terça-feira, 30 de novembro de 2010

O pouso do Astronauta

Nate Campbell deixa os ringues

Nate Campbell / Luis Acosta - AFP Getty Images

Ele tinha tudo para ser mais um, conheceu o boxe amador apenas os 24 anos, entrou para o profissionalismo aos 28. Um pugilista de ponta começa seus treinos aos 13, e existem casos de que logo que nascem já são educados com luvas.

Porém, Nate Campbell é único, praticamente saiu do nada para ascender no universo do boxe se tornando o “Galaxxy Warrior” (assim mesmo com duplo “X”), em português “Guerreiro da Galáxxia”. Esse astronauta dos ringues se aposentou após seu último “pouso” no sábado.

A derrota por decisão divida foi para o mediano Walter Estrada. Campbell dos E.U.A não foi o mesmo nos 8 rounds, seus 38 anos apontavam o desgaste e não a habilidade de quem foi em 2008 campeão dos leves pela Federação Internacional de Boxe, Organização Mundial de Boxe e supercampeão da categoria pela Associação Mundial de Boxe.

Obteve as três coroas ao bater o conterrâneo Juan Diaz, o mesmo Baby Bull que praticamente encerrou a carreira do brasileiro Popó. A vitória do “Galaxxy Warrior” surpreendeu todos naquela noite e serviu pra mostrar que o cérebro e o coração falam tão alto quanto o talento. Na despedida deixa a seguinte declaração:

“Antes de tudo quero que saibam que estou bem. Estive pensando sobre o combate de sábado e é hora de pendurar as luvas. Conquistei espaço, mas no momento não vejo maiores oportunidades e nesse ramo um décimo de segundo de atraso é muito. Não desrespeito Estrada de forma alguma. Ele veio lutou e venceu honestamente. Mas, se eu tenho que me esforçar demais em um combate como esse, como será contra os principais da categoria?”.

“Não entrei nesse esporte para ser o oponente de ninguém, entrei para me tornar campeão mundial e felizmente conquistei essa meta. Gostaria de continuar a vencer títulos em outras divisões. Entretanto, quando o corpo avisa que é hora de partir, é hora de partir”.

Antes de Estrada, Victor Ortiz o venceu por decisão unânime e uma queda no 1° round. Antes dessa peleja sua disputa com Timothy Bradley em 2009 terminou “Sem Decisão” após sofrer um corte sobre o olho esquerdo.

As coroas foram de Bradley entre março de 2008 e fevereiro de 2009 quando bateu o sul-africano Ali Funeka por decisão majoritária. Fora dos ringues chegou até a falir durante a carreira e sempre entrava nos como azarão.

Criado em lares adotivos, enquanto sua mãe estava presa e seu pai foi morto quando tinha 10 anos, Campbell passou por empregos variados como vendedor de porta-em-porta e também de aspirador de pó. Chegou a trabalhar em um cemitério e para se manter acordado praticava o exercício conhecido como “sombra” no qual o boxeador “enfrenta” sua própria sombra ou reflexo no espelho.

Campbell na juventude teve problemas com a polícia e não terminou o colegial. Agora quer continuar envolvido com pugilismo como comentarista televisivo, área na qual tem experiência, ou treinador ou até mesmo manager.

“Não tenho do que me queixar. Cheguei a este esporte como um ninguém aos 28 anos. Apareci na NBC, ESPN, Showtime, HBO e Pay-Per-Views. Venci três títulos mundiais e ainda levantei uma graninha. Nada mal pra um 'malandrinho' de Jacksonville (sua cidade natal no estado da Flórida, E.U.A)”.

Trecho de especial da HBO sobre Nate Campbell

“Simplesmente os outros são maiores, sou sempre o menor”

Arthur Abraham com maxilar quebrado em 2006 / Ag. Internacionais

O ex-campeão dos médios (72,5 kg) pela Federação Internacional de Boxe, Arthur Abraham confessou que não é um supermédio (76,2 kg), categoria pela qual disputa o torneio Super Six. “Simplesmente os outros são maiores, sou sempre o menor”, afirmou o armeno-germânico.

Em sua trajetória no Super Six mandou para o hospital Jermain Taylor com um fulminante nocaute, mas perdeu por desclassificação ao acertar o caído Andre Dirrell e sofreu sua pior derrota para Carl Froch no fim de semana.

O treinador Ulli Wegner disse várias vezes ao pupilo no combate contra o britânico Froch: “você é um covarde”, enquanto era disputado o cinturão vago dos supermédios do Conselho Mundial de Boxe.

“Ele (Abraham) não tem honra em seu corpo para se permitir apanhar tanto assim”, definiu Wegner, enquanto, o pugilista alega que não é covarde, porém não encontrou um método de paralisar “O Cobra” Froch. Mesmo incomodado com as declarações de seu treinador, Abraham continuará com seus serviços.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Holyfield fará luta com Nielsen

Evander Holyfield / Divulgação


Zumbano espera por Holyfield

Após o cancelamento de sua luta com Sherman Williams, o veterano tetra-campeão mundial Evander Holyfield, 48, se prepara para encarar Brian Nielsen, 45, na Dinamarca, país no qual o futuro rival é um herói local. O embate será dia 5 de março.

Holyfield (64-2-0, 43 KO's) segue sua jornada para ser o campeão mundial de uma das 4 principais entidades (OMB, AMB, FIB e CMB) mais velho, o recorde pertence a George Foreman que obteve a honra aos 45.

Nielsen (64-2-0, 43 KO's) não luta desde 2002 e não aceitou o desafio antes, se recupera de uma cirurgia no joelho da qual estará sarado em março.

Holyfield não está em seu ápice, em 2008 quase conseguiu seu sonho, mas foi garfado no embate com o então campeão da AMB Nikolay Valuev, o americano tinha 46 anos. Imprensa e público criticam o resultado.

O dinamarquês montou seu cartel chamativo batendo lutadores de baixo nível durante 1992 e 2002, tanto que quando subiu no ringue com Tyson em 2001 foi nocauteado em 10 rounds, sendo sua segunda derrota para o lutador mediano Dicky Ryan.

Em 1994, Nielsen derrotou James Smith, o “Quebra-Ossos”, o ex-campeão mundial estava em declínio na sua carreira, mesma situação em 1997 quando também bateu o ex-campeão Larry Holmes – hoje membro do Hall da Fama –. Mesmo assim um campeão no final de sua trajetória é um leão velho mais poderoso que muitas hienas existentes na savana.

Após esse embate o presidente da Federação Internacional de Boxe, Howard Goldberg anunciou que Evander Holyfield, campeão mundial pela agremiação, possivelmente enfrentará o campeão interino latino da Organização Mundial de Boxe e campeão internacional pela Federação Raphael Zumbano.

Zumbano vem de uma vitória por pontos sobre o argentino Manuel Pucheta na qual defendeu seu título latino e conquistou o segundo cinto. Sobre Holyfield que é um de seus ídolos afirmou que o americano não perderá para Nielsen, mas sim para o próprio Zumbano que terminou a entrevista dizendo "eu quero é mais!".

Arias vence Martins e defende cinturão brasileiro

George Arias / Divulgação


Após um encontro no dia 20 de novembro com o argetino Emilio Ezequiel Zarate, o campeão pesado sul-americano George Arias, 36, defendeu no sábado (27/11) seu título brasileiro frente Roberto Martins em Itatiba, no interior de São Paulo.

Arias (47-11-0, 33 KO's) não teve dificuldades para suplantar Martins (18-18-1, 14 KO's) mesmo após uma semana de sua apresentação anterior. Será interessante vê-lo contra adversários como Fabio Eduardo Moli.

Praxedes bate Siqueroli e fica com título nacional

Leandro Siqueroli, 22, abandonou sua luta com Everaldo Praxedes, 24, no 8° round e viu seu sonho de ser campeão brasileiro passar por suas mãos, afinal esteve melhor até então, mas o sangramento excessivo o impediu de prosseguir. Estavam em jogo os cinturões do Conselho Nacional de Boxe Profissional Brasileiro e da Federação Nacional de Boxe Profissional Brasileiro.

Praxedes causou uma abertura no supercílio do rival que sangrou até o termino do combate, porém Siqueroli mesmo se limitando a cruzados e pouco usando jabs e diretos se apresentou melhor. Com isso, Leandro vê seu sonho de enfrentar Michael Oliveira mais longe.

Assista abaixo o combate entre Praxedes (preto e verde) e Siqueroli (branco e vermelho):



domingo, 28 de novembro de 2010

Carl Froch derrota Arthur Abraham e recupera título supermédio CMB

Carl Froch (esq.) e Arthur Abraham (dir.) / Jussi Nukari - AP Photo / Lehtikuva

“O Cobra” Carl Froch (27-1-0, 20 KO's) deu o bote e faturou o título vago dos supermédios do Conselho Mundial ao bater por decisão unânime o armênio-germano “King” Arthur Abraham (31-2-0, 25 KO's) em luta válida pelo torneio Super Six na noite de ontem na Finlândia.

As plaquetas apontaram um duplo 120-108 e 119-109 para o britânico que faturou o título abdicado pelo dinamarquês Mikkel Kessler, o “Guerreiro Viking” que saiu de cena para cuidar de sua vista em agosto, e foi substituído pelo jamaicano Glen Johnson.

Froch “matou a cobra e mostrou o pau” como no dito popular brasileiro e usou de sua envergadura para manter Abraham a uma distância segura. Sua técnica também auxiliou nessa missão que envolveu jab de esquerda e socos no corpo quando o pegador alemão se aproximava além de diretos de direita e uppercuts.

“Foi uma das minhas melhores apresentações, me preparei muito em meu campo de treinamento com vários sparrings e tentamos simular o estilo de Abraham um pouco e conseguimos executar a estratégia”, declarou Froch.

“Eu queria acertá-lo, mas não fui capaz. Não tenho nada mais a declarar”, se posicionou Abraham que no 6° assalto escorregou e caiu, mas não teve essa queda como um knockdown favorecendo o novo campeão.

No encontro em Helsinque na Finlândia, Cobra recuperou o título que perdeu para o Viking em abril deste ano por decisão unânime. Tanto o vencedor quanto Abraham tem pontuação garantida para prosseguir para as semifinais do Super Six.

Nas semifinais será Carl Froch contra Glen Johnson e Arthur Abraham frente Andre Ward, uma luta que pode ter gosto de vingança. Em seu último combate Abraham acertou Andre Dirrell no chão e este se ausentou do torneio com tonturas e dores de cabeça, ele é um dos melhores amigos de Ward.





Andre Ward tem em Bika seu adversário mais duro na carreira

Andre Ward / Jeff Chiu AP Photo

Andre Ward (23-0-0, 13 KO's) manteve seu super cinturão dos supermédios da Associação Mundial de Boxe, mas com muita dificuldade venceu o camaronês Sakio Bika (28-5-2, 19 KO's) e ambos foram até “a distância” de 12 rounds com as plaquetas apontando 120-108, 118-110 e 118-110.

O americano que vinha de uma vitória no torneio Super Six sobre Allan Green saiu da noite de ontem com cortes sobre ambos olhos e levou também para casa uma cotovelada do africano. Para vencer confiou no seu jab de esquerda, tática empregada desde seu início no profissionalismo.

“Me cobro muito e não creio que me sai bem, entretanto, saímos com a vitória e estou orgulhoso disso. O estilo de Bika e o meu colidiram, batemos cabeças e cotovelos, fizemos o que devemos fazer para vencer”, declarou o campeão a ESPN.

Lutando em casa em Oakland, Califórnia, o americano não empregou golpes potentes, mas confiou em seu jab como se fosse uma ferroada que sabotou as tentativas de contra-ataque do pegador camaronês.

Previamente o adversário original para Ward seria seu amigo Andre Dirrell, que saiu do Super Six para cuidar de sua saúde se queixando de dores de cabeça e tonturas, saldo de um golpe na cabeça enquanto estava no chão em combate com o alemão Arthur Abraham.

Bika obteve sua segunda derrota consecutiva, mas mostrou-se como uma peça mais interessante ao Super Six do que Allan Green, americano substituto de Mikkel Kessler da Dinamarca que deixou o torneio para cuidar de problemas com a vista.

“Andre é um grande guerreiro e mereceu a vitória. Sou grato pela oportunidade concedida”, agradeceu Bika que veio ao ringue ao som de Bob Marley dançando e confiante. Deixou o local sem música e com um corte no olho esquerdo, mas ainda assim confiante como um verdadeiro leão indomável camaronês o mesmo orgulho visto nos futebolistas Roger Milla e Samuel Eto'o.





Juan Manuel Marquez nocauteia Katsidis e mantém títulos dos leves OMB e AMB

Juan Manuel Marquez / Isaac Brekken AP Photos


Juan Manuel Marquez (52-5-1, 38 KO's) nocauteou Michael Katsidis (27-3-0, 22 KO's) no 9° assalto em luta no MGM Garden Arena em Las Vegas, Nevada, E.U.A e manteve os títulos mundiais dos leves da Associação Mundial de Boxe e da Organização Mundial de Boxe.

O australiano Katsidis conhecido por entrar com um elmo de soldado greco-romano sofreu uma combinação muito forte e o árbitro Kenny Bayless optou por encerrar a contenda favorecendo o mexicano.

“Trabalhamos duro pra esta luta e pude sentir que meus golpes no corpo o estavam minando. É definitivamente a luta do ano”, declarou o vencedor para a ESPN. O combate não feito apenas pelo campeão tanto que foi enviado a lona com um hook de esquerda no 3° round.

Michael Katsidis (em pé) e Juan Manuel Marquez (caído) / Isaac Brekken - AP Photo

“A esquerda dele me surpreendeu. Não me protegi e fui pego, mas sabia como conduzir o combate com meu condicionamento e combinações. Por isso levantei tão rápido e o derrubei”, explicou a estratégia e a falha Marquez.

Após o encontro Katsidis foi para o hospital. “O Grande” como é conhecido o descendente de gregos aceitou lutar mesmo poucos meses do falecimento de seu irmão, o jóquei Stathi Katsidis em Outubro.

“Eu sabia que para vencê-lo teria de o parar. Mas é boxe e ele tem muita experiência, é mais forte do que eu e no final me parou. Não estou decepcionado, enfrentei muito para chegar a esta luta”, apontou Katsidis.













Andre Berto defende título meio-médio CMB


Andre Berto / Divulgação

O americano de raízes haitianas Andre Berto (27-0-0, 21 KO's) nocauteou o mexicano Freddy Hernandez (29-2-0, 20 KO's) em Las Vegas neste sábado com apenas 2 minutos e 7 segundos do 1° assalto na preliminar de Marquez e Katsidis. O campeão mandou um hook de esquerda e emendou um direto de direita com uma passagem de “última classe” para uma aterrizagem forçada na lona.

Em outra preliminar o cubano Erislandy Lara (14-0-0, 9 KO's) venceu o título vago médio-ligeiro Fedelatin da AMB dos ao bater o americano Tim Connors (10-2-0, 7 KO's) no 1° round.

sábado, 27 de novembro de 2010

Açougue é nocauteado na Inglaterra

Açougue / Ivan Storti

O brasileiro Carlos Nascimento (25-3-0, 21 KO's), o Açougue perdeu sua terceira luta no exterior por nocaute, desta vez frente ao inglês Martin Murray (21-0-0, 8 KO's) em disputa do título Internacional Associação Mundial de Boxe dos médios (72,5 kg), ontem.

O europeu foi mais decisivo aproveitando a superioridade de força, estatura e agilidade para dominar Açougue e encerrá-lo no 3° assalto com intervenção do árbitro apontando nocaute técnico.

Em 2007 Açougue perdeu para o campeão mundial supermeio-médio (69,8 kg) Sergiy Dzinziruk da Ucrânia, em combate na Alemanha, ano passado no Madison Square Garden em Nova York foi finalizado no 5° round pelo polonês Pawel Wolak.

A carreira do atleta de Seu Edu Mello segue em rota descendente e precisa de uma vitória forte no exterior ou em território nacional contra um adversário de destaque para que o pugilista volte ao caminho do sucesso.

Hasegawa é novo campeão dos penas CMB

Juan Carlos Burgos e Hozumi Hasegawa / Divulgação

O japonês Hozumi Hasegawa (29-3-0, 12 KO's) bateu o mexicano Juan Carlos Burgos (25-1-0, 18 KO's) e faturouo título vago dos penas (57,1 kg) do Conselho Mundial de Boxe quinta-feira em Nagoia, Japão.

Hasegawa também foi responsável pela perda da invencibilidade de Burgos. Agora o japonês tem dois títulos em seu currículo, foi campeão dos galos CMB entre 2005 e o começo deste ano, quando o perdeu para o mexicano Fernando Montiel.







Lesão na mão faz Tajbert perder cinturão para Aoh

Vitali Tajbert e Takahiro Aoh / Divulgação

Uma lesão na mão prejudicou o sonho do casaque-alemão Vitali Tajbert (20-2-0, 6 KO's) de manter o título dos superpenas (58,9 kg) do Conselho Mundial de Boxe e o viu ir para a cintura do japonês Takahiro Aoh (20-2-1, 9 KO's) na noite de quinta-feira em Nagoia no Japão.

O europeu ainda teve um encontro com a lona no 3° assalto, cortesia do novo campeão que por sua vez não foi uma presa fácil e manteve uma boa frequência de contra-ataques e deixou o rosto do asiático inchado. Mesmo assim a lesão na mão direita sabotou seus planos e viu Aoh levar por 117-112, 115-112 e 116-112. A luta merece revanche.

Após ser baleada e esfaqueada Christy Martin tem casa assaltada

Christy Martin / Divulgação

Christy Martin foi esfaqueada e baleada nesta quinta-feira e enquanto está hospitalizada sua casa foi invadida, o xerife do Condado de Orange não passou a informação se roubaram algum pertence da atleta.

Pioneira no boxe feminino nos anos 1990, seu caso tem como principal suspeito o marido James Martin, o qual a mesma acusa e é procurado pela polícia local. Christy tem situação estável no hospital.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Zumbano pega hoje Pucheta e pode encarar Holyfield

Miguel de Oliveira, Raphael Zumbano e Éder Jofre / Uol

Raphael Zumbano (28-4-1, 23 KO's) encara hoje o argentino Manuel Alberto Pucheta (32-4-0, 25 KO's) em defesa ao seu título interino dos pesados latinos da Organização Mundial de Boxe. A contenda será às 20 horas na academia Companhia Athletica Brooklyn, na qual o paulistano treina com o campeão mundial Miguel de Oliveira (anos 70). Caso vença será possível que encontre o lendário tetra-campeão mundial Evander Holyfield.

A luta vale como uma espécie de eliminatória pelo título mundial da Federação Mundial de Boxe – 2° divisão –, o mesmo já pertenceu a Maguila em 1995 quando bateu o inglês Johnny Nelson. O vitorioso hoje encara o vencedor da peleja entre Holyfield e adversário ainda não definido, sua luta com Sherman Williams foi cancelada.

Para Zumbano é como um sonho “poder enfrentar o Holyfield me dá ainda mais motivação para vencer o Pucheta. É muito legal estar tão próximo de um cara que foi meu ídolo desde criança, contra quem sempre imaginei lutar. Sempre assistia aos combates do Holyfield pela TV”, declarou ao site UOL.

Evander Holyfield tem 48 anos e persegue a oportunidade de se tornar o campeão mais velho do esporte batendo o recorde de seu antigo rival George Foreman que o fez aos 45 – tanto que é membro do Hall da Fama do Boxe –. Holyfield quase faturou o título em 2008 aos 46 contra o então campeão Nikolay Valuev da Rússia, mas o americano foi lesado pelos juízes.

Zumbano capturou o cinturão há 4 meses e vem numa sequência de 12 vitórias consecutivas, porém sofreu derrotas na Argentina e Alemanha há 2 temporadas, vale lembrar que as perdeu por pontos e não nocaute – tem alto limiar de dor –.

O proprietário do título regular é Marcelo “Martelo” Nascimento que já anunciou esperar o vencedor do confronto de hoje e aponta Zumbano como favorito. Martelo em sua estreia no boxe derrotou o mesmo Zumbano.

Neto de Ralf Zumbano e primo de Éder Jofre é o último membro do clã Zumbano-Jofre a calçar luvas de boxe e encarar o ringue. E tem como principal meta manter o legado da maior dinastia familiar nos ringues.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Wolak sobe no ringue no lugar de Gomez para encarar Chávez Jr.

Pawel Wolak / Divulgação

A ressonância magnética apontou um pequeno rompimento dos ligamentos do cotovelo esquerdo, e o que parecia ser apenas uma lesão de treino afastou o ex-participante do reality show The Contender Alfonso Gomez do México de seu combate frente ao seu compatriota Júlio César Chávez Jr. (41-0-1, 30 KO's) no dia 4 de dezembro.

O empresário Bob Arum elogia Gomez afirmando que este poderia fazer como tantos pugilistas e subir no ringue apenas pelo cachê e após os rounds iniciais alegar dores no ombro, entretanto, preferiu repousar e privar o público de uma encenação como acontece com alguns boxeadores.

Para substituir o carismático ex-contender surge o polonês radicado americano Pawel Wolak (27-1-0, 17 KO's) que já havia tentando encarar Chávez Jr., mas as negociações não seguiram a diante. O filho do lendário Júlio César Chávez defenderá seu cinturão prata do Conselho Mundial de Boxe da categoria médio (72,6 kg).

Wolak é mais perigoso que Gomez, agressivo gosta de pressionar seus oponentes. O público brasileiro o conhece pela derrota que impôs a Carlos Nascimento, conhecido como “Açougue” no Madison Square Garden.

Christy Martin é esfaqueada e baleada, marido é procurado como suspeito

Christy Martin / Sports Illustrated


A polícia da Flórida, nos E.U.A relata que a boxeadora Christy Martin, 42, foi esfaqueada e baleada no tronco e perna esquerda pelo marido James Martin, 66, em sua casa, mas conseguiu correr e pedir ajuda a um motorista.

Os oficiais de polícia ainda procuram por James Martin, suspeito pelo crime. Christy sofre de ferimentos no tórax e perna esquerda, porém sem risco de morte.

Christy Martin foi uma das pioneiras do boxe feminino na década de 1990, e capturou a atenção da imprensa americana. Foi promovida por Don King e figurou em preliminares de embates de Mike Tyson. Em seu currículo constam vitórias sobre Mia St. John, Marcela "La Tigresa" Acuña (então debutante) e Belinda Laracuente.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Gael García Bernal será Roberto Durán nos Cinemas

Gael García Bernal / Divulgação

Al Pacino sobe ao córner como Ray Arcel

O ator mexicano Gael García Bernal (Diários de Motocicleta) viverá nos cinemas o lendário pugilista panamenho Roberto “Mão de Pedra” Durán, ex-campeão mundial de boxe, em obra dirigida pelo venezuelano Jonathan Jakubowicz. Al Pacino (Poderoso Chefão) participará como o treinador Ray Arcel.

O orçamento da produção de Ben Silverman e Paul Webster será de US$ 15 milhões com cenas rodadas no Panamá e Nova York, o título é Hands of Stone (Mãos de Pedra). “Estou entusiasmado por Gael interpretar Roberto Durán. É uma história que causará um grande impacto”, comentou Silverman para a revista Variety.

Robin Durán, filho do pugilista entra como produtor associado. Cotado para o elenco está também o espanhol Oscar Jaenada ainda sem papel definido. Jakubowicz além de roteirista também participará da produção.

Roberto Durán estreou profissionalmente ainda na adolescência com apenas 16 anos em 1968 e deixou o tablado em 2002 aos 50. Reconhecido mundialmente como um dos melhores de todos os tempos protagonizou um episódio com o também renomado Sugar Ray Leonard que será abordado na película.

Em junho de 1980 derrotou Sugar Ray e se tornou campeão peso meio médio. Na revanche no final em novembro retornou após o encerramento do 8° assalto e declarou “No más, no más” (Não Mais, não mais”) e o título voltou para o americano. “Aquela luta do 'no más' é o enigma maior na história do boxe. Este filme desvelará esse enigma”, declarou Jakubowicz.

Roberto Durán / Divulgação

Al Pacino / Divulgação

Ray Arcel / Divulgação

Duran x Leonard II - No más





Martelo espera por Zumbano

 Marcelo "Martelo" Nascimento / Hélcio Toth

Raphael Zumbano (28-4-1, 23 KO's) defende nesta sexta-feira dia 26 seu título latino interino da Organização Mundial de Boxe (OMB) do argentino Manuel Alberto Pucheta (32-4-0, 25 KO's). O campeão regular do cinturão espera pelo descendente da dinastia Zumbano-Jofre para definir o dono de fato da coroa.

Conhecido pela potência de seus golpes e por ter sido o único brasileiro a derrotar o argentino Gonzalo Omar Basile que vinha fazendo uma fila com lutadores do Brasil, Marcelo “Martelo” Nascimento (13-0-0, 11 KO's) aguarda Zumbano e vê seu colega como favorito ao combate desta semana.

“Tem o boxe clássico da escola dos Zumbano”, aponta Martelo sobre seu possível futuro adversário e demonstra muito respeito pelo colega e afirma que não gosta de falar muito sobre as lutas, mas sim que prefere “conversar com as mãos em cima do ringue”.

Em 2007, quando estreou nos ringues, Martelo bateu Raphael Zumbano em 4 rounds por pontos. Se ambos voltaram e a se encontrar será uma revanche e um ponto determinante na carreira dos dois gladiadores.

Do tatame ao boxe

O rapaz de jeito simples e interiorano afirma ter estudado muito o jogo de “Paton” Basile e percebeu falhas no sistema defensivo tanto que com apenas um cruzado acabou com o rival com exatos 34 segundos em frente a sua própria torcida. Martelo aponta que Basile não aguenta pressão forte na “guarda vulnerável”, porém se chegar intimidado o valentão vai querer crescer.

Sobre a experiência no país de lendas como Pascual Perez e Carlos Monzon, Martelo vê que foi melhor do que se apresentar no Brasil, o reconheceram nas ruas após sua apresentação e lá entrou em contato com uma cultura de boxe que envolve desde crianças a idosos.

Oriundo de Suzano no interior de São Paulo, Marcelo Nascimento de 30 anos entrou pro boxe com 24, mas não era novato no mundo das lutas. Com 11 começou a treinar caratê e foi até os 18, depois migrou para o kickboxing e ficou até conhecer a nobre arte.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Rosilette bate argentina em casa

Rosilete / Lineu Filho

Rosilette dos Santos (22-5-0, 13 KO's) venceu a argentina Renata Lopez (3-3-1, 2 KO's) por pontos no sábado 20 de novembro em Castro no Paraná, seu território. A brasileira não encontrou dificuldades para dominar a oponente menos experiente.

A pugilista ex-boia fria busca uma oportunidade de ascensão no panorama mundial, atualmente ocupa a 7° colocação na Associação Mundial de Boxe e Conselho Mundial de Boxe, instituições de 1ª grandeza, enquanto, mantém o título mundial da Comissão Mundial de Boxe, grupo de 2° escalão.

Em sua última contenda, a paranaense sofreu uma derrota para Marcela Eliana Acuña que defendia o cinturão super-galo CMB e venceu a brasileira por nocaute técnico no 10 assalto. Ídolo em seu país, Acuña encerra a carreira em dezembro contra Shantel Martinez.

Clique aqui para assistir a matéria da Globo do Paraná da luta de Rosilette.

domingo, 21 de novembro de 2010

Casca consegue knockdown, mas perde na Irlanda

Andy Murray / RTÉ Sport


O irlandês Andy Murray (23-0-0, 12 KO’s) vence Claudinei “Casca” Lacerda(13-2-0, 9 KO’s) por decisão unânime após sofrer um knockdown no 1º round em combate realizado em seu país. Os placares apontarem 98-92 triplo.

Com apenas 50 segundos de luta Casca mandou o europeu pro solo, e o ameaçou durante o restante do combate tanto que no 3º e 4º rounds levou a melhor utilizando de poderosas sequências.

Conforme a imprensa local Murray se beneficiou por sua técnica e habilidade que lhe valeram a opinião dos jurados.





"Maravilla" Martinez nocauteia Williams no 2º assalto

Sergio Maravilla Martinez e Paul Williams / Marty Rosengarten RingsidePhotos

Um potente cruzado derrubou o americano Paul Williams (39-2-0, 27 KO’s) no 2º assalto de seu desafio pelo cinturão dos médios em poder do argentino Sergio “Maravilla” Martinez (46-2-2, 25 KO’s) em Nova Jérsei, nos E.U.A.

O argentino se vinga na revanche da derrota sofrida por decisão majoritária em dezembro da última temporada no mesmo local nos punhos do ex-campeão dos meio-médios OMB. Também comprova seu status como força na categoria e possível futura lenda saída de seu país como Pascual Perez e Carlos Monzon.

“Meu plano é realizar mais duas ou três lutas antes de me aposentar e gostaria que fossem com Pacquiao ou Mayweather”, declarou Martinez em referência a Manny Pacquiao e Floyd Mayweather Jr. considerados os dois melhores da atualidade.

O empresário Lou DiBella que representa Martinez acredita que os dois evitaram contato com seu lutador para não ameaçar suas carreiras e chances de ganhar dinheiro e aponta o sul-americano como o mais completo no momento.

Na preliminar o campeão dos cruzadores (96,7 kg) Zsolt Erdei (32-0-0, 17 KO’s) da Hungria bateu o queniano Samson Onyango (20-7-0, 13 KO’s) em combate exibicional, sem valer o título, por decisão unânime.

Arias vence em meio à sangue e cuspe de argentino

 George Arias / João Pires Uol

O pesado brasileiro George Arias (46-11-0, 33 KO’s) manteve o cinturão sul-americano dos pesados após a desclassificação do desafiante argentino Emilio Ezequiel Zarate no 10º round por cuspir 7 vezes o protetor bucal. A luta foi em São Paulo, no bairro da Barra Funda.

Arias dominou amplamente o combate, no começo parecia que a envergadura do desafiante seria um incomodo, mas o campeão conseguiu se aproximar e depois não deixou a luta ser à distância.

Zarate tem 1,97m contra 1,81m, mas o filho de Santo Arias que tinha o pai no corner soube driblar a “desvantagem” e parecia cortar o tronco de jequitibá argentino com um machado tanto que o sangue fluía do nariz do desafiante.

Percebendo o risco da derrota iminente, Zarate passou a cuspir o protetor bucal para poder ganhar tempo, o equipamento foi execrado de sua boca por 7 vezes e o árbitro decretou sua desclassificação dando a vitória e a manutenção do título para Arias que se tivesse mais pegada finalizaria, mas mostrou que tem um forte esquema defensivo.

sábado, 20 de novembro de 2010

Michael Oliveira nocauteia em estreia no Brasil

Junior Ramos (esq.) e Michael Oliveira (dir.) / João Pires -Uol

O pugilista nascido no Brasil e naturalizado americano Michael Oliveira(13-0-0, 11 KO’s) bateu por nocaute no 3º assalto o dominicano Junior Ramos (10-5-0, 6 KO’s) há pouco no Espaço das Américas, no bairro da Barra Funda na capital paulista. A luta foi na categoria supermédio (76,2 kg) e marca a estreia de Oliveira no país que nasceu.

Michael apresentou uma potente pegada de direita e se mostra um farejador de sangue no ringue. Parte para o nocaute com ímpeto, porém deixa a guarda aberta principalmente no lado esquerdo com a luva mais baixa.

A curta passagem no amadorismo lhe traz defasagens no jogo de pernas, o atleta é ainda está um tanto duro no ringue, mas com lutas como as de hoje se soltará. Sua atuação lhe rendeu elogios do Galo de Ouro, Éder Jofre que até então não o havia assistido antes.

Ramos antes disputara o título latino da CMB, e acumula sua 2º derrota consecutiva. No ringue ameaçou o brasileiro no 1° round, mas foi a lona no assalto seguinte e depois mais uma vez no 3° para finalmente ser nocauteado.

No corner de Michael além de seu técnico esteve auxiliando Miguel de Oliveira, nosso segundo campeão mundial – pesos médio-ligeiros. Na categoria dos supermédios Michael tem espaço para crescer com uma boa pegada, mas não é o melhor brasileiro do momento, posto que pertence à Jackson Jr., protegido do medalha de bronze nos Jogos do México, Servílio de Oliveira.

O pai de Michael espera uma luta para março do ano que vem no Rio de Janeiro. Com essa iniciativa o boxe pode voltar a ocupar espaço de destaque no gosto popular e nos meios de comunicação. É prudente guiar a carreira do jovem com cautela para colher suculentos frutos.

Para assistir ao compacto da luta clique aqui.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Éder e eu

Éder Jofre e Gabriel Leão (2006) / Arquivo Pessoal


Hoje Éder Jofre comemora 50 anos da conquista do título mundial dos galos dando enorme prestígio ao Brasil no boxe e no universo esportivo, afinal, é um dos maiores atletas do século XX. Todas homenagens ainda ficam pequenas pela grandiosidade deste homem e o orgulho que trouxe à um país que sofre de complexo de vira-lata.

Desde minha infância meu avô me conta histórias de boxeadores. Assisti ao seu lado lutas de Mike Tyson, Julio Cesar Chaves e Evander Holyfield na Globo. E ele sempre falava de Muhammad Ali, Joe Louis e Éder Jofre. Minha admiração pelo Galo de Ouro vem desde os tempos de menino.

No dia 15 de abril de 2006 o conheci pessoalmente, a entrevista ainda me abre muitas portas no jornalismo e a partir dela passei a cobrir mais o boxe. A moda no Brasil é o MMA com o qual trabalhei no passado, portanto senti que a nobre arte é carente de narradores.

Éder me recebeu no saguão do prédio que mora no centro de São Paulo. Figura carismática de aperto de mão firme e riso fácil. Me deu um conselho que carrego até hoje, e é uma das pessoas que entraram pra minha vida além do jornalismo.


Obrigado Campeão!


Confira as homenagens ao Galo de Ouro em outros veículos

Presente e passado do boxe, Michael Oliveira e Eder Jofre sobem ao ringue

'Se eu fosse os outros, nunca iria querer enfrentar o Eder Jofre'

Vítima de Eder pelo cinturão, mexicano se rende em elogios: 'perfeito'

Eder Jofre celebra 'redescobrimento' nos 50 anos do 1º título mundial do Brasil

Fora do ringue, Eder tentou o futebol, mostrou talento na arte e foi vereador

Primo de Eder, peso pesado é a 'última' esperança do clã Jofre-Zumbano

Eder Jofre coloca Brasil na galeria do boxe mundial

O Eterno Galinho de Ouro

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Éder Jofre será homenageado amanhã no São Paulo Futebol Clube

Rogério Ceni e Éder Jofre / Divulgação

O São Paulo Futebol Clube prepara uma homenagem aos 50 anos do título mundial dos galos conquistado por Éder Jofre na quinta-feira. No ringue o pugilista bateu o mexicano Eloy Sánchez pelo cinturão que estava vago e colocou o Brasil no mapa mundial do boxe além de se tornar um dos maiores atletas do século XX.

Aos 74 anos, Éder recebe homenagens neste ano. Foi lutador do São Paulo, e seu pai foi treinador do clube, além de ser são-paulino de coração. Seus troféus e medalhas estão expostos nas dependências do clube.

Éder além de conquistar o título dos galos, pelo qual ficou conhecido como “Galo de Ouro”, foi rei dos penas em 1973 após um período sabático. As puxadas de tapete de empresários e as mortes do pai Kid Jofre e do auxiliar de ringue e irmão Dogalberto o fizeram aposentar.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Errata: Pit despacha Ruy da Glória com uppercut no 3° assalto

Pit (em pé) e Ruy da Glória (ajoelhado) / Hélcio Toth


Não houve conversa entre Alexsandro “Pit” Cardoso (12-0-0, 11 KO's) e Ruy da Glória (14-13-1, 11 KO's) e o atleta da equipe de Seu Edu Mello dominou a contenda desde o início acabando com Da Glória no segundo assalto, na noite de hoje no Conjunto Baby Barioni na capital paulista.

Com Pit vieram seus alunos, frequentadores de academias de classe A e B – o que evidencia o potencial do boxe de dialogar com tal público, agregar distintas classes sociais e principalmente atrair DINHEIRO! - e estes jovens apoiaram seu professor durante sua breve passagem no ringue.

No primeiro round, Pit estudou um pouco Da Glória, mas partiu para cima e o acertou com um golpe de direita no baço que o mandou a lona, recuperado o veterano voltou para o embate. No segundo Pit emendou sequências usando bem o pêndulo e penetrando a guarda adversária com um uppercut que lhe rendeu a vitória por nocaute técnico no 3° assalto com um gancho no fígado.

Ruy da Glória vem de uma derrota por desclassificação para Pedro Otas em fevereiro deste ano ao tentar convencer o árbitro Norberto Polimeno de ter sido atingido abaixo da cintura. No demais é um adversário competente, porém vê suas chances de brilhar minguarem a cada revez que acumula em seu cartel.

Pit Cardoso aos 30 anos investe no curso superior de Educação Física. Nos quadros atuais do boxe internacional é cada vez mais difícil ver alguém aplicar uppercuts e ter um jogo de cintura como o do capixaba residente em São Paulo. É triste ver um boxer como ele não ter chance num mundo que pugilistas parecem cada vez mais com bonecos lango-lango.

Errata: Pit venceu no 3° round e não no 2° como divulgado anteriormente.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Raphael Zumbano encara Manuel Pucheta pelo título latino dos pesados OMB

Zumbano / Divulgação

Raphael Zumbano (28-4-1, 23 KO's) sobe no ringue da CIA Athletica em São Paulo pelo seu título latino interino da Organização Mundial de Boxe (OMB) frente ao argentino Manuel Alberto Pucheta (32-4-0, 25 KO's) no dia 26 de novembro.

O último descendente da dinastia Zumbano-Jofre nos ringues pretende manter o título conquistado frente a Ismael Ortiz Ruiz da Bolívia em abril deste ano. Nesta temporada efetou 3 combates de preparação para este contra Pucheta.

Pucheta representa o maior desafio do boxeador de 29 anos nesta temporada. O argentino já foi campeão Mundo Hispano e Latino do Conselho Mundial de Boxe. Sua luta mais longa foi por decisão unânime em 8 rounds. Zumbano já foi “até a distância” e lutou 12 rounds em disputas de coroas.

O campeão regular do cinturão é Marcelo Martelo que derrotou em sua última apresentação Gonzalo Omar Basile e terá de defender o título frente ao vencedor de Zumbano x Pucheta.

Margarito passará por cirurgia no rosto

Antonio Margarito / Robyn Beck - AFP Getty Images

Antonio Margarito (38-7-0, 27 KO's) foi encaminhado ao hospital após o combate com Manny Pacquiao (52-3-2, 38 KO's) no sábado e será submetido à cirurgia terça-feira no Texas, E.U.A. O saldo da sua derrota foi a órbitra fraturada em razão das sequências do filipino.

O técnico de Pacquiao que foi ofendido pelo mexicano por sofrer de Parkinson criticou o córner rival e o árbitro por não interromper o combate e deixá-lo prosseguir “até a distância”, ou seja, até o último round, o 12°.

“Sem chance de pular fora. Sou mexicano e luto até o final”, declarou Antonio Margarito com a face toda marcada. “Ele é um cara durão”, declarou Roach, considerado o melhor da atualidade.O próprio Pacquiao no 11° pediu ao árbitro que interrompesse o embate, porém não foi atendido.

Margarito foi suspenso por um ano ao ser flagrado com gesso líquido em suas bandagens após a derrota homérica para Sugar Shane Mosley que lhe custou também o super título da Associação Mundial de Boxe dos meio-médios.

Com a vitória Pacquiao fatura o título dos meio-médio ligeiros do Conselho Mundial de Boxe (CMB) além de manter a coroa dos meio-médios da Organização Mundial de Boxe (OMB) e se torna o dono do maior número de títulos de agremiações importantes em divisões distintas totalizando 8 cinturões.

Seus 8 títulos o colocam sobre lutadores consagrados como Oscar de La Hoya (6 títulos), Floyd Mayweather Jr. (5 títulos), Sugar Ray Leonard (5 títulos) e Thomas Hearns (5 títulos) e o válida como um dos maiores de todos os tempos.

domingo, 14 de novembro de 2010

Pacquiao detona Margarito

Antonio Margarito (esq.) e Manny Pacquiao (dir.) / Reuters


Manny Pacquiao (52-3-2, 38 KO's) estraçalhou Antonio Margarito (38-7-0, 27 KO's) durante 12 assaltos e conquistou sua oitava coroa, o título dos meio-médio ligeiros do Conselho Mundial de Boxe que estava vago.

Apesar de menor e mais leve, Pacquiao castigou tanto Margarito que este praticamente não podia ver de tão inchados que ficaram seus olhos ao mesmo tempo que parecia usar uma máscara vermelha conforme o sangue escorria por sua face durante o evento de sábado no Texas, E.U.A.

Frente a uma plateia de 41,734 fãs Pacquiao afirmou seu status de maior pugilista enfrentando um adversário muito maior e mais forte além de perigoso, afinal para quem foi suspenso por utilizar gesso líquido em um combate e não respeitar o Mal de Parkinson que aflinge o treinador do rival filipino, Freddie Roach, táticas escusas são rotina.

Um corte na bochecha, olho direito fechado e hematomas foi o que o mexicano Margarito ganhou por subir no ringue com o melhor pugilista da atualidade e melhor da década. Os socos fluíam com a agilidade de um mini Bruce Lee parecendo cena de cinema.

Muitos pensavam que a eleição de Pacquiao para o congresso das Filipinas o distrairia, mas este mesmo mostrou que consegue manter ambas atividades e também demonstrou nobreza ao pedir no 11° assalto que o árbitro interrompesse a surra.

“Mal acredito que bati alguém tão grande e tão forte. Foi duro, dei o meu melhor no combate”, declarou o vitorioso boxeador-político.

Pacquiao teve de subir de peso para encarar Margarito conhecido pelo peso de seu punho. “Nunca pensei em desistir. Sou mexicano e luto até o final”, afirmou Margarito. As plaquetas apontaram sua derrota por 120-108, 119-109 e 118-110.

“Não perdemos nenhum round, mas eu gostaria que tivessem interrompido a luta”, falou o técnico Freddie Roach tido como melhor do momento e que foi alvo das gozações de Margarito em uma emissora de TV por ser portador do Mal de Parkinson.

“Eu disse ao árbitro, 'olha os olhos dele, olhe seus cortes'. Eu não queria machucá-lo pra sempre. Boxe não é isso”, reclamou Pacquiao.

Roach previu a vitória do pupilo, mas o filipino afirma que Margarito o machucou na região do tronco nos rounds intermediários. “Manny é o melhor do mundo, é rápido demais”, reconheceu Robert Garcia, treinador de Margarito.

Antes do embate a equipe de Pacquiao encontrou um suplemento alimentar para perca de peso no vestiário de Margarito e exigiu teste de doping antes do combate, mas a comissão afirmou que este é feito após a exibição.

Nesta noite o filipino fez jus ao apelido de Pac-Man – aquela bolinha amarela comilona dos games – e faturou seu oitavo título com tranquilidade, e mesmo tendo o domínio do embate sua mãe Dionesia Pacquiao sofreu durante a apresentação e teve um ataque de pânico. Foi medicada e agora passa bem.

Antonio Margarito no fim do combate / Reuters

Haye defende título dos pesados AMB com apenas 3 rounds


David Haye (esq.) e Audley Harrison / Jon Super AP Photo

A luta entre os britânicos ex-amigos estava programada para 12 assaltos, mas David Haye (25-1-0, 23 KO's) precisou de apenas 3 assaltos para despachar o campeão olímpico de Sidnei 2000, Audley Harrison (27-5-0, 20 KO's) com um nocaute técnico e manter o título dos pesados da Associação Mundial de Boxe.

Há 13 anos não havia uma disputa de cinturão dos pesados entre britânicos e público teve uma “amostra grátis”, já que o árbitro Luis Pabon teve de interromper a luta após sequências furiosas de Haye.

No round de abertura, Harrison avançou pouco sobre o oponente menor e não causou muitos danos e as vaias tomaram a plateia. Na sequência o campeão soltou algumas combinações que fizeram o olímpico ficar cauteloso e hesitante.

No 3° giro veio uma sequência de hooks e uppercuts contra o desafiante e este foi a lona regressando apenas na 8ª contagem. Ao levantar foi surpreendido por mais uma avalanche de punhos e Pabon encerrou a disputa com 1 minuto e 53 segundos.

“Fui paciente, sabia que as vaias se tornariam em aplausos”, declarou Haye que ao termino abraço o antigo parceiro de treinos e disse aos repórteres na coletiva: “qualquer diferença que tivemos fica no passado”.

“Nós fizemos sacrifícios para subir no ringue”, afirmou Haye. “Me sai melhor e fui confiante o tempo todo. O fato dele evitar olhar nos meus olhos quando entrei no ringue mostrou que não estava afim de cair dentro. Eu adoro quando olho nos olhos deles e digo: 'vamos fazer isto'. Ele evitou e olhava pra tudo quanto era lugar, menos meus olhos”.

Haye afirma que apostou no 3° giro e que sua família e amigos também. Harrison deixou o ringue vaiado por jogar na defensiva a maior parte do tempo.

“Fui acreditando na vitória. Senti que fosse meu momento, mas não era. Pensei que estavam vaiando ambos, Haye e eu, e estava confortável que meu plano estava funcionando. Mas reconheço o valor de David. Tem pegada e sabemos disso. Não congelei lá em cima, não vou arriscar meu queixo lá. Não sou do estilo “entusiasmado”. Estou desapontado, mas não tenho desculpas. Tive a chance pelo título mundial e perdi”, reconhece Harrison.

Haye quer os irmãos Klitschko

O britânico campeão da AMB mantém seu interesse nos irmãos Vitali e Wladimir Klitschko, o primeiro é campeão pesado pelo Conselho Mundial de Boxe (CMB) e o caçula é dono dos títulos pesados da Federação Internacional de Boxe (FIB) e Organização Mundial de Boxe (OMB).

“Eu sou o cara, não há mais ninguém para eles encararem e lutarei com qualquer um deles”, declarou Haye. “Acontecerá porque eles não têm mais pra onde ir. Não há ninguém que empolgue mais ou traga mais dinheiro que eu”.

Entretanto, o empresário dos ucranianos, Bernd Bonte questiona a validade da vontade de Haye de encarar seus clientes. “Estaremos mais que felizes em realizar o embate. Temos até um contrato esperando (para lutar com Wladimir), mas ele pulou fora. Houve negociações com Vitali, mas ele as interrompeu. Não cremos na possibilidade de entrar em acordo com ele”.

As negociações entre Haye e os irmãos iniciaram ano passado, mas não frutificaram, em um momento Haye alegou condições exploratórias e em outro sofreu uma lesão que prejudicou o futuro combate.

“Wladimir o desafiou em uma coletiva de imprensa há três semanas. Acho que Haye está sempre procurando por uma desculpa, não creio que ele pense ser capaz de bater os Klitschkos”, afirma o homem de negócios.

Bonte também defende que um problema é a divisão dos lucros e que Haye não quer dividir pela metade. Vitali aceita passar a chance, pois teve em Lennox Lewis seu grande adversário, mas Wladimir não sossegará enquanto não lutar com Haye, afirma o empresário.

O lendário Lennox Lewis acredita que os Klitschkos precisam de Haye e que seu compatriota é capaz de derrotá-los.

Smith é a primeira campeã da FIB

Daniella Smith / Divulgação


A neozelandesa Daniella Smith (10-1-0, 0 KO's) bateu a alemã Jennifer Retze (10-1-0, 7 KO's) para ser a primeira campeã meio-médio (66,6 kg) da Federação Internacional de Boxe. O combate foi sexta-feira em Berlim, Alemanha.

Smith, 38, faturou o cinturão em dez rounds com vitória por decisão unânime, as plaquetas apontaram 96-9, 96-94 e 99-90. Conforme a FIB as contentoras ao título devem apresentar ao menos dez combates no cartel.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Margarito em vídeo faz piada com doença de treinador de Pacquiao

Antonio Margarito / Divulgação

Roach sofre de Mal de Parkinson

Após ser pego com gesso líquido nas bandagens ano passado e ter sido suspenso por uma temporada, Antonio Margarito apronta novamente. Desta vez tira sarro do Mal de Parkinson que acomete o técnico Freddie Roach, preparador de Manny Pacquiao, futuro rival do pseudo-comediante.

A difamação foi feita em uma entrevista em vídeo e foi parar na internet. O técnico de Margarito, Robert Garcia, pediu desculpas pelo vídeo para a imprensa durante uma coletiva alegando que a intenção não era gozar o mal de parkinson, e que a rivalidade era apenas entre as equipes dos lutadores.

Na mesma coletiva Roach não se manifestou sobre o vídeo, mas após afirmou que não vê sinceridade nas desculpas de Garcia. No vídeo Margarito contorce o rosto e levanta a mão de forma trêmula, enquanto, seu amigo e também pugilista Brandon Rios faz gestos parecidos e chama pelo nome de Pacquiao.

“Foram desrespeitosos comigo e meus problemas, é como um tapa na cara, pois como dizer 'olha fui pego (com gesso na mão), mas continuo aqui lutando'. Creio que isso mostra o verdadeiro caráter deles. Não acredito que sejam boas pessoas. Não vou incomodar o Manny Pacquiao, ele não odeia ninguém, mas eu odeio esses caras”, declarou Roach.

Pacquiao afirmou não ter visto o vídeo. Roach afirma que checará as bandagens de Margarito. “Não confio neles, o cara faz qualquer coisa pra vencer, ele já fez antes, é um trapaceiro”, defende Roach, considerado o melhor técnico da atualidade.

O encontro será dia 13 de novembro (sábado) no estádio do time de futebol americano Dallas Cowboys, em Arlington, no Texas, E.U.A. A luta será válida pelo título vago dos médio-ligeiros (69,9 kg) pelo Conselho Mundial de Boxe. No Brasil o evento será transmitido pelo canal a cabo, Premiere Combate.

Cláudio Coelho lança biografia nesta sexta-feira

Claudio Coelho / Marcelo Alonso

Cláudio Coelho é uma referência no treinamento de boxe para lutadores de MMA há aproximadamente 20 anos além de ser o criador da equipe Nobre Arte. Sexta-feira dia 12 lança na Academia Delfim na Tijuca, Rio de Janeiro sua biografia.

O técnico preparou atletas lendários do octógono como Marco Ruas, Traven, Castello Branco, Murilo Bustamente e os irmãos Rickson, Renzo e Royler Gracie. A nobre arte auxiliou na vida de Coelho que passou por dificuldades na favela em que cresceu e evitou a marginalidade.

Academia Delfim
Rua Pereira de Siqueira, 45 – Tijuca, Rio de Janeiro próximo a estação de metrô São Francisco Xavier.
Horário: 19 horas

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Mayweather Jr tem ordem de afastamento de ex-mulher

Floyd Mayweather Jr. e Roger Mayweather / Associated Press

O pugilista Floyd Mayweather Jr. deve se manter afastado de sua ex-esposa Josie Harris, mãe de três de seus quatro filhos, por ter a agredido em um incidente doméstico em setembro. O boxeador não esteve no Tribunal do Condado de Clark em Las Vegas quando a sentença foi emitida.

Mayweather Jr. foi acusado de agredir Harris e ameaçá-la de morte além de roubar o Iphone (telefone celular) da vítima por ciúmes de um suposto caso da mesma com um jogador de basquete. A fiança ficou em US$ 31 mil (R$ 53 mil) e “Money” Mayweather terá de se apresentar ao tribunal em janeiro.

Tio também com problemas na justiça e pai internado

Outro com problemas na Justiça, é seu tio, Roger Mayweather, acusado de agredir uma ex-pupila, o treinador e ex-pugilista. Seu julgamento foi adiado para janeiro.

Além dos problemas com a ex e o tio, Mayweather Jr. também tem uma relação conturbada com seu pai e ex-técnico que foi internado em Las Vegas na última sexta-feira com fortes dores no peito que se estendiam até as costelas.

Chisora considerado culpado por agredir namorada, mas não vai pra cadeia

Dereck Chisora / Getty Images


O pesado britânico Dereck Chisora foi considerado por ter atacado sua ex-namorada, mas cumprirá pena depois da luta pela qual desafia o campeão mundial da OMB e FIB, Wladimir Klitschko da Ucrânia no dia 11 de dezembro na Alemanha.

O juiz distrital Quentin Purdy impôs a sentença de 12 semanas na prisão que foi suspensa por 2 anos. Chisora terá de pagar uma compensação de 1.500 libras e os custos de 500 libras. Também deve cumprir 150 horas de trabalho comunitário.

Não é o primeiro episódio envolvendo Chisora que já agrediu um policial e foi pego por posse de arma de fogo. O representante do boxeador, Philip Moy alega que seu cliente pode sofrer mais sanções, pois terá de se apresentar para o Órgão de Controle do Boxe Britânico.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Para Lennox Lewis, Harrison pode dar um pedala Haye

Haye e Harrison / FotoMontagem - BBC


Para o ex-campeão dos pesados e membro do hall da fama do boxe Lennox Lewis, o desafiante Audley Harrison pode surpreender o campeão da Associação Mundial de Boxe e seu ex-amigo, David Haye.

Lewis aponta que Harrison sabe que esta é sua última grande chance e vai aproveitar pelo fato de também ser um dos maiores combates do Reino Unido no boxe recente na categoria máxima com expectativa de 22 mil fãs no evento e recorde de pay-per-view.

Mesmo apontando o fator surpresa do desafiante, Lewis vê Haye, 30, como o pugilista superior no dia 13 de novembro declarando que as combinações rápidas do campeão serão sua melhor arma contra campeão olímpico de 39 anos.

Lennox Lewis / Divulgação

Para conferir a matéria e áudio de Lewis na BBC clique aqui.


Para Haye “contrato escravo” não é bem vindo

Haye que mostra interesse em enfrentar os irmãos Vitali – campeão CMB – e Wladimir Klitschko – campeão OMB e FIB – expressou que precisa de um contrato plausível, sem exigências mirabolantes.

Haye não quer dividir a grana do pay-per-view da Sky Sports, enquanto os irmãos pedem a partilha do que for transmitido no sistema na Alemanha, E.U.A e Inglaterra. Haye quer só o que for obtido em seu país deixando para os rivais os lucros da transmissão alemã.

Bernd Boente, empresário dos Klitschkos, não vê a proposta de forma boa para seus clientes e reconhece que a renda gerada na Inglaterra será muito maior que a germânica. O homem de negócios também nega a obrigatoriedade de mais dois combates caso Haye vença.

O campeão da AMB quer qualquer um dos dois na próxima temporada e afirma que o dito por eles para a imprensa e o negociado nos bastidores é muito diferente.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Lino e Foreman colidem 4 de dezembro em São Paulo

Lino Barros / Divulgação

Conforme o jornalista Reinaldo Carrera, mantenedor do site da Liga Paulista de Boxe e presidente da mesma instituição, o combate entre os cruzadores (90,7 kg) brasileiros Edson Foreman (38-6-1, 30 KO’s) e Lino Barros (33-2-0, 30 KO’s) ocorrerá no dia 4 de dezembro em São Paulo, na Academia Runner Butantã.

A luta havia sido anunciada para dia 27 deste mês e consta a mesma data no site boxrec que mantêm uma lista de eventos passados e futuros. O cinturão latino da Organização Mundial de Boxe em poder do mato-grossense Lino será desafiado pelo paranaense Foreman.

Para Lino aos 34 anos o adversário 1 ano mais novo será seu segundo melhor desafio, o principal rival foi o russo Grigory Drozd, único a vencê-lo por nocaute, em luta ocorrida em 2007.

Lino vê nesse embate a oportunidade de subir mais um degrau e poder desafiar o campeão mundial da categoria pela OMB, Marco Huck da Alemanha. Para Foreman, é uma luta que queria a muito tempo e talvez sua última oportunidade de brilhar.


Edson Foreman / Divulgação

domingo, 7 de novembro de 2010

Juanma bate Rafael Marquez e defende título dos penas OMB

Juan Manuel Lopez / Chris Farina - Top Rank

O campeão dos penas da Organização Mundial de Boxe, Juan Manuel Lopez (29-0-0, 26 KO's) de Porto Rico, bateu o desafiante mexicano Rafael Marquez (39-6-0, 35 KO's) em Las Vegas, E.U.A neste sábado.

Marquez venceu apenas 1 dos 8 rounds disputados, a luta estava programada para 12 assaltos, mas optou por não voltar no 9° assalto dando a vitória para o porto-riquenho.

O mexicano havia adiado a luta no passado, pois alegava estar com o ombro direito machucado. O pugilista percebeu ter lesionado a mesma região no 2° round após um contra-ataque de Lopez em revide a suas agressivas sequências, foi durante suas sequência que prejudicou o ombro novamente.

No 4° round houve uma troca equivalente de golpes e foi o único assalto que Marquez levou. Lopez perdeu nesse estágio um ponto por segurar e golpear o oponente atrás da cabeça.

No 5° assalto Lopez se tornou um “perseguidor implacável” e seguiu nessa postura até o 8° e último assalto. Seu domínio teve o auge no 7° giro quando Marquez não respondeu ao fogo porto-riquenho e não voltou após o 8° giro tendo sido vítima de uma sequência do campeão e sofrendo com a lesão.

“Juanma”, como é conhecido Lopez, foi campeão dos galos pela Federação Internacional de Boxe e Conselho Mundial de Boxe, além de ser lembrado pelos brasileiros por ter batido Giovanni Andrade.

“É o melhor lutador que enfrentei. Se sou o número 1 ele é o 2. O cara me machucou”, declarou Juanma sobre Marquez. “Somos esportistas, eu não quis machucá-lo além do necessário. Nos últimos rounds pensei que tivesse o machucado. Por isso pedi que o árbitro parasse a luta, não queria ninguém machucado”.

Glen Johnson nocauteia Allan Green no Super Six

Allan Green (caído) e Glen Johnson (em pé) - Tom Casino - ShowTime

Na noite de ontem em Las Vegas, Nevada nos E.U.A, o veterano jamaicano Glen Johnson (51-14-2, 35 KO's) de 41 anos bateu seu rival americano dez anos mais novo Allan Green (29-3-0, 20 KO's) por nocaute no 8° assalto. A luta era válida pelo torneio Super Six que reúne lutadores da categoria super-médio (76,2 kg).

A experiência pesou e Johnson aplicou bons golpes na linha de cintura em um Green que se mostrou resistente no início, porém foi sendo minado com as “facadas” do oponente. No 3° round um upper deixou o americano zonzo, mas este foi salvo pelo gongo.

No 4° assalto, Green voltou melhor e levava pelo julgamento dos árbitros, mas no 8° giro um golpe na cabeça o levou a lona – para alguns foi muito próximo do pescoço – e a luta terminou. Nas papeletas de dois dos três árbitros o derrotado estava a frente.

“Ele evitava (contato) a noite inteira. Eu queria chegar perto o suficiente para aplicar aqueles socos, fui paciente e eventualmente consegui”, declarou o vitorioso Glen Johnson. “É gratificante vencer. Eu dediquei muito da minha vida a esse esporte e tenho altos e baixos, mas nunca desisti e trabalhei duro por esta oportunidade e farei o máximo por ela”.

“Quero dizer que amo Allan Green como um irmão, ele tem um enorme coração e é um grande ser humano. Meu único arrependimento desta noite é que não podemos seguir ambos no Super Six, nos competimos e deixamos isso no ringue”, fala Johnson sobre sua relação com Green.

Com a vitória por nocaute o jamaicano faturou três pontos no torneio Super Six World Boxing Classic e a última vaga para as semifinais. Johnson está empatado com o germano-armênio Arthur Abraham no segundo lugar, mas o europeu ainda enfrentará o britânico Carl Froch.

Johnson entrou para substituir o dinamarquês Mikkel Kessler que saiu para cuidar da vista e ficará afastado dos ringues por quase um ano. Green substituiu Jermain Taylor dos E.U.A que após ser nocauteado por Abraham na primeira rodada foi hospitalizado e decidiu sair da disputa.

Outro que abandonou o páreo foi o americano Andre Dirrell que foi atacado ainda no chão por Abraham em sua última apresentação, o que custou a luta ao alemão, e por motivos de saúde e para preservar sua carreira optou por não prosseguir.

Classificação do Super Six

Andre Ward – 6 pontos e 3 vitórias.
Arthur Abraham – 3 pontos, 1 vitória por nocaute e 1 derrota.
Glen Johnson – 3 pontos e 1 vitória por nocaute.
Carl Froch – 2 pontos – 1 vitória e 1 derrota.

Zab Judah vence Mathysse no aperto

Zab Judah / Ben Solomon - The Star-Ledger

O americano Zab Judah (40-6-0, 27 KO's) ganhou no aperto neste sábado em Nova Jérsei do argentino Lucas Martín Matthysse (27-1-0, 25 KO's) mesmo após ir à lona. A vitória veio por decisão dividida dos árbitros, dois viram 114-113 para o ex-campeão mundial e um apontou 114-113 para o latino.

“Ele é um lutador forte, segui jabeando e foi isso que me ajudou a chegar no final. Nunca mais irei a lona, nunca mais”, declarou o combalido Judah que esteve bem no combate até que Matthysse soltasse um combo e o mandasse para a lona no 10° round, o que soou o sinal de alerta vermelho.

No 11° e 12° assalto, o americano sobreviveu e parecia mais um prisioneiro de guerra nos punhos do portenho que para sua infelicidade não conseguia desferir o golpe de misericórdia. A plateia vaiou o resultado.

Mathysse foi erguido sobre os ombros de seus companheiros e teve suas mãos levantadas além do apoio da audiência. “Zab nunca me machucou, eu lutei na minha estratégia e fiz pressão o tempo todo além de superá-lo nos rounds decisivos. O que mais querem?”, argumenta o argentino. “Está claro que venci, mas esse resultado se deve por lutarmos no quintal dele”.

É a 4ª vitória seguida de Judah desde sua derrota para o ganense Joshua Clottey pelo título dos meio-médios (76,2 kg) da Federação Internacional de Boxe. Com a apresentação sobre o latino conseguiu a oportunidade de enfrentar o sul-africano Kaiser Mabuza – que vem de uma vitória sobre Kendal Holt – pelo cinturão médio-júnior (63,5 kg) abdicado por Devon Alexander.

“Tenho muito respeito por ele (Mathysse) como lutador. Sabia que seria duro seguir em frente, mas não esperava que batesse tão pesado”, afirmou Judah.

Guerrero estraçalha Escobedo que depois da luta se prepara para o altar


Robert Guerrero com seus antigos cinturões / Divulgação

Na preliminar o ex-campeão em duas divisões Robert Guerrero (28-1-1, 18 KO's) estraçalhou Vicente Escobedo (22-3-0, 14 KO's) em uma vitória por decisão unânime na categoria dos leves (61,2 kg).

Guerrero fez a 2ª luta após abdicar do seu título dos super-penas (59 kg) para cuidar da saúde de sua esposa Casey diagnosticada com Leucemia ano passado. A Sra. Guerrero tem respondido bem ao tratamento e aplaudiu o marido na arquibancada.

Robert Guerrero colocou o oponente na lona no 3° e 6° giros. Escobedo sofreu um corte na parte superior da cabeça após um choque acidental com o adversário logo no 1° round e sofreu outros cortes – não acidentais – durante o combate que seu calção vermelho e branco ficou praticamente todo vermelho sangue.

“Me sinto ótimo, mas péssimo pelo corte que sofreu, afinal somos amigos”. A noite não terminou tão mal para Escobedo que pediu sua esposa Valerie Zarate em casamento e ela aceitou. Emocionado declarou: “foi uma derrota, mas ergui minha cabeça e a pedi em casamento”.

Ana Maria Torres e Jackie Nava mantêm cinturões

Ana Maria Torres / Divulgação

A campeã dos super-moscas do Conselho Mundial de Boxe (CMB), Ana Maria Torres (23-3-2, 14 KO's) manteve o título ao bater a desafiante americana Hollie Dunaway (23-9-1, 10 KO's) no 6° round.

Na mesma rodada a “Princesa Azteca” Jackie Nava (23-3-2, 11 KO's) manteve sua coroa interina dos super-galos da CMB ao superar por decisão unânime em 10 rounds Jennifer Salinas (11-3-0, 4 KO's).