respeitados no pugilismo: ESPN, HBO e The Ring Magazine não avaliam a World Boxing Commission entre as quatro grandes entidades que movimentam o esporte: World Boxing Association (Associação Mundial de Boxe), World Boxing Organization (Organização Mundial de Boxe), World Boxing Council (Conselho Mundial de Boxe) e International Boxing Federation (Federação Internacional de Boxe). O que podem dizer sobre essa avaliação desses três veículos de comunicação?


Macaris: Não sabemos os motivos que levaram a ESPN, HBO e a The Ring não considerarem a WBC (World Boxing Commission). Não sabemos se são motivos comerciais, políticos ou apenas técnicos. Nós sabemos que a WBC não é uma das quatro maiores entidades do mundi. Mesmo assim, a WBC tem grande importância para o pugilismo internacional. O título mundial da WBC conquistado pela Rosilete tem importância histórica para o boxe brasileiro. Todas as pessoas envolvidas com o esporte do nosso país precisam reconhecer e valorizar esse título para estimular e valorizar o boxe brasileiro.

Acredita que detendo um título dessas quatro entidades Rosilete seria mais conhecida?

A Rosilete chegou a ficar entre as cinco primeiras colocadas do ranking da Associação Mundial de Boxe. Para nós, foi como conquistar um título. Como mostra a matéria do Bem Paraná.

A Rosilete lutou muito bem na disputa do título mundial da Associação Mundial de Boxe

Acreditamos que a Rosilete ainda vai conquistar esse título. Não sabemos qual impacto que a conquista do cinturão da AMB poderia causar, já que a Rosilete já é bastante respeita e valorizada por ter o título da World Boxing Commission.

Como planejam chegar a essa meta?

Com muito treino e dedicação.

Vocês possuem uma filha de 1 ano. Sonham em vê-la calçando luvas e sapatilhas?

Ela é quem vai decidir o que vai fazer, e nós faremos nossa parte apoiando-a.

Acreditam em futuro para o pugilismo feminino no Brasil?

Sim, acreditamos!

Sapo é surpreendido na Bahia

Evento de Popó mostra talentos do maior celeiro do boxe nacional

Na noite de quinta-feira em um evento realizado em Salvador, Bahia pelo tetra-campeão mundial Acelino Freitas, o Popó, proprietário da Boxe Brasil, Rogério “Sapo” Pereira (17-1, 14 KO’s) perdeu sua invencibilidade para Antonio Barbosa, vulgo Painho. O primeiro, lutador da empresa do ex-campeão era apontado como favorito.

O médio-ligeiro foi surpreendido por um contra-golpe no 2º round e foi a lona e voltou ao a ela no terceiro assalto, com isso Painho ganhou espaço e derrotou por nocaute técnico no sexto assalto o campeão brasileiro da CBBoxe e latino da WBO. Há a possibilidade de ambos se enfrentarem em uma revanche valendo a coroa nacional em fevereiro.

Wilson “Tsunami” Simão (11-0, 8 KO’s) superou por pontos Adenílson dos Reis, o “Careca” em disputa de 8 rounds. O primeiro conseguiu um knock down na segunda etapa, porém o resistente rival conseguiu manter seu desempenho até o fim do embate.

Em outra contenda Carmelito “Binho” de Jesus (11-1, 9 KO’s) impôs um nocaute a Adílson no 3º giro ao colocar sua agressividade que levou o oponente a lona nos três rounds. Outro que nocauteou foi Erivan Conceição ao derrubar “Torão” no 2º assalto com duas quedas, para isso analisou bem o rival na etapa anterior.

Cunningham perde em casa

O cruzador Steve Cunningham (21-2, 11 KOs) perdeu o cinturão mundial dos cruzadores da IBF para o ex- meio-pesado polonês Tomasz Adamek (36-1, 24 KO’s) na noite de quinta-feira. O europeu derrubou o ex-campeão no 2º, 4º e 8º assaltos e no final dos 12 rounds ainda veio uma decisão dividida com 116-110 e 115-112 a favor de Adamek e 114-112 para o estadunidense ex-membro da marinha de seu país.

Na mesma noite Joseph Agbeko (26-1, 22 KO’s) defendeu seu boldrié da IBF pelos galos com uma decisão unânime sobre William Gonzalez (21-3, 19 KO’s), em outra luta o super-leve Devon Alexander (17-0, 10 KO’s) nocauteou no terceiro round Christopher Fernandez (15-6-1, 9 KO’s) para manter seu currículo sem manchas.

Sansão e Golias

Revista Veja mostra um panorama do combate de Holyfield e Valuev

Gigante da mídia brasileira e a quarta maior revista semanal do mundo, a Veja com tiragem de mais de 1 milhão de exemplares tem nessa semana uma matéria sobre o combate entre Evander Holyfield e Nikolai Valuev no dia 20 valendo a cinta interina dos pesados versão WBA em poder do gigante russo.

A matéria de 2 páginas do jornalista Kalleo Coura mostra a trajetória de Holyfield para se sagrar como o campeão mais velho superando seu rival do passado George Foreman e também a ascensão do desajeitado, porém extremamente forte Valuev.

Confira a matéria na internet

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Para Calzaghe o boxe está nas cordas


Em Londres Joe Calzaghe afirma que o pugilismo está nas cordas com seu excesso de campeões e falta de estrelas de verdade.

Ainda considerando se ele se aposenta após derrotar Bernard Hopkins e Roy Jones Jr neste ano mantendo a invencibilidade em 46 lutas, Calzaghe afirmou na quarta-feira que ele estava orgulhoso de sair do esporte e não estar entrando nele.

“Eu acho que o boxe é um esporte moribundo. Globalmente – principalmente nos E.U.A – você tem o UFC que pegou muito do boxe, principalmente nos negócios”, afirma Calzaghe ao se referir ao Ultimate Fighting Championship.

O galês que manteve o cinturão de médios da World Boxing Organization por mais de 10 anos antes de mudar para a categoria dos meio-pesados para encarar Hopkins e Jones também exalta que a nobre arte passou por seus problemas próprios.

“Há muita política no boxe, há muitos cinturões e muitos campeões o que diminui campeões verdadeiros como eu”, exclama. “Existem 4 campeões mundiais para cada categoria e isso é ruim porque não se há mais estrelas e isso é um grande problema”.

Calzaghe aponta que os Estados Unidos ganharam apenas uma medalha nos Jogos de Pequim – um bronze do peso-pesado Deontay Wilder – e prevê um futuro amargo para o esporte de luvas no país.

“A América só teve um medalhista nas Olimpíadas neste ano”, atesta Calzaghe. “No Reino Unido, nós fomos muito bem, eu estou orgulhoso de estar encerrando minha carreira e não a iniciando, pois não vejo um futuro grandioso para a modalidade”.

Fonte: Associated Press

E no Brasil?

Sorte de Calzaghe que ele não convive na realidade brasileira. Aqui há pelo menos 3 federações com seus títulos nacionais.Então pense comigo: Qual a expressividade no panorama mundial de um título brasileiro?

Nas lutas em solo nacional dificilmente vemos nossos atletas encarando os melhores entre seus compatriotas o que tem aspectos positivos e negativos; o melhor boxeador é poupado de sofrer traumas e aprimora sua técnica para enfrentar desafios maiores no exterior, entretanto, o fã tem disponível lutas de baixo calibre e não se empolga em freqüentar as arenas.

Será que se enfrentando num jogo de sobrevivência eles sairiam mais fortes para o mercado externo ou um acabaria anulando o outro por pequenos cachês e perderiam as chances de ouro no exterior? Espero que você me responda.

Outro problema são o nosso maior produto de exportação na atualidade: “buchas-de-canhão” que vão ao exterior vendem suas vitórias ou até lutam de verdade, mas contra adversários de nível muito superior e acabam nocauteados.

E ainda há mais um agravante, pois lá como cá o problema também é a política, só que a nossa tem um gostinho de “vatapação pugilística” digna de Odorico Paraguaçu. Com tanta lama e se Joe Calzaghe fosse Jão Carvalho, ele teria chances de Brasil e não acabar nocauteado e sim nocauteando.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Filipinas recebe Pacquiao com festa


Pacquiao em ritmo de festa

Presidente parabeniza boxeador

Os filipinos gritam por um herói, um que já foi padeiro e pedreiro e essa figura está em Manny Pacquiao que nesta quarta-feira teve uma recepção digna de campeão ao retornar para sua terra natal, mesmo tendo lutado sem um título na disputa, a maior coroa foi o nocaute técnico por abandono do seu maior e mais renomado adversário, Oscar De La Hoya, o Golden Boy, superado neste sábado em Las Vegas no MGM Grand.

O lutador, melhor da atualidade independente de peso, foi recebido pela presidente das Filipinas Gloria Macapagal Arroyo em sua residência oficial com bolo de luva de boxe e transmissão pelas emissoras de TV locais. Ao contar como superou o rival em oito assaltos em uma apresentação soberba a estadista ensaiava socos no ar.

Pacquio de 29 anos se tornou um ícone para 90 milhões de habitantes de sua nação que vivem com menos de um dólar por dia. O PIB (Produto Interno Bruto) do país é de US$ 409.445 milhões, enquanto o Brasil tem US$ 1.835 trilhão e os Estados Unidos apresentam US$ 14.020 trilhões. Os dados são de 2007.

“Minha vitória é a vitória de todos. Sei que todos rezaram por mim e ficaram nervosos durante a luta” declarou o campeão do povo que planeja férias com sua esposa que está grávida a espera do quarto filho dele e o aguarda nos E.U.A.

A luta contra De La Hoya foi marcada por uma escolha do Golden Boy de um adversário que o favorecesse pelo ranqueamento, mas que ele também acreditou não lhe ser uma grande ameaça por ser baixo e mais leve. Enganou-se o lutador-cantor e acabou sua carreira em uma apresentação apática dominado em uma cena que parecia o garoto franzino batendo no valentão da escola durante o recreio.

O filipino completa 30 anos dia 17 e descarta se afastar do ringue na hora certa – ao contrário do que fez seu último oponente – “Boxe é diferente, não é para viver disso”, avalia o melhor da atualidade.

Fonte: Agências Internacionais

O uso político dos pugilistas

Em seu livro O Homem Cinderela, o jornalista Jeremy Schaap cita que os campeões dos peso-pesados já foram mais conhecidos pelo povo do que presidentes, na biografia de Muhammad Ali de David Remnick, Floyd Patterson conversa com o presidente John F. Kennedy antes de enfrentar o perigoso Sonny Liston. O chefe de estado americano via no esportista uma forma de manter os valores e moral de seu povo naquele que era tido como um dos homens mais poderosos do mundo no imaginário das pessoas, o campeão de boxe.

Éder Jofre na década de 70 da século passado entregou uma de suas luvas para o presidente Garrastazu Médici durante o período ditatorial. O atleta fez o ato contrariado como relatado em sua biografia O Galo de Ouro de Henrique Mateucci, mesmo porque sua família tem origem no proletariado, enquanto, o governo militar reprimiu esse setor da sociedade. Outro caso na política brasileira foi o apóio dado pelo então deputado Jânio Quadros, o vassourinha, para o meio-pesado, Luiz Ignácio, o Luizão, primeiro medalhista Pan-Americano feito conquistado nos Jogos do México em 1955.

A ação de Gloria Macapagal Arroyo tem cunho político, tenta promover a sua imagem ao ligá-la a um atleta de sucesso que serve como ídolo em sua nação, mas não deixou de fazer a coisa certa já que o pequeno-grande lutador defendeu as cores de seu país em terras estrangeiras. Por sua vez Pac-Man agiu de maneira correta ao receber a homenagem merecida, nações carecem da imagem do herói. A brasileira, por exemplo, não encontra mais identificação com os jogadores da seleção-internacional de futebol e busca nos atletas de seus clubes prediletos essas figuras fragmentando cada vez mais o povo em agremiações esportistas bairristas.


Fotos da festa de Pacquiao nas Filipinas

Lewis entrará para o Hall da Fama

O britânico ex-campeão dos pesados lidera a lista de indicados de 2009 para o Hall da Fama Internacional do Boxe.


Lennox Lewis

Lennox Lewis, 43, se aposentou em 2003 com o cartel de 41 vitórias, sendo 32 por nocaute, 2 derrotas e um empate, e entrará para o Hall da Fama em seu primeiro ano elegível. “Ser colocado no Hall da Fama é um acontecimento que confirma o meu legado. Ele sempre estará lá” analisa a lenda do pugilismo.

Lewis recentemente refutou a especulação de que voltaria aos ringues para enfrentar Vitali Klistchko com quem fez sua última contenda ou o seu irmão Wladimir, apontado como o melhor da categoria na atualidade.

O técnico e membro do Hall da Fama Emmanuel Steward, indicado em 1996 afirma: “Lennox definitivamente pertence entre os 6 melhores pesados de todos os tempos. Ele teria sido uma ameaça a qualquer campeão da história por causa de seu tamanho, equilíbrio e adaptação. Lennox conseguia fazer o necessário para vencer uma disputa”.

Entrando com Lewis para o Hall da Fama estarão o campeão dos galos o estadunidense Orlando Canizales e o campeão sul-africano super pena Brian Mitchell. Também serão feitas homenagens póstumas ao médio William Jones, o meio-médio Billy Smith e o médio Billy Soose, este já como membro da Velha Guarda, onde estão nomes como o campeão dos pesados Gene Tunney que destronou Jack Dempsey em 1926.

Indicados são votados por membros da Associação de Cronistas de Boxe e por um grupo internacional de historiadores de boxe. A 20ª Semana Anual do Hall da Fama está programada para 11 e 14 de junho em Canastota, Nova York. Mês passado Lennox Lewis e Pernell Whitaker foram homenageados pelo Salão Mundial da Fama do Boxe.

Fonte: BBC

domingo, 7 de dezembro de 2008

A queda de Oscar

Com vitória sobre o Golden Boy, Pac Man se confirma como Rei dos reis.


De La Hoya (dir) X Pacquiao

Manny Pacquiao (48-3-2, 36 KO’s) frustou Oscar De La Hoya (39-6, 30 KO’s) no MGM Grand em Las Vegas e com uma grande apresentação aposenta uma lenda que se mostrou apático no quadrilátero. No oitavo round o córner do ídolo americano e mexicano decidiu abandonar a luta.

Com o auxílio do seu técnico Freddie Roach, considerado hoje um dos melhores no mundo, o filipino Pacquiao, conhecido como Pac Man usou ao seu favor seu preparo físico, técnica e velocidade superior contra um oponente debilitado e fraco que desperdiçou seu físico avantajado em relação ao rival. Manny bateu e saiu o tempo todo como fez o invicto Floyd Mayweather Jr. (39-0, 25 KO’s) para derrotar o Golden Boy em 2007.

As combinações de Pacquiao fizeram a cabeça de De La Hoya parecer um punching ball e este não conseguiu soltar sua esquerda ou qualquer outro golpe de seu arsenal, pois talvez tenha perdido peso de maneira erra para lutar entre os meio-médios, sua decadência já era visível desde sua suspeita vitória sobre o alemão Felix Sturm (31-2-1, 13 KO’s), e após esse combate não obteve vitórias sobre adversários expressivos como Mayweather Jr. E Bernard Hopkins (49-5-1, 32 KO’s).

Uma das ultimas vitórias de DLH veio sobre um Ricardo Mayorga (28-7-1, 22 KO’s) sem brilho e outra em cima de Steve Forbes (33-7, 9 KO’s), um contratado seu pela Golden Boy Promotions. Oscar superou nomes como Arturo Gatti (40-9, 31 KO’s), Hector “Macho” Camacho (79-5-2, 38 KO’s) Pernell Whitaker (40-4-1, 17 KO’s) e superou Julio César Chavez (107-6-2, 86 KO’s) em duas oportunidades mostrando que seu ápice havia passado.

De La Hoya fez dois erros na madrugada de sábado, primeiro ao escolher um adversário que considerou mais fraco pela diferença de tamanho, mas que justificou seu título de melhor independente de peso e o segundo foi subir no ringue por vaidade quando se sabe que apesar de ter 35 anos num período onde é possível se apresentar bem além da idade ele não é mais o mesmo de 10 anos atrás e a escolha de Pacquiao que o faria sair bem pelo ponto de vista do marketing só o prejudicou. Nem ter tido o grande Angelo Dundee em seu córner o salvou de si mesmo.

Manny Pacquiao agora é aguardado pelo britânico Ricky Hatton (45-1, 32 KO’s) que esteve em Las Vegas aguardando o vitorioso do embate. O pugilista europeu será um desafio muito maior que o encontrado nesse final de semana, agora que venceu Paulie Malignaggi (25-2, 5 KO’s) após perder sua invencibilidade para Mayweather Jr.

Froch é novo campeão de super-médios da WBC

Carl Froch (24-0, 19 KO’s) bateu o haitiano Jean Pascal (21-1, 14 KO’s) por sua primeira coroa mundial, a versão super-médios da World Boxing Council por decisão unânime em luta realizada na FM Trent Arena, Nottingham, Inglaterra. Com as papeletas assinalando 118-110, 116-112, 117-111 Froch obteve o cinturão deixado pelo lendário Joe Calzaghe, por ser um título que estava vago o campeão deverá fazer obrigatoriamente duas defesas, sendo a primeira contra Jermain Taylor no meio do ano que vem, este por sua vez vem de uma vitória sobre Jeff Lacy no mês passado.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Nilson Garrido não leva prêmio de 100 mil dólares

Cortiço da Rua Sólon é campeão da disputa

Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes na quarta-feira, 3 de dezembro, o II Deutsche Bank Urban Age Award, premiação com o objetivo de apresentar a inovação para o reaproveitamento de espaços urbanos na maior cidade da América Latina teve como grande vencedor o “Do Cortiço da Rua Sólon ao Edifício União”.

O Projeto de Nilson Garrido ao lado de sua parceira Cora, Cora Garrido Boxe, visa a educação de excluídos sociais através dos esportes com enfoque no boxe e da cultura. O ambiente utilizado fica no Viaduto do Café, na Mooca, região central.

O projeto vencedor consiste em um edifício residencial no centro da capital ocupado por 42 famílias e revertidos com aprimoramentos visuais feitos pelos próprios moradores. Só de entrar entre os 12 finalistas e tendo competido contra 133 inscritos mostra a força da iniciativa e a capacidade do pugilismo de sociabilizar o ser humano.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Projeto Cora Garrido Sol Nascente concorre a prêmio de US$ 100 mil


Cora Garrido Boxe

Boxe embaixo de viaduto e outras 11 iniciativas em várias regiões da capital paulista vão descobrir quem é o vencedor hoje no Palácio dos Bandeirantes


Do G1, em São Paulo

Doze projetos urbanísticos, de cunhos social e espacial, de São Paulo concorrem a um prêmio de 100 mil dólares, concedido pelo Deutsche Bank, da Alemanha, em parceria com a “Urban Age”, uma pesquisa internacional de cidades organizada pela London School of Economics and Political Science e Deutsche Bank Alfred Herrhausen Society.

Nesta segunda edição do Deutsche Bank Urban Age Award, foram inscritos 133 projetos da região metropolitana de São Paulo, a cidade escolhida pela Urban Age para ser “investigada” em 2008. A primeira versão do prêmio aconteceu no ano passado em Mumbai, na Índia.

O vencedor será anunciado em cerimônia na noite desta quarta-feira (3) do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual paulista, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo.

O júri, composto por especialistas em urbanismo, reuniu-se em São Paulo nos dias 9 e 10 de novembro para avaliar os projetos. Fizeram parte do júri o ex-jogador Raí e criador, ao lado do também ex-jogador Leonardo, da fundação Gol de Letra, a cineasta Tata Amaral, a curadora de arte Lisette Lagnado e o arquiteto Fernando Mello Franco, além de dois especialistas estrangeiros em urbanismo, Anthony Williams, ex-prefeito de Washington, e Ricky Burdett, da London School of Economics, que presidiu o júri.

Os 12 projetos selecionados são os seguintes:

Cora Garrido Boxe - Localizado no Viaduto do Café, na Mooca, região central,o projeto criou um lugar dinâmico para esportes, boxe e lazer para pessoas de diferentes grupos econômicos e sociais na cidade.

Instituto ACAIA - Desde 1998, o Instituto ACAIA oferece um raro recurso para jovens de favelas nos arredores da Vila Leopoldina, na Zona Oeste: uma oficina espaçosa e bem projetada de artes e artesanato com instalações que permitem cursos de treinamento, no meio de uma área industrial em rápida mudança.

BioUrban – Organizado por Jeff Anderson, um jovem estudante de sociologia, é uma iniciativa que realizou uma série de intervenções estéticas que transformaram a qualidade espacial dos arredores da favela Mauro, na Saúde, na Zona Sul, incluindo a limpeza de pequenos espaços, a plantação de canteiros de flores no lugar de placas de concreto, a introdução de cores e materiais para humanizar as fachadas de edificações e a criação de arte pública por crianças do local.

Espaço de Cultura Cohab Raposo Tavares - O projeto inclui uma série de iniciativas para criar um espaço público democrático em uma das áreas mais carentes da periferia da cidade, com grandes números de moradias populares em ambiente urbano pobre.

Sede da União de Moradores e do Comércio de Paraisópolis – Dirigido por um grupo local bem-organizado de residentes da favela Paraisópolis, na Zona Sul, o projeto assegura que os direitos de indivíduos e da comunidade sejam respeitados na implementação de iniciativas realizadas de acordo com o programa municipal de reurbanização da favela.

Kinoforum - O projeto itinerante leva cinema ao ar livre para espaços incomuns, no coração dos lugares mais pobres da cidade, na periferia da região metropolitana. Além de dar vida a lugares esquecidos da cidade, o projeto inclui oficinas de vídeo para os jovens das comunidades locais.

Bairro-escola, Associação Cidade Escola Aprendiz - Uma rede de instalações culturais com foco educacional é organizada em um bairro culturalmente ativo da Vila Madalena, na Zona Oeste.

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro – Um depósito industrial abandonado no centro da cidade foi convertido pela Prefeitura de São Paulo em escritórios para uma organização que promove a inclusão social. Essas incubadoras urbanas promovem o contato social e a melhoria da qualidade de vida, identificando oportunidades para gerar renda e aprimorar o espaço público.

Rede Cultural Beija-Flor - O centro cultural estabelecido em Diadema, no ABC, está expandindo sua gama de atividades e estabelecendo uma série de abrigos que delegam poder de decisão à comunidade local e trazem melhoria ao ambiente físico.

Cortiço Rua Sólon Edifício União – Um edifício residencial no Centro de São Paulo ocupado recentemente foi convertido com sucesso em residências bem projetadas para 42 famílias. Os aprimoramentos visuais do edifício e suas áreas comuns motivaram muitos moradores a fazerem melhorias dentro de seus apartamentos.

Praças da Paz Sul-américa - O projeto promove o envolvimento da comunidade através da revitalização de praças urbanas na periferia de São Paulo, o que tem gerado a redução nos níveis de criminalidade em áreas locais. Os espaços públicos democráticos se tornaram o palco para debates e engajamento público, recuperando seu papel histórico como locais para reunião e discussão da vida pública.

Cooperativa de Reciclagem Nova Esperança - Esta é uma parceria inovadora entre governo e moradores desenvolvida no Programa Integrado de Urbanização do Pantanal, na Zona Leste. O projeto foi pioneiro na implantação de um novo sistema de coleta de lixo que gera renda para a cooperativa e reduz o volume de resíduos, anteriormente depositado nas ruas próximas, em espaços públicos e cursos de água.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

De La Hoya tem estátua nos E.U.A


Pugilista recebe homenagem em Los Angeles

Na terça-feira (02/12) o boxeador Oscar De La Hoya recebeu como homenagem uma estátua no ginásio Staples Center em Los Angeles, Califórnia. O atleta fará sua última luta neste sábado contra o filipino e melhor "pound-for-pound" Manny Pacquiao.

Foto: Globo Esporte

Shane Mosley admite doping por EPO antes de luta contra De la Hoya


Das agências internacionais
Em Nova York (EUA)



O pugilista norte-americano Shane Mosley admitiu em frente a um júri, em 2003, já ter lutado sob influência de doping. O jornal New York Daily News teve acesso a transcrições de investigações feitas pela justiça dos Estados Unidos, quando o ex-campeão mundial comentou o caso.

O testemunho de Mosley fez parte das investigações do caso do laboratório Balco, que teve como outros envolvidos a atleta Marion Jones, entre outros. A liberação do depoimento aconteceu com o compartilhamento de documentos da acusação de que o jogador de beisebol Barry Bonds teria feito uso de doping.

Segundo o pugilista, ele fez uso do estimulante EPO antes de enfrentar o compatriota Oscar de la Hoya. Na ocasião, o adversário teria a revanche após ser derrotado em 2000. Durante a luta, Mosley venceu depois de despontar nos rounds finais, sem mostrar sinais de cansaço.



O pugilista admitiu o uso, mas afirmou não ter conhecimento de que era uma substância ilegal ou que fosse banida. "Estou aliviado de ele ter testemunhado a este júri, pois ele apenas confirmou o que vinha dizendo nos últimos anos", afirmou o advogado de Mosley, Judd Burstein, ao jornal nova-iorquinho.

O norte-americano volta aos ringues contra Antonio Margarito, campeão dos meio-médios pela Associação Mundial de Boxe, no dia 24 de janeiro, valendo o cinturão do mexicano.

Fonte: Uol

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Pedro Otas é o novo campeão nacional dos cruzadores

Pugilista conquista cinturão nacional dos cruzadores e se prepara para desafios maiores

No domingo Embu Guaçu, interior de São Paulo foi palco da disputa do cinturão brasileiro de cruzadores do Conselho Nacional de Boxe, vago desde que Alexandro Rocha Cardoso, o Pit, abdicou dele. A disputa se deu entre o ex-peso pesado Pedro Otas e Sandro Luis Martins. Cotados para o combate no lugar de Martins estavam Edson Foreman e Laudelino Barros, mas por compromissos com outros combates não entraram na disputa.

Os fãs de boxe viram no 1º round um Pedro Otas mais cauteloso, analisando o adversário de maior envergadura e resguardando a mão direita, tanto que lutou como canhoto e usou muito o jab. Outro empecilho foi pegar ritmo de ringue já que estava inativo desde fevereiro.

O giro seguinte mostrou a troca de golpes no qual Otas como esperado mostrou sua superioridade ao agredir o oponente na linha da cintura. Sandro caiu com um direto de esquerda na área focada pelo adversário e levou um knock down.

O 3º e último round teve Sandro colocando boas seqüências que foram evitadas com jogo de perna e esquivas. Otas “mais focado em finalizar” soltou um potente direto de esquerda na cabeça que levou Sandro para as cordas grogue, então Otas avançou com um gancho de direita no baço e com a mesma mão desferiu um uppercut certeiro no queixo levando o oponente a lona. Agora Otas segue invicto com 18 vitórias, sendo 16 pela via rápida.

Sandro levantou na contagem de 8, mas o árbitro viu que não tinha mais condições de seguir em frente e decretou o nocaute técnico. No final de dezembro Pedro Otas espera lutar fora do país contra um adversário latino - da Colômbia ou Equador - ainda a ser definido em mais uma preparação para enfrentar Ali Ismailov pelo título Latino-Americano da Organização Mundial de Boxe do qual é campeão em recesso e o brasileiro interino.

“Também foco outros cinturões latinos para entrar entre os dez melhores do mundo OMB e CMB para então brigar por títulos mundiais”. Atleta foca em estágios no México, Estados Unidos e também na Alemanha, atual nicho financeiro do esporte.

Em cima do tablado o público viu dois lutadores em forma, o que surpreende é o fã que viu Otas em sua última apresentação e hoje com um porcentual de gordura baixíssimo resultado de um trabalho feito com o preparador físico Sergio Sheman especialista em nutrição adaptada aos esportes.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Peter Venâncio ensina boxe em São Paulo


Total Punch/Divulgação

Academia na capital paulista contrata nomes de peso de diversas modalidades

Organizada por Daniel Rústico, o Vinking, a academia Total Punch Mixed Martial Arts contrata nomes de peso para preparar lutadores de MMA num país que é um verdadeiro celeiro de talentos. O espaço foi inaugurado em 22 de novembro.

Entre os mestres figuram o técnico da seleção brasileira de luta olímpica estilo livre Edson Kudo, o veterano dos ringues de boxe Peter Venâncio e um personagem de destaque no vale-tudo, Assuério Silva. Completam a equipe Sandro Vasconcelos também no pugilismo, membros da Lótus Club nas aulas de jiu-jítsu, caratê com Luiz Feitosa e Marcelo Bueno, André Hohl no judô e treino funcional e fisioterapia esportiva com Daniel Hohl. O próprio Daniel Viking cuida da parte de MMA e submission

“A área é de 160m², aberta ao público das lutas e artes marciais, com treinamentos separados para iniciantes, feminino, profissional e personal trainer. Temos o objetivo de atingir todos os níveis desde o iniciante ao profissional de ponta, tudo com muito profissionalismo, respeitando os limites e objetivos de cada aluno. Teremos também o treinamento funcional, com barra, paralela, elásticos, ketellbel, argola e peso livre.” Explica o proprietário desta nova casa de lutadores.

A equipe de pugilismo atrai os entendidos da nobre arte. “O Peter é uma máquina dentro dos ringues e muito exigente como professor, tem um índice técnico muito elevado é um perito na nobre arte, o Sandro também é um excelente professor, faz parte da Boxing Brasil além de treinar e auxiliar os irmãos Pedro e Gustavo Otas”.

Peter Venâncio é um dos principais nomes brasileiros que não conquistou um título mundial ao lado de Servílio de Oliveira. Nos ringues o atleta tinha como marca registrada sua técnica e inteligência, a aposentadoria veio neste ano.


Peter Venâncio

Local:
Avenida João Pedro Cardoso, nº 363. Jardim Aeroporto (atrás do Aeroporto de Congonhas).

Contato:
Fone: (011) 8128 4004
Nextel: (011) 7806 9584 id: 55*7*34300
danielrustico@hotmail.com

domingo, 23 de novembro de 2008

Lewis nega possível retorno aos ringues


Lennox Lewis - Getty Images

Ex-campeão dos pesos-pesados refutou a possibilidade de subir no ringue mesmo que por 70 milhões de Libras, mas 100 milhões de euros podem trazê-lo de volta

O “Leão” britânico de 43 anos teria dito a imprensa que voltaria aos ringues, mas para a BBC Radio 5 Live afirmou não estar preparando seu regresso. “Ninguém me fez qualquer oferta que me faria voltar aos ringues. Não creio que haja alguma oferta que me coloque lá de volta”.

Sua última luta foi em 2003 quando defendeu seu cinturão da WBC contra Vitali Klistchko num embate que terminou na derrota do segundo após um corte que levou ao nocaute técnico e hoje o atual detentor da coroa da World Boxing Council está interessado em uma revanche.

“Eu já cheguei onde queria. Claro me sinto tentado a lutar contra Wladimir Klitschko, mas não me vejo voltando” comenta Lewis.

“A grana que falam é muita então muitos chegam e perguntam: ‘Você está louco?’. Mas não sou inspirado pelo dinheiro, pra mim é tudo pela glória. Eu penso: ‘qual é a glória em retornar para enfrentar um cara que já derrotei?’”, questiona o ex-campeão.

“Ele me quer de volta por motivos egoístas e ele precisa criar o seu próprio legado e ltar contra as pessoas que ele realmente necessita lutar”, aconselha Lewis que já derrotou nomes como Evander Holyfield e Mike Tyson.

Nas últimas semanas os ex-campeões dos pesados Holyfield e Riddick Bowe anunciaram lutas para o fim deste ano. E Lewis parecia estar interessado na mesma oportunidade quando a mídia passou a afirmar essa intenção por parte dele também.

“Eu não preciso disso, eu não necessito desse dinheiro e meu legado fala por si só. Mas o pugilismo precisa de mim” contempla Lewis que se aposentou com o cartel de 41 vitórias, 2 derrotas e um empate. “A divisão dos pesados está tão chata, todos os grandes já foram embora”.

“Eu teria que receber 100 milhões de euros para dizer ‘sim’, e há quem me pague isso. Tem pessoas que me pagariam isso para lutar novamente, seria eletrizante pelo esporte e pra mim. Caso eu volte será para vencer e não para brincar”.Lewis nega possível retorno aos ringues

Ex-campeão dos pesos-pesados refutou a possibilidade de subir no ringue mesmo que por 70 milhões de Libras, mas 100 milhões de euros podem trazê-lo de volta

O “Leão” britânico de 43 anos teria dito a imprensa que voltaria aos ringues, mas para a BBC Radio 5 Live afirmou não estar preparando seu regresso. “Ninguém me fez qualquer oferta que me faria voltar aos ringues. Não creio que haja alguma oferta que me coloque lá de volta”.

Sua última luta foi em 2003 quando defendeu seu cinturão da WBC contra Vitali Klistchko num embate que terminou na derrota do segundo após um corte que levou ao nocaute técnico e hoje o atual detentor da coroa da World Boxing Council está interessado em uma revanche.

“Eu já cheguei onde queria. Claro me sinto tentado a lutar contra Wladimir Klitschko, mas não me vejo voltando” comenta Lewis.

“A grana que falam é muita então muitos chegam e perguntam: ‘Você está louco?’. Mas não sou inspirado pelo dinheiro, pra mim é tudo pela glória. Eu penso: ‘qual é a glória em retornar para enfrentar um cara que já derrotei?’”, questiona o ex-campeão.

“Ele me quer de volta por motivos egoístas e ele precisa criar o seu próprio legado e ltar contra as pessoas que ele realmente necessita lutar”, aconselha Lewis que já derrotou nomes como Evander Holyfield e Mike Tyson.

Nas últimas semanas os ex-campeões dos pesados Holyfield e Riddick Bowe anunciaram lutas para o fim deste ano. E Lewis parecia estar interessado na mesma oportunidade quando a mídia passou a afirmar essa intenção por parte dele também.

“Eu não preciso disso, eu não necessito desse dinheiro e meu legado fala por si só. Mas o pugilismo precisa de mim” contempla Lewis que se aposentou com o cartel de 41 vitórias, 2 derrotas e um empate. “A divisão dos pesados está tão chata, todos os grandes já foram embora”.

“Eu teria que receber 100 milhões de euros para dizer ‘sim’, e há quem me pague isso. Tem pessoas que me pagariam isso para lutar novamente, seria eletrizante pelo esporte e pra mim. Caso eu volte será para vencer e não para brincar”. Lewis ao mesmo tempo que se mostra desinteressado deixa uma porta aberta.


Fonte: BBC.co.uk

Hatton castiga Malignaggi

Britânico se recupera da derrota para Floyd Mayweather


Foto: Hatton (esq) x Malignaggi - John Gichigi/Getty Images

Na noite de sábado o MGM Grand em Las Vegas viu o britânico Ricky Hatton (45-1, 32 KOs) derrotar sem dificuldades Paulie Malignaggi (25-2, 5 KOs) tanto que seu córner Buddy McGirt jogou a toalha no 11º giro. A contenda foi disputada na categoria até 140 libras.

Apesar de iniciar bem o americano não conseguiu manter o bom ritmo após receber um potente golpe no final do segundo assalto, então tornou-se presa fácil, tanto que segurou Hatton no clinch para não cair e entrou no jogo do oponente o combate corporal e truncado e acabou levando uppers e golpes nas costelas.

O britânico foi treinado por Floyd Mayweather Sr. pai do único homem que o derroto, Mayweather Jr., e recuperou sua confiança tanto que fez da cabeça do Magic Man um punching ball que parecia prestes a ser arrancada do pescoço. Agora após a desistência do adversário pode esperar pelo resultado do confronto entre Oscar De La Hoya e Manny Pacchiao. Ou o primeiro desiste da aposentadoria e o enfrenta caso vença ou o segundo perdendo ou vencendo lute com ele.

Na preliminar o contender da terceira temporada Brian Vera (16-2, 10 KOs) foi corajoso, porém fraco contra James Kirland (24-0, 21 KOs) e foi sacrificado o combate todo. Seu castigo veio em três knockdowns, 2 no 2º round e 1 no 8º o que obrigou o árbitro a interromper o combate.


Hitman comemora com seus conterrâneos os irmãos Gallagher da banda Oasis

Garay defende título e Salles perde decisão unânime

Em Rostock, Alemanha, o argentino Hugo Hernan Garay (32-3, 17 KOs) derrotou na pontuação o local e adversário mandatório Jürgen Brahmer (31-2, 25 KOs) em defesa do título da WBA dos meio-pesados – até 79,4 kg -.

Garay conseguiu com uma troca de golpes no centro do ringue a pontuação ao seu favor de 118-110, 117-112 e 116-115. Vale lembrar que em muitos casos árbitros locais favorecem os compatriotas. Da mesma sorte não desfrutou Adriana Salles (11-4-1, 5 KOs).


Foto: Globo Esporte - Salles (esq) x Menzer

A brasileira fez a preliminar contra a local Ina Menzer (22-0, 9 KOs) em luta válida pelos cinturões da WIBF e WBC da categoria pena em poder da alemã. A vitória foi por decisão unânime com as papeletas apontando 98-92, 99-91 e 100-90. Conforme o site Globo Esporte Salles lutou bonito.

sábado, 22 de novembro de 2008

O fim do Império Americano

Os E.U.A perdem sua influência nos ringues


A Morte de Apollo - Rocky IV / Divulgação



No boxe moderno criado pelos britânicos não houve país tão hegemônico quanto os Estados Unidos da América. Foi mais de um século de domínio que inclui nomes desde John L. Sullivan até Floyd Mayweather Jr.

Assim como o ataque de 11 de setembro contra as torres gêmeas alertou que não existe mais a soberania da segurança do Estado, os avanços nucleares na Coréia do Norte e Iran colocam em cheque o poder bélico e o crescimento de nações como China e Rússia apontam a falência econômica do país do Tio Sam, o quadro de atuais campeões tem rostos de diversos países e diferentes etnias.

Nos E.U.A os garotos sonhavam em ser campeões mundiais como escreve Jeremy Schaap no livro O Homem-Cinderela (2005) sobre o detentor da coroa máxima James J. Braddock que reinou no período pós Crash de 29. A mesma obra conta sobre campeões mundiais dos pesados mais famosos que presidentes.

Atualmente os jovens podem ter destaque em outros esportes que não precisem levar socos na cara para obter sucesso o que explica a evasão para modalidades como basquete, futebol americano e beisebol. Evander Holyfield cortejou a bola do futebol americano quando garoto e na adolescência Roy Jones Jr se dividia entre os ringues e as quadras do esporte de Michael Jordan.

Os dois citados acima são personificações dessa perda de poder americano. Evander Holyfield por sua idade avançada não conseguiu uma ótima apresentação contra Sultan Ibragimov no ano passado pelo título da WBO o que lhe tirou a chance de ser o campeão mais velho e bater o recorde de George Foreman. Agora dia 20 ele tentará o mesmo contra o gigante russo Nikolay Valuev e mesmo vencendo não derrotará um adversário fora de série.

Roy Jones Jr. foi o lutador mais completo da década passada, eleito o melhor ‘pound-for-pound’ pela The Ring Magazine. Em seu currículo constam nomes como Vinny Pazienza e Bernard Hopkins, mas nas mãos do galês invicto Joe Calzaghe foi uma sombra do pugilista do passado. O próprio Hopkins apesar da boa fase, devido sua idade avançada para o esporte - 43 anos - logo verá o fim de sua carreira.

As medalhas do boxe amador dos Jogos de Pequim deste ano viram os donos da casa surpreender e conquistar 2 ouros, 1 prata e 1 bronze tendo o país de Muhammad Ali uma apresentação medíocre e apática que rendeu 1 bronze. Um exemplo do desinteresse do jovem pelo esporte de luvas.

No passado campeões de diversas origens saiam dos E.U.A. Max Baer tinha ascendência judaica, Jake LaMotta conta com raízes italianas, Braddock vinha de um lar irlandês. Essas minorias entraram para o capitalismo através do negócio próprio e do ensino superior e subiram para a classe média ou ficaram ricas sem calçar luvas.

Com o tempo e as ações afirmativas – que nos E.U.A funcionam e cabem dentro de seu contexto histórico, diferente de como são aplicadas em nosso país – os negros passaram pelo mesmo processo e cada vez mais há um êxodo desse grupo dos ringues mundiais, até mesmo porque agora podem ser presidentes.

A Morte de Apollo