quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Holyfield x Botha confirmada

Evander Holyfield / Divulgação


Como já havia sido divulgado Evander Holyfield terá contra o sul-africano François Botha no dia 16 de janeiro em Uganda o que acredita ser sua última tentativa de figurar entre o primeiro escalão do boxe internacional na categoria dos pesados. O encontro será válido pelo cinturão da World Boxing Federation – agremiação considerada de 2ª divisão –.

A luta foi confirmada nesta quinta-feira e os organizadores esperam 80 mil fãs no Estádio Kampala Nambole. “Estou muito ansioso para ir a Uganda e espero uma luta dura contra François Botha. Vou ganhar e apreciar o título mundial da WBF”, garantiu Holyfield que já foi tetra-campeão mundial por títulos de maiores prestigio na categoria e é considerado o melhor peso cruzador de todos os tempos.

Enquanto, Holyfield é lembrado por ter 47 anos, Botha também não é nenhum garoto e se apresenta aos 41, é um veterano dos ringues, mas não conseguiu a grande vitória de sua carreira e já foi derrotado por Mike Tyson e Lennox Lewis. O americano está sem subir ao ringue desde o ano passado quando foi derrotado – em uma decisão muito contestada por fãs e imprensa – na disputa pelo cinturão dos pesos-pesados da Associação Mundial de Boxe, uma das mais importantes do meio, pelo gigante russo Nikolai Valuev.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Everton Lopes, o melhor de 2009

Everton Lopes / UOL


O boxeador Everton dos Santos Lopes foi eleito no dia 21 o melhor pugilista amador do ano. A cerimônia foi realizada no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Estavam presentes o Presidente Lula, o Presidente do COB Carlos Arthur Nuzman, o Ministro do Esporte Orlando, o governador carioca Sergio Cabral e o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes. Representando o boxe estiveram o Presidente da Confederação Brasileira de Boxe Mauro José da Silva e o Supervisor Nacional de Boxe Daniel Fucs.

O baiano Everton Lopes conquistou o 5° lugar no campeonato mundial de boxe amador sediado em Milão na Itália e foi medalha de prata no torneio “Batalha de Carabobo” realizado na Venezuela que reúne alguns dos melhores pugilistas da América Central e do Sul.

Pacquiao processa Mayweather

Manny Pacquiao / Divulgação


O filipino Manny Pacquiao, campeão dos meio-médios pela Organização Mundial de Boxe e com luta marcada para o dia 13 de março decidiu processar hoje seu futuro rival Floyd Mayweather Jr, seu pai Mayweather Sr., Oscar de La Hoya e a Golden Boy Promotions, empresa de De La Hoya que promove o pugilista americano.

O campeão se considera difamado após Mayweather e seus aliados alegarem que ele utiliza anabolizantes e deveria passar por um rigoroso exame antidoping antes do combate, o qual ele alega que o deixará enfraquecido. Lembrou o público que nunca teve resultado positivo nos exames, mas acredita que o grupo tem feito uma campanha para denegrir sua imagem perante os fãs e a imprensa.

Conforme o documento “a verdade não impediu Mayweather e os outros, porque eles são movidos por maldade, malícia, vingança e inveja”. Pacquiao hoje ocupa o posto de melhor lutador do mundo independente de peso que já foi de Mayweather e conquistou 7 cinturões mundiais em categorias distintas igualando o feito dele além de ter encerrado a carreira de De La Hoya nos ringues ano passado.

Dan Petrocelli, advogado de Pacquiao defende que seu cliente poderia perder muito dinheiro caso os fãs acreditem que utiliza esteroides e hormônios de crescimento humano para obter suas conquistas. O documento apresenta várias entrevistas nas quais os acusados afirmam que o pugilista faz uso de doping, em uma das passagens aparece a seguinte afirmação de Mayweather Jr.: “nós sabemos que as Filipinas têm as melhores drogas para aumentar a performance”.

Richard Schaefer da Golden Boy afirma que o processo já era esperado, pois o filipino havia ameaçado, porém logo seus advogados entrarão em ação, entretanto, não descarta a possibilidade do combate entre ambos.

Clique aqui para ler o processo.

“Dei soco para me defender”

Maguila presta depoimento na delegacia / Bruno Azevedo G1


Maguila afirma ter sido ofendido e ameaçado por facão, enquanto, segurança nega e diz que o ex-pugilista “partiu pra cima”.


O ex-pugilista Adilson Rodrigues, o Maguila, foi preso na manhã de hoje (30/12) sob a suspeita de ter agredido um vigilante do Parque Ecológico Tietê. Afirmou aos policiais que apenas se defendeu de Raimundo Francisco Santos Filho. Maguila foi rendido por seguranças e PMs e foi junto coma vítima para o 10° Distrito Policial na Penha, capital de São Paulo, para prestar depoimento.

Para a polícia o ex-campeão sul-americano contou que o vigia Santos Filho e outro funcionário o barraram na entrada do parque e o xingaram de analfabeto ao mesmo tempo o ameaçavam com um facão. “Então, dei o soco para me defender”.

Conforme o agredido Maguila tentou entrar com seu carro pelo portão 3, porém foi barrado, pediu o nome do vigia e após uma troca de olhares “partiu pra cima”. Outros seguranças tentaram impedir que o ex-pugilista fugisse e chamaram a PM que o deteve e o conduziu até a delegacia.

Para a assessoria de imprensa da PM, a situação descrita teve caráter de prisão porque o suspeito de agressão foi impedido de sair do local por seguranças e também foi obrigado por policiais para seguir ao DP e prestar depoimento, entretanto, não foi algemado.

O delegado Marcos Gercke liberou Maguila após depoimento, mas a Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o que aconteceu. O facão foi apreendido. De acordo com a polícia em 1998 Maguila teve passagem por desacato contra um polícia civil.

Raimundo Francisco Santos Filho - Bruno Azevedo G1

Maguila é preso suspeito de agredir segurança de parque paulistano

Maguila / Divulgação


O ex-atleta queria entrar em área restrita do Parque Ecológico do Tietê


Adilson Rodrigues, mais conhecido como Maguila, foi preso suspeito de agredir um segurança do Parque Ecológico do Tietê, na capital paulista, na manhã desta quarta-feira alegando ter sido ameaçado pelo funcionário que tinha nas mãos um facão.

Conforme a vítima Maguila queria entrar por um portão de acesso restrito e segundo a Polícia Militar o ex-pugilista deu um soco no homem depois de uma discussão. Maguila foi conduzido ao 10° Distrito Policial e no momento presta depoimento.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Miranda não disputará cinturão dos super-médios por causa de problemas de saúde

Edison Miranda - HBO


O colombiano Edison “Pantera” Miranda (33-4-0, 29 KO’s) teve de adiar sua disputa pelo cinturão dos super-médios da OMB contra o Russo Robert Stieglitz (36-2, 22 KO’s) marcada para 9 de janeiro por conta de uma infecção nasal e um resfriado.

“Ele está combatendo o quadro, e tem sido uma batalha difícil. Na segunda-feira o encontramos muito fraco e com uma aparência terrível. Ficou devastado quando soube que não poderia lutar”, afirma o empresário Dan Goossen para a ESPN americana.

Miranda já combateu doente, mas conforme seu grupo não teria condições de fazer uma boa apresentação no próximo mês. Stieglitz faria a primeira defesa do título que conquistou em agosto ao bater o húngaro Karoly Balzsay com um nocaute técnico no 11° assalto.

Ishida mantém título interino dos médio-ligeiros

Oney Valdez (dir.) x Nobuhiro Ishida (esq.) / Associated Press - Kyoto News - Masanori Takei


Nobuhiro Ishida do Japão manteve sua versão interina do cinturão dos médio-ligeiros da Associação Mundial de Boxe ao bater o colombiano Oney Valdez (19-10-1, 13 KO’s) por decisão unânime. As plaquetas apontaram 117-110, 119-108 e 118-109.

O japonês de 34 anos agora tem um cartel de 22 vitórias, 7 nocautes, 5 derrotas e 2 empates. O campeão regular do cinturão é o israelense Yuri Foreman (28-0-0, 8 KO’s) que conquistou a coroa no mês passado. Os dois devem se enfrentar em 2010 para definir o campeão de fato.

Comissão quer Pacquiao e Mayweather Jr. no exame antidoping

Floyd Mayweather Jr. / Divulgação


A Comissão de Boxe do estado de Nevada nos E.U.A definiu ontem que o americano Floyd Mayweather Jr. e o filipino Manny Pacquiao devem se submeter dentro dessa semana a exames de urina para o teste antidoping. Os dois têm uma luta marcada para o dia 13 de março valendo o cinturão da Organização Mundial de Boxe dos meio-médios hoje em poder do asiático.

“Temos a esperança que quando nós fizermos os testes eles darão negativos. Não sei se isso vai aumentar as chances da luta acontecer. Mas com toda essa conversa sobre exames antidoping, pelo menos faremos um”, afirma o diretor da Comissão de Boxe de Nevada Keith Kizer.

Mayweather Jr. junto ao seu pai e técnico Floyd Mayweather Sr. e o grupo que o promove a Golden Boy Promotions – de Oscar de La Hoya que já derrotado por Pacquiao em 2008 – tem acusado o futuro rival de depender de esteroides para conquistar suas vitórias no ringue e pediu um exame de sangue surpresa como prevê a Agência Antidoping dos E.U.A. Pacquiao alega que a coleta de sangue sem aviso poderia enfraquecê-lo e afirma se sentir ofendido com as palavras do futuro oponente.

A equipe de Mayweather não está contente com a possibilidade de ter apenas a coleta de urina e demanda testes de sangue. “Não há chances. Você tem que perguntar por que eles não querem provar que os dois pugilistas estão limpos, para que a maior luta possa ser realizada”, declara Leonard Ellerbe, empresário de “Pretty Boy” Floyd.

Tanto Pacquiao quanto Mayweather já conquistaram cinturões mundiais em 7 categorias de peso diferentes, são considerados os melhores da década e tem um grande valor de mercado. O cartel do filipino tem 50 vitórias, 38 por nocaute, 2 derrotas e 2 empates, enquanto, o americano vem invicto com 40 vitórias sendo 25 pela via rápida. Pelo currículo dos atletas o combate já era muito esperado e agora com essa polêmica novela tem tudo para entrar na história do esporte.

Manny Pacquiao / Divulgação

sábado, 26 de dezembro de 2009

Manny Pacquiao e Floyd Mayweather podem acabar resolvendo rivalidade no tribunal

Manny Pacquiao



Americano acusa filipino de uso de esteroides.


A luta mais esperada da temporada pode acabar nos tribunais. O filipino Manny Pacquiao e o americano Floyd Mayweather conquistaram cinturões, prestígio e fortuna nesta década e o encontro entre os dois se tornou um dos mais aguardados na história do pugilismo, porém o segundo acusa o rival de utilizar esteroides anabólicos para melhorar sua performance no ringue e pede rigorosos testes anti-doping. O encontro de ambos está marcado para 13 de março, mas Pacquiao prometeu levar o caso para a justiça.

“Já é o bastante. Estas pessoas, Mayweather Sr., (Mayweather) Jr. e Golden Boy Promotions acham que é uma brincadeira e um direito acusar alguém de forma errada de usar esteroides ou qualquer outra droga de aumento de performance. Eu tentei fazer disto apenas um jogo pré-luta, mas acho que eles passaram dos limites”, afirma Pacman, como é chamado Pacquiao em referência ao personagem de videogame.

A polêmica se iniciou quando o filipino se recusou a tirar sangue 30 dias antes do combate para testes, mesmo assim ele aceita outros procedimentos, considerados mais brandos, para serem realizados antes do combate, pois afirma que a coleta de sangue atrapalhará em sua preparação para o embate.

Para Pacquiao as afirmações mancham sua trajetória: “instrui meu promotor, Bob Arum, a me ajudar com o caso o mais rápido possível porque pessoas vêm até mim e perguntam se realmente me dopei e se trapaceei no meu caminho até chegar ao posto de número 1 do boxe. Asseguro a todos que nunca usei esteroides e que meu caminho até o topo é resultado de muito trabalho e sangue derramado nas minhas lutas. Não faço a menor idéia de como são os esteroides e meu temor a Deus me manteve seguro e vitorioso durante estes anos”.

Caso a luta não ocorra contra Mayweather, Pacquiao já tem outro nome na lista, Paulie Malignaggi que vem de uma vitória em revanche sobre Juan Diaz.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Morre Terry Lawless, o “guru” do boxe inglês

Terry Lawless e Frank Bruno 1982 - Getty Images


Empresário agenciou quatro campeões mundiais além de Frank Bruno e Joe Calzaghe.

Faleceu ontem, véspera de natal, aos 76 anos o empresário de boxe Terry Lawless após uma cirurgia de vesícula na Espanha. O manager londrino levou 4 pugilistas ao título mundial e agenciou Frank Bruno e Joe Calzaghe no inicio de suas carreiras. Por seus feitos ficou conhecido como "guru" do boxe britânico.

John H. Stracey, Maurice Hope, Jim Watt e Charlie Magri conquistaram cinturões mundiais sob os cuidados do empresário que teve uma carreira de 45 anos e cuidou de mais de 50 pugilistas. Nascido em West Ham em 1933 começou suas atividades nos anos 50 após servir o exército.

Jim Watt lembra que Lawless tratava seus pugilistas “mais como filhos do que boxeadores”. Terry Lawless disse após se aposentar que gostaria de ser lembrado como um empresário que buscava evitar que seus lutadores se machucassem severamente.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Samir e Claudionei venceram no domingo

O leve Claudionei Lacerda (10-1-0, 6 KO’s) bateu o paraguaio Victor Hugo Cardozo (10-4-1, 7 KO’s) por decisão unânime no domingo e conquistou o cinturão vago dos leves Inter-Continental Mundo Hispano do Conselho Mundial de Boxe. O paraguaio foi para lona no 8° assalto em luta sediada em Florianópolis, Santa Catarina.

No mesmo dia, em Rio Grande no Rio Grande do Sul o médio Samir Barbosa (23-6-3, 17 KO’s) bateu o meio-pesado Valmir Rosário (15-24-5, 3 KO’s) por decisão unânime em uma luta disputada em 6 giros na categoria dos super-médios.

Samir Santos mantém com amigos o projeto social “Punhos de Esperança” voltado para menores carentes e excluídos sociais. Para doações:

Banco Banrisul c.c. 06.130102 07 ag.330.14
CNPJ: 11.371.685/0001-07

domingo, 20 de dezembro de 2009

Rodada do Fim de Semana

Alex de Oliveira / Uol Esportes


Alex de Oliveira perde invencibilidade em estreia no exterior


Alex de Oliveira (16-1-0, 12 KO’s) perdeu sua invencibilidade em sua primeira luta no exterior ontem em combate realizado no México. O brasileiro foi nocauteado no 1° round por Giovanni Caro (14-8-4, 12 KO's) e fez um relato do embate em seu blog.

O super-galo fechou contrato em novembro com o empresário Art Pellullo – responsável por abrir as portas dos ringues internacionais ao tetracampeão Popó –. Alex é apontado como a nova esperança do pugilismo brasileiro hoje tão carente de campeões mundiais como o já citado Acelino “Popó” Freitas, Miguel de Oliveira e Éder Jofre.



Kelly Pavlik bate ex-contender


Miguel Espino (dir.) e Kelly Pavlik (esq.) / Mark Stahl - AP


Kelly Pavlik (36-1-0, 32 KO’s) mostrou serviço com uma vitória por nocaute técnico sobre o ex-contender Miguel Espino (20-3-1, 9 KO’s) lutando em casa na cidade de Youngstown, Ohio, nos E.U.A e com esse resultado defendeu as coroas dos médios versões Conselho Mundial de Boxe e Organização Mundial de Boxe na noite de sábado.

Conhecido como “O Fantasma de Youngstown”, Pavlik assombrou qualquer chance de vitória do regular Espino mesmo com esse lutando bem próximo do campeão para evitar seus golpes retos. O desafiante atuou bem no 3° round, porém não agüentou os uppercuts do lutador local.

Espino encontrou com a lona duas vezes no 4° assalto e mais uma no posterior e seu córner atirou a toalha para interromper a chacina promovida por Pavlik. Em breve no site Round 13 uma entrevista com o talentoso Kelly Pavlik.


Alemão conquista título dos meio-pesados OMB


Juergen Braehmer / AFP


O canhoto Juergen Braehmer (35-2-0, 28 KO’s) conquistou a versão regular do cinturão dos meio-pesados da OMB ao bater o russo Dmitry Sukhotsky (14-1-0, 9 KO’s) lutando em casa na Alemanha.

A vitória do alemão foi por decisão unânime, pois apresentou mais controle de combate e colocou golpes mais potentes, mesmo assim não saiu intacto, no 10° round o russo desferiu uma combinação de golpes e deixou o recém empossado campeão sangrando.

No mesmo evento Sebastian Zbik (28-0-0, 10 KO's) conterrâneo de Braehmer conquistou a versão interina do cinturão dos médios CMB ao bater o italiano Emanuele Della Rosa (22-1-0, 7 KO's) por decisão dividida. A Universium Box Promotion disponibilizou em seu site um compacto das lutas.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Entrevista Jackson Jr.

O peso meio-pesado Jackson Jr., o "Demolidor", tem uma carreira crescente no boxe profissional brasileiro. Pupilo de Servílio de Oliveira divide seu tempo treinando, trabalhando como metalúrgico e ensinando a nobre arte. Em entrevista ao Córner do Leão fala sobre seu sonho, sua rivalidade com Ratinho e o relacionamento com Servílio.

Alex estreia luta hoje fora do país

Alex de Oliveira / Uol Esportes


Alex de Oliveira (16-0-0, 12 KO’s), 24, estreia hoje em território estrangeiro sob a supervisão do empresário Art Pelllullo que cuidou da carreira vitoriosa de Popó fora do país e o conduziu a 4 títulos mundiais.

O super-galo Alex se apresenta hoje no México e conforme o próprio revelou ao site Uol deve enfrentar Giovanni “Ruso” Caro (13-8-4, 11 KO’s) que vem de duas derrotas seguidas. O brasileiro que teve sua principal vitória ao nocautear no 12° round Carlinhos Furacão em 2007 é tido como a maior esperança para o pugilismo nacional desde seu conterrâneo Popó.

Michael Oliveira fecha 2009 com TKO

Michael Oliveira / Divulgação


Na noite de ontem, Michael Oliveira (11-0-0, 9 KO’s) venceu por nocaute técnico no 2° assalto de uma luta programada para oito giros, Eduardo Mercedes (5-3-0, 5 KO’s) no Haiti e encerra a temporada de 2009 com 7 vitórias e o cinturão latino dos médios versão UBC.

Jackson Jr. comemora, Roberto lamenta.

1ª luta em São Paulo, as outras apresentações de Roberto de Oliveira Jesus foram em sua terra natal, Salvador, na Bahia e até já disputou cinturões internacionais como o interino latino dos super-médios da Organização Mundial de Boxe em 2008 e também a coroa intercontinental dos meio-pesados da World Boxing Foundation – 2ª divisão –, mas não as conquistou. A carreira também levou Roberto para a Finlândia onde também conheceu a derrota.

Em Salvador o boxeador é rei, não perde uma, e conforme seu técnico Marcos Lago foram 12 vitórias e 4 por nocaute ao longo de sua trajetória, mas seu atleta “veloz, sem medo, ambidestro, pegador, raçudo” e com uma agilidade que o faz dançar em alguns momentos no ringue não conseguiu impor seu jogo contra Jackson Jr. Pelas mãos do paulista conheceu na noite de hoje mais uma derrota pela via rápida.

O local do combate foi a academia Runner do bairro do Butantã na zona oeste de São Paulo, um espaço para pessoas de classes abastadas as quais ambos pugilistas não pertencem, o vestiário limpo e cheiroso é muito diferente da maioria dos ginásios pelos quais a grande massa de boxeadores se apresenta pelo Brasil por bolsas miseráveis e o técnico Marcos Lago comentou: “aqui em São Paulo há apóio. Na Bahia temos talentos, mas poucos patrocínios”.

A exibição dos pugilistas visa levar o esporte para a elite da capital paulista, a Runner mantém um programa de boxe olímpico de 300 alunos e tem uma estrutura favorável ao esporte. Cristiano Azevedo, 23, roupeiro do vestiário fala entusiasmado do pugilismo e tem como ídolo Popó conterrâneo de Roberto de Oliveira Jesus.

Gordos peludos, adolescentes desenvolvendo o corpo, marombados... homens de diversas idades, etnias e tipos físicos observam os dois jovens lutadores esguios como felinos se preparando para o combate. Oliveira de Jesus golpeia o ar observando o espelho como quem sabe que o combate maior é contra si mesmo. Com pouco suporte não vê um grande futuro na nobre arte como quando sonhava ao iniciar os treinos, o semblante que traz uma cicatriz próxima ao olho esquerdo é sofrido e o olhar melancólico.

Jackson Jr. é empresariado por Servílio de Oliveira, dono de uma medalha olímpica de bronze conquistada em 1968 nos Jogos do México e único dono de tal feito no Brasil até hoje. O rapaz de 23 anos escuta de seu mestre que essa é a última do ano e abertura para uma temporada de grande ascensão, o ex-pugilista que já perdeu um olho no dramático jogo que é o boxe avisa que aquele é um futuro campeão mundial.

“O Demolidor”, como é conhecido Jackson Jr. é apontado como prospecto do esporte e mesmo assim não consegue viver só das luvas, trabalha durante o dia como metalúrgico e completa a renda ensinando boxe – seus alunos foram assistir o combate e estavam ansiosos pela entrada do professor –. “É tudo que penso na hora que vou lutar”, o pugilista-operário lembra de sua filha, Maria Vitória, de quase 5 anos.

Um combate entre amadores da academia aquece o público. E após a definição do vencedor o combate profissional tem início, o baiano Roberto Oliveira de Jesus vestindo calção negro não é aplaudido e nem vaiado, surge sem o brilho de quem já estrelou combates internacionais. Jackson Jr. segue ao ringue, trajando um roupão azul e branco e calção combinando, a trilha sonora é Black Music, seus amigos e fãs gritam seu nome ao som da batida, a cena parece saída de um clipe de Gangsta Rap.

Figuras conhecidas do meio como Reinaldo Carrera, Sidnei DalRovere, Marcos Febem, Seu Edu e Raphael Zumbano assistem o combate. A luta lembra ligeiramente um clássico da nobre arte, o nocaute de Sonny Liston sobre Floyd Patterson valendo o título dos pesados em 25 de agosto de 1962.

O papel de Liston coube à Jackson Jr. que seguiu avante buscando encaixar golpes na cabeça, enquanto, Jesus mostrou-se pouco confiante e se apresentou semelhante à Patterson naquela noite. O baiano partiu para clinches e manteve uma postura de evitar a luta.

Um upper entra, 1° knockdown. Um cruzado de esquerda, 2° knockdown. Um direto, 3° knockdown. O árbitro Ricardo Lobo encerra o combate. Jackson Jr. tem 7 vitórias, 6 pela via rápida e um futuro promissor pela frente. Seus seguidores deliram, alguns pulam, outros gritam e dois golpeam os sacos de boxe da academia. “O Demolidor” de poucas palavras analisa o combate: “posso mostrar muito mais, o adversário era fraco”.

Roberto Oliveira de Jesus desce do ringue com os ombros pesados, é sua 5ª derrota e a 5ª pela via rápida. Os olhos parecem desviar do público, da mesma maneira que Patterson evitou os fãs, quando questionado sobre suas expectativas profissionais contempla o futuro: “se conseguir algo (patrocínio) continuo, senão paro”.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Nelson Gonçalves, o pugilista-cantor

Nelson Gonçalves / Divulgação


O Boêmio dos Ringues


Nelson Gonçalves (1919 – 1998) teve uma vida agitada, foi preso por porte de cocaína, passou por tratamento para abdicar do vício, atuou como cafetão na Lapa carioca onde conheceu Madame Satã e escutou muitos “nãos” até engatar na carreira. Porém sua vida foi feita mais de altos do que baixos, é lembrado como um dos maiores cantores do Brasil, e voz da canção A volta do boêmio.

Teve profissões que fugiam muito daquela que o tornou famoso: jornaleiro, mecânico, engraxate, polidor e tamanqueiro, mas a que lhe rendeu o apelido de “pugilista-cantor” foi a de boxeador. No livro Playboy – As Melhores Entrevistas (2009), o artista fala de sua carreira nos ringues paulistas ao jornalista Bob Jungmann em maio de 1998.

Começou na nobre arte aos 16 anos após ser surrado em uma briga de futebol. Nos ringues conquistou o título de campeão paulista dos pesos-médios, acumulando 24 nocautes no amadorismo e um empate com o Galo de Ouro Éder Jofre no Ibirapuera - o combate foi amistoso e o lutador profissional respeitou o amigo -.

Nascido Antonio Sobral Gonçalves, utilizou os dois primeiros nomes na carreira de lutador para não ser reconhecido pelos pais que abominavam o esporte, nesse período os combates lhe rendiam apenas “um cesto de laranja e um bifinho”. Revelou que encerrou a vida esportiva ao cair num knockdown e decidir não levantar mais. “Por mim, o senhor pode contar até mil, que vou ficar aqui mesmo”, lembrou o artista na entrevista.

Nelson Gonçalves tem uma vida que vale a pena ganhar o público tanto quanto suas músicas. No livro de entrevistas da Playboy outras personalidades falam de seus momentos como os pilotos Ayrton Senna e Nelson Piquet, o escritor Nelson Rodrigues, o jornalista Paulo Francis, os políticos Lula e FHC e o cantor Tim Maia.

Eder Jofre (esq.) e Nelson Gonçalves (dir.) / (Foto: Nelson Bar - Arquivo)

Nelson Gonçalves - A Volta do Boêmio

domingo, 13 de dezembro de 2009

Rosilete em matéria da Globo do Paraná



A Globo do Paraná fez uma matéria sobre o progresso da boxeadora Rosilete dos Santos.

Rodada do Fim de Semana

Kevin Johnson aguenta Klitschko em pé


Vitali Klitschko x Kevin Johnson - Marty Rosengarten Ringsidephotos


O americano Kevin Johnson (22-1-1, 9 KO’s) conseguiu ontem o maior feito de sua carreira, ir até “a distância” com o campeão mundial dos peso-pesados do Conselho Mundial de Boxe, o ucraniano Vitali Klitschko (39-2, 37 KO’s) que desde 2000 venceu 10 lutas antes do último round. O combate foi realizado em Berne, na Suíça e terminou em vitória do europeu por decisão unânime.

As plaquetas ao término do combate apontaram um duplo 120-108 e 119-109 para o campeão, porém Johnson ficou em pé porque se manteve na defensiva, evitou e aparou muitos golpes, mas não ameaçou o “Dr. Punho de Ferro”. Próximo do fim do combate o americano bambeou, porém não beijou a lona.

Com o resultado fica mais evidente que Vitali deve buscar uma unificação de seu título com o campeão da Associação Mundial de Boxe David Haye, da Inglaterra. O ex-cruzador que tirou a coroa do gigante russo Nikolay Valuev também está na mira do lendário Bernard Hopkins dos E.U.A.

Na principal preliminar do combate de Klitschko e Johnson, o russo Alexander Ustinov (18-0, 15 KO’s) bateu por pontos o regular Monte Barrett (34-9, 20 KO’s).


Malignaggi dá o troco em Juan Diaz


Paulie Malignaggi (esq.) e Juan Diaz / Associated Press


Em agosto deste ano Paulie Malignaggi (27-3, 5 KO’s) se apresentou melhor frente ao lutador da Golden Boy Promotions Juan Diaz (35-3, 17 KO’s), mas o lutador protegido por Oscar de La Hoya levou a melhor e o Texas viu o mesmo “Baby Bull” que derrotou o orgulho brasileiro Popó em 2007 bater Malignaggi por decisão unânime. Ontem em Illionois nos E.U.A, o nova-iorquinho devolveu o resultado.

A revanche foi na categoria dos meio-médios-ligeiros válida pelo cinturão norte-americano da NABO e o vencedor foi o “Magic Man”. Durante o combate Malignaggi teve um knockdown erroneamente marcado à seu favor, mas mesmo assim ele foi o lutador superior no ringue. O trio de juízes marcou 116-111. A porta fica aberta para uma terceira luta entre ambos, mas o vencedor pode buscar novas chances de títulos mundial.


Timothy Bradley bate Lamont Peterson e se mantém campeão invicto


Timothy Bradley x Lamont Peterson - Chris Farina - Top Rank


Timothy Bradley (25-0, 11 KO’s) manteve sua invencibilidade e seu título dos meio-médio-ligeiros da Organização Mundial de Boxe ao bater Lamont Peterson (27-1, 13 KO’s), detentor da versão interina do cinturão, por decisão unânime na Califórnia, nos E.U.A. Com um knockdown sobre Peterson no 3° assalto os juízes apontaram como vencedor Bradley com os placares de 118-110, 119-108 e 120-107.

“Ele veio pra cima e me fez lutar como ninguém tinha conseguido antes. Eu acho que a experiência foi um importante. Ele tinha uma estratégia, mas ficou descuidado e veio com tudo ao invés de aplicar o jab e quando se aproximou o peguei”, Bradley resume o combate para a ESPN.

O armeno Vic Darchinyan (33-2-1, 26 KO’s) comprova ser um dos melhores super-moscas e reteve a coroa do Conselho Mundial ao nocautear Tomas Rojas (32-11-2, 22 KO’s) no 2° giro com um direto de esquerda. A luta foi uma preliminar de Bradley x Peterson na Califórnia.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Zaveck é campeão dos meio-médios da FIB

Jan Zaveck (dir.) x Issac Hlatshwayo - www.box-web.de


Jan Zaveck (28-1-0, 16 KO’s) da Eslovênia bateu o sul-africano Isaac Hlatshwayo (29-2-1, 10 KO’s) e lhe tirou o cinturão dos meio-médios da Federação Internacional de Boxe em Johanesburgo, capital do país do rival, no Wembley Hall com um nocaute técnico.

Hlatshwayo experimentou a lona no 2° round duas vezes e uma terceira na qual o árbitro decidiu interromper o combate faltando 42 segundos para o fim do 3° assalto. “Com meu primeiro soco”, foi essa a declaração do vencedor sobre o método empregado para conquistar o seu 1° título.

Esta foi a 1ª defesa de Hlatshwayo que conquistou o cinturão vago ao bater por decisão dividida o dominicano Delvin Rodriguez em agosto nos E.U.A.

Jean Pascal bate Diaconu em revanche e mantém coroa dos meio-pesados

Jean Pascal (esq.) x Adrian Diaconu / THE GAZETTE Dave Sidaway


Jean Pascal (25-1-0, 16 KO’s) derrotou pela segunda vez Adrian Diaconu (26-2-0, 15 KO’s) em disputa pelo cinturão mundial dos meio-pesados do Conselho Mundial de Boxe. O encontro foi realizado na sexta-feira no Bell Centre, Montreal, Canadá, país de Pascal que superou um deslocamento no ombro para superar o “Tubarão” romeno.

Após 4 rounds parelhos, Pascal deslocou o ombro direito que lhe atormentava mesmo antes do combate. Entre o 10° e 11° assalto, os segundos de Pascal colocaram seu ombro no lugar e o canadense voltou agressivo ao combate.

Pascal, 27, já tinha batido Diaconu, 30, para conquistar o cinturão em junho e vinha de um nocaute técnico sobre Silvio Branco em outubro, enquanto o adversário teve na disputa de cinturão sua última luta. Os juízes lhe deram vitória por decisão unânime com os placares de 118-110 e um duplo 117-111.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Biografia de Sugar Ray Robinson sai nos E.U.A

Sweet Thunder / Divulgação

Wil Haygood já fez uma biografia sobre Sammy Davis Jr., uma das maiores vozes da música americana e amigo de Frank Sinatra, Dean Martin, Peter Lawford e Joey Bishop com os quais formou o “Rat Pack” e fizeram shows e filmes de Hollywood. Em seu novo título “Sweet Thunder”, o autor apresenta para a literatura de seu país a história de Sugar Ray Robinson, considerado por alguns críticos o melhor lutador de todos os tempos.


Robinson foi campeão nas categorias dos meio-médios e médios durante as décadas de 40 e 60 do século XX e participou da 2ª Guerra Mundial. Entretanto, o livro revela detalhes pouco conhecidos como ter ensinado boxe ao ícone do jazz Miles Davis e ser visto como um dos mais elegantes do Harlem, bairro da comunidade negra em Nova York.


Infelizmente o livro ainda não tem tradução para o português.O New York Times fez uma matéria sobre o trabalho de Haygood.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Ricky Hatton fala sobre retorno

Ricky Hatton / Divulgação


Juan Manuel Marquez e Oscar de La Hoya na mira do Hitman

Melhor lutador de 2005 pela Ring Magazine, bi-campeão mundial dos super-leves pela Federação Internacional de Boxe entre 2005 e 2006, também já foi campeão super leve e médio pela Associação Mundial de Boxe, mas a memória que o britânico Ricky Hatton (45-2-0, 32 KO’s) deixou ao boxe em sua última luta foi o fulminante nocaute sofrido para o filipino Manny Pacquiao em maio deste ano. O boxeador do Reino Unido avisou a imprensa que pensa em um retorno para 2010.

Ricky Hatton / Getty Images


Muitas especulações surgiram na mídia sobre a possibilidade de Hatton se aposentar, mas o pugilista conhecido como “Hitman” (Matador de Aluguel) pondera sobre um retorno no próximo ano e avisa que estão em sua mira Juan Manuel Marquez e o lendário Oscar de La Hoya que também já foram derrotados pelo filipino, hoje visto como o melhor boxeador do mundo.

Oscar de La Hoya está aposentando, mas parecia ter pendurado as luvas muito contrariado, seu rendimento apresentava queda desde sua vitória sobre o alemão Felix Sturm em 2004. Sua carreira terminou quando foi nocauteado de maneira feroz por Pacquiao em dezembro passado. Juan Manuel Marquez vem de uma derrota para Floyd Mayweather em outubro. Uma vitória de Hatton sobre ambos pode colocá-lo em posição para uma revanche tanto contra Pacquiao quanto Mayweather que o venceu por nocaute técnico em 2007.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Khan destrói Salita em 76 segundos

Amir Khan X Dmitry Salita Nocaute / Nigel Roddis Reuters


O combate pelo título mundial dos meio-médios ligeiros da Associação Mundial de Boxe estava programado para ser definido em 12 rounds na madrugada de ontem para hoje, mas a platéia de Newcastle na Inglaterra precisou de apenas 76 segundos para ver o britânico de ascendência árabe Amir Khan (22-1, 16 KO’s) destruir o desafiante o israelense radicado americano Dmitry Salita (30-1-1, 16 KO’s), conhecido como “Estrela de Davi”.

Para derrubar Salita, Khan utilizou de uma forte sequência rápida de esquerda seguida de direita. “Nós tínhamos muito poder de fogo para esse cara. Após o primeiro golpe eu pude vê-lo tremer na base”, comemorou Khan com seu técnico Freddie Roach.

A parceria com Roach começou após a primeira derrota de Khan que foi para o colombiano Bredis Prescott em 2008, desde então, o jovem de 22 anos tem se mostrado mais eficiente e agressivo no ringue e isso lhe rendeu não só a coroa da AMB, mas também uma vitória sobre o legendário mexicano Marco Antonio Barrera.

Roach também é responsável pelo treinamento do filipino Manny Pacquiao considerado o melhor lutador em atividade. Khan agora vai ajudar o outro pupilo de seu mestre em seu futuro combate contra Floyd Mayweather em 2010, mas após o embate gostaria de encarar o colega. Para o futuro visa um combate contra Rick Hatton, enquanto, Kevin Mitchell que derrotou Prescott já expressou interesse em lutar contra o rei dos meio-médios ligeiros da AMB.

Religião e Etnia no ringue


Amir Khan (dir.) e Dmitry Salita / Divulgação


O combate entre Amir Khan e Dmitry Salita foi cercado de referências religiosas e raciais. Assim como quando o negro Larry Holmes, então campeão dos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe, enfrentou o branco Gerry Cooney em 1982 com promoção de Don King –sempre ele – num deplorável espetáculo visando promover um embate de raças, Khan muçulmano e árabe e Salita israelense e judeu tiveram suas origens exaltadas para a divulgação do combate.

Semana passada em uma reunião Khan foi vaiado e sobre o episódio afirma: “a inveja e a cor de pele, que mudam as coisas. Se fosse um boxeador inglês branco, seria uma grande estrela do Reino Unido”. Apesar do circo Salita, 27, nascido em Israel criado na Ucrania e hoje naturalizado nos E.U.A vestia o quipá (chapéu tradicional judaico) nas fotos que promoviam o combate mostrando que o boxe é um esporte democrático e tem espaço para todos.

Como já afirmou o grande cronista esportivo Henrique Matteucci, o boxe não deve se prestar como palco de disputas raciais. Na 2ª Guerra Mundial o americano Joe Louis e o alemão Max Schmeling defenderam suas pátrias, porém ao invés de se tornarem ferrenhos inimigos como bons soldados subservientes transformaram sua relação de rivalidade numa das mais sinceras amizades da nobre arte.

Rodada do Fim de Semana

Lino Barros mantém coroa latina


O cruzador mato-grossense Lino Barros (31-2-0, 28 KO’s) manteve na noite de sábado a coroa Latina dos Cruzadores versão Organização Mundial de Boxe ao bater o argentino Aaron Orlando Sória no 5° assalto, após a toalha ser arremessada pelo córner do desafiante.

O argentino passou os 4 rounds se esquivando e fugindo do combate contra o brasileiro e afirma ter machucado a mão, Lino não aceitou a desculpa e declarou ao periódico Só Notícias: “Estou um pouco revoltado, o adversário diz que machucou a mão, mas profissional deve lutar até o fim”.

O público do ginásio Pasinha em Sinop, Mato-Grosso, viu Sória subir ao ringue fora de forma exibindo uma barriga saliente, enquanto, Lino apresentava um físico atlético. O desafiante acertou poucos golpes, mas provocou um corte na cabeça do campeão conforme o Só Notícias.

No 4° giro Lino colocou um forte golpe no queixo do oponente e este quase encontrou a lona. No intervalo veio a toalha para salvá-lo do nocaute. Em 2010 é possível que Lino Barros enfrente um adversário mais gabaritado ou dispute um cinturão de maior grandeza, pois é um dos mais talentosos boxeadores do país.

Huck derrota Afolabi e continua campeão cruzador OMB


Marco Huck (dir.) x Ola Afolabi - Sauerland Event


O alemão Marco Huck (27-1, 20 KO’s) campeão dos cruzadores pela Organização Mundial de Boxe derrotou por decisão unânime o campeão interino Ola Afolabi (14-2-3, 6 KO’s) nascido na Inglaterra e radicado nos E.U.A em combate realizado na cidade de Ludwidsburg, na Alemanha.

Huck foi mais agressivo, enquanto, Afolabi apesar de ficar algum tempo nas cordas conseguiu aplicar poderosos uppercuts. Mesmo tendo bons momentos o campeão interino não foi tão brilhante quanto o alemão e os juízes marcaram 115-113 (duplo) e 116-112.

Paul Williams passa por Sergio Martinez


Paul Williams (dir.) x Sergio Martinez / Ed Mulholland



O americano Paul Williams (38-1, 27 KO’s) venceu por decisão majoritária o campeão interino dos super-médios do Conselho Mundial de Boxe Sergio Martinez (44-2-2, 24 KO’s) em combate não válido por cinturão neste sábado em Atlantic City, Nova Jersey nos E.U.A.

Os dois pugilistas caíram no 1° round, o argentino Martinez dominou o início os assaltos preliminares, mas perdeu terreno para o americano. Os juízes apontaram 119-110, 115-113 e 114-114.

Chris Arreola abate "A Fera" Brian Minto

O pesado americano de origem mexicana Chris Arreola (28-1, 27 KO’s) retornou ontem após uma derrota para Vitali Klitschko em disputa pelo cinturão da CMB em outubro e nocauteou seu conterrâneo Brian Minto (34-3-0, 21 KO’s) na preliminar de Williams x Martinez. O “Pesadelo” Arreola não se intimidou com o rugido da “Fera” Minto que aplicou bons golpes, mas foi para a lona duas vezes no quarto assalto até que o árbitro decidiu paralisar o combate.

Kina Malpartida faz 2ª defesa de coroa super-penas AMB

Kina Malpartida x Lyndsey Scragg - Mary Ann Owen


Com uma vitória por decisão unânime sobre a adversária britânica Lyndsey Scragg (10-2, 3 KO’s) a peruana Kina Malpartida (11-3, 3 KO’s) manteve a coroa dos super-penas da Associação Mundial de Boxe em combate realizado em Ontario, Califórnia, nos E.U.A. Na disputa de 10 rounds as plaquetas apontaram 98-91 (duplo) e 97-92. Malpartida não aproveitou bem de seu alcance e altura e abriu brecha para fortes ataques da desafiante, mas fez sua segunda defesa, a primeira foi contra a brasileira Halana dos Santos após conquistar o cinturão vago em embate contra Maureen Shea dos E.U.A.

Melissa Hernandez foge de combate com Holly Holm e Victoria Cisnero assume seu lugar


Holly Holm (esq.) x Victoria Cisneros / Chris Cozzone


Melissa Hernandez (11-1-2, 4 KO’s) provocou Holly Holm (26-1-3, 7 KO’s) na coletiva de imprensa a chamando de coelho – nos E.U.A é como chamar de fujona –, até deu cenouras para a rival e avisou que apesar de “baixinha” detonaria a “altona”.

Entretanto, quem fugiu na sexta-feira foi a porto-riquenha Hernandez. O córner da "baixinha" alegou que gostaria de ver Holm colocando suas bandagens e como não assistiu decidiu ir embora, mas conforme os segundos da americana nenhum representante da rival apareceu quando convidado para assistir a sua preparação.

Para o público não desperdiçar seu dinheiro, Victoria Cisneros (3-8-2) que foi apenas assistir ao evento aceitou lutar contra Holm e pra quem não se preparou até que se saiu bem. Holm é uma das melhores da atualidade e venceu o combate por decisão unânime.



Daniel Bispo é nocauteado por “Contender” Troy Ross


O brasileiro Daniel (21-12-0, 15 KO’s) foi nocauteado pelo vencedor da quarta temporada do reality show de boxe “The Contender” Troy Ross (23-1-0, 16 KO’s) em luta realizada no sábado em Quebec, Canadá. A luta terminou com um gancho de esquerda do atleta nascido na Guiana ao 1min12seg do 1° round.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Hopkins bate Ornelas e visa David Haye

Bernard Hopkins (dir.) x Enrique Ornelas / Associated Press


Chances de lutar com Roy Jones Jr. diminuem

Sem dificuldade o americano Bernard Hopkins (50-5-1, 32 KO’s) bateu por decisão unânime, em Filadélfia, nos E.U.A. – terra de Joe Frazier, Rocky Balboa e do próprio boxeador – o mexicano Enrique Ornelas (29-6, 19 KO’s) na madrugada de quarta para quinta-feira na categoria dos meio-pesados. Os juízes marcaram 118-110, 120-108 e 119-109.

No mesmo dia, na Austrália, Roy Jones Jr. foi nocauteado no 1° round pelo local Danny Green, o combate era um preparativo para enfrentar Hopkins no próximo ano. Em 1993 Hopkins perdeu uma disputa pelo cinturão vago dos médios da FIB para Jones Jr, uma das poucas derrotas em sua carreira. Com o revés do adversário na Oceania as chances do encontro diminuem.

“Minha carreira não é e continua não sendo baseada em Roy Jones Jr., eu ainda faço meu trabalho com alto rendimento”, declara o vitorioso Hopkins, também conhecido como “O Executor”. “Isto é o que acontece se você cuida do seu corpo quando é jovem em um esporte brutal. Eu investi em mim assim como se investe dinheiro em um banco”.

Agora o Executor faz sua mira no título mundial dos pesados da Associação Mundial de Boxe que tem como dono o britânico David Haye. “Serei campeão mundial em 2010”. O galês Joe Calzaghe que se aposentou invicto e enfrentou Hopkins em abril de 2008 considera a luta arriscada para o colega, pois o campeão além de rápido é mais pesado e forte e pode nocauteá-lo. "Creio que Hopkins deveria se aposentar, pois está com 44 anos e pode se machucar".

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Roy Jones Jr. é nocauteado no 1° round

Roy Jones (esq.) e Danny Green - Paul Miller - EPA


Roy Jones Jr. (54-6-0, 40 KO’s) nesta quarta-feira foi protagonista de uma das cenas mais espantadoras do boxe desta década. O americano considerado o melhor pugilista dos anos 90 disputava o cinturão dos cruzadores da Organização Internacional de Boxe – um título de 2ª divisão – e acabou nocauteado no 1° assalto pelo desconhecido australiano Danny Green (28-3-0, 25 KO’s), na cidade de Sydney.

“Ele é um dos maiores lutadores da história. Eu quase me senti mal por tê-lo vencido desta forma, porque ele foi alguém que me inspirou no início da minha carreira profissional”, comentou Green sobre o fato de derrotar um ídolo do esporte. Jones Jr. foi humilde e reconheceu o trabalho do colega: “não tem desculpa, foi uma grande luta do Danny”.

Jones Jr. tinha no combate com Green uma oportunidade de enfrentar o também veterano Bernard Hopkins em 2010. Ambos lutaram em 1993 e caso derrotasse o australiano aumentaria suas chances de encontrar seu rival do passado.

Essa é a 2° derrota do americano em 13 meses. Em novembro do ano passado perdeu por decisão unânime para o invicto galês Joe Calzaghe, mas conseguiu se redimir perante fãs e críticas ao bater seu conterrâneo Jeff Lacy.

Roy Jones Jr. x Danny Green - 02/12/2009

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Pacquiao na política

Manny Pacquiao ao lado de sua esposa assinando papelada / Reuters


“Vou lutar pelas crianças e pela saúde dos meus compatriotas”, afirma Manny Pacquiao ao assinar a documentação necessária para concorrer a uma vaga no parlamento das Filipinas, seu país e no qual é tido como herói do povo.

“Pacman”, como é conhecido o atleta, visa uma carreira na vida pública e almeja o posto de presidente da nação. Havia anunciado essa transição após sua aposentadoria, mas agora pretende levar as duas ocupações simultaneamente. Além de já ter feito trabalhos como ator e se apresentar com o grupo musical MP Band, o pugilista é tido como o melhor da atualidade e conquistou cinturões em 7 diferentes categorias.

Entretanto, antes de vestir o terno e a gravata para enfrentar a burocracia e todo o jogo político do senado ele deverá encontrar com Floyd Mayweather Jr. em maio de 2010 num duelo que terá os dois melhores pugilistas da década.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Errata

Prezado leitor,

Conforme o colega Eliel, eu infelizmente cometi uma gafe e errei a data de falecimento do boxeador Juarez de Lima, um dos maiores talentos produzidos pelo nosso país. Em meu texto comentando o documentário sobre a história do boxe na ESPN escrevi que o atleta havia falecido em 1963, porém sua carreira foi até o ano de 1979 conforme o site Boxrec.

Peço humildes desculpas para todos envolvidos e principalmente para a família Lima.

Atenciosamente

Gabriel Leão

domingo, 29 de novembro de 2009

Rodada do Fim de Semana

Lucian Bute mantém cinturão super-médios da Federação Internacional de Boxe


Librado Andrade (dir.) x Lucian Bute (esq.) / Tom Casino - Showtime


Librado Andrade (28-3, 21 KO’s) tentou tirar o cinturão de super-médios de Lucian Bute (25-0, 19 KO’s) em outubro do ano passado e terminou derrotado por decisão unânime, alguns setores da imprensa e do público questionaram a decisão. Ontem, na cidade de Quebec, no Canadá, o romeno Bute manteve seu título da Federação Internacional de Boxe e afirmou sua superioridade sobre o mexicano Andrade com um sonoro nocaute no 4° assalto.

Bute preferiu jogar com o outfight, batendo e saindo do alcance do oponente, mostrando seu domínio ao público canadense. Aos 2m57s do 4° round uma esquerda bem colocada no queixo colocou Andrade estirado na lona terminando assim a revanche entre os dois rivais.

Caso Bute consiga se apresentar de forma tão impactante nos próximos combates será interessante vê-lo em ação contra o vencedor do torneio Super-Six que reúne Andre Ward, Arthur Abraham, Mikkel Kessler, Jermain Taylor, Andre Dirrell e Carl Froch buscando definir um “quem é quem” na categoria dos super-médios.


Lucian Bute - Herby Whyne Fightwire Images



Naito perde cinturão dos moscas do Conselho Mundial de Boxe

Koki Kameda (esq.) x Daisuke Naito / Reuters


Daisuke Naito (35-3-3, 22 KO’s) perdeu por decisão unânime o cinturão dos moscas versão Conselho Mundial de Boxe para Koki Kameda (22-0-0, 14 KO’s) no Japão, país de ambos atletas.

Os juízes apontaram 116-112 e um duplo 117-111 a favor do “Bad Boy” Kameda de 23 anos. Naito, 35, fazia sua sexta defesa. Conquistou o título ao bater o tailandês Pongsaklek Wonjongkam em 2007.


La Pantera bate Vanessa Guimarães por nocaute técnico e fica com título sul-americano

Conforme o site Boxrec a argentina Erica Anabella Farias (7-0-0, 3 KO’s), também conhecida como “La Pantera” bateu por nocaute técnico no 1° round a curitibana Vanessa Guimarães (7-2-0, 7 KO’s). Com a vitória lutando em casa, “La Pantera” fica com o título Sul-Americano dos penas.

sábado, 28 de novembro de 2009

Carlos Baldomir se aposenta com um nocaute técnico

Carlos Baldomir / Associated Press


Argentino já foi vendedor de espanadores e campeão mundial dos meio-médios

Antes do sucesso nos ringues Carlos Baldomir (45-12-6, 14 KO’s) vendia espanadores de porta em porta na cidade argentina de Santa Fe. Na noite de ontem sua carreira condecorada com o título mundial dos meio-médios versão Conselho Mundial de Boxe foi encerrada com uma vitória por nocaute técnico sobre Jairo Siris (19-15-1, 18 KO’s) frente aos seus vizinhos.

A vitória e a despedida foram ontem em sua Santa Fe e o público assistiu pela última vez o boxeador de 38 anos que já derrotou o falecido Arturo Gatti, Zab Judah, Joshua Clottey e dividiu o quadrilátero no passado com o também falecido Vernon Forrest e com Floyd Mayweather, considerado melhor lutador da década.

Superar Zab Judah foi o ponto mais alto de sua carreira. Em 7 de Janeiro de 2006 Baldomir era o desafiante obrigatório ao cinturão dos meio-médios CMB e o encontro foi sediado no Madison Square Garden em Nova Iorque, o palco é a Meca do boxe e foi sede de combates épicos como a primeira luta entre Muhammad Ali e Joe Frazier (1971).

A vitória de Baldomir veio por decisão unânime com as plaquetas apontando 115-113, 114-113 e 115-112, conforme os juízes que viram o latino pressionar o então campeão com suas mãos pesadas. Ao final da conquista Baldomir revelou que aquilo era um tributo a Carlos Monzon, seu conterrâneo e legendário pugilista.

O cinturão ficou com o ex-vendedor ambulante por quase 11 meses quando enfrentou Floyd Mayweather Jr. e viu seu título ir embora após uma vitória por decisão unânime em Las Vegas.

Carlos Baldomir após defender o título CMB meio-médio contra Arturo Gatti (2006) / Associated Press


Compacto Zab Judah (campeão meio-médio CMB) x Carlos Baldomir / 07/01/2006

Vanessa Guimarães e “La Pantera” disputam coroa sul-americana dos super-penas

A super-pena brasileira Vanessa Guimarães (7-1-0, 1 KO’s) encara hoje a super-leve Erica Farias (6-0, 2 KO’s) pelo título dos super-penas (58,9 kg) argentino da FAB (Federação Argentina de Boxe) conforme no site Boxrec, porém de acordo com a Liga Paulista o título é sul-americano. A luta será realizada hoje no ginásio Club Atletico Echague, na cidade do Paraná na Argentina.

“La Pantera” como é conhecida Farias tem apenas 4 meses de carreira profissional, mas sua equipe está confiante. Sua última vitória foi em outubro deste ano sobre Silvia Beatriz Lescano que já perdeu em duas oportunidades para Rosilete dos Santos. A curitibana Guimarães começou sua trajetória em 2007 e é uma pegadora com nocautes em todas suas vitórias, sua única derrota foi por decisão unânime.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Holyfield e Botha em janeiro de 2010

Evander Holyfield em sua melhor fase


Veterano continua sua saga no boxe


Evander Holyfield, que é considerado o melhor cruzador de todos os tempos e campeão dos pesados em 4 oportunidades não quer abandonar os ringues mesmo aos 47 anos e em 16 de janeiro de 2010 enfrentará o também veterano François Botha, 41, no Nelson Mandela Memorial Stadium, em Kampala, Uganda. Os organizadores esperam mais de 80 mil espectadores e anunciam como o maior evento esportivo já feito no país.

Apesar de contemporâneos os dois nunca dividiram o ringue. O sul-africano Botha dono de 47 vitórias, 28 nocautes, 4 derrotas e 3 empates não conseguiu derrotar nomes fortes do esporte e seus saldos negativos foram para Michael Moorer, Lennox Lewis, Wladimir Klitschko e Mike Tyson.

Evander Holyfield vem com 42 vitórias, 27 nocautes, 10 derrotas e 2 empates e agora luta para conquistar o recorde de campeão mundial mais velho da história – marca até hoje de George Foreman que conquistou a coroa aos 45 – e também enfrenta problemas com dívidas. No seu último combate em dezembro do ano passado encarou o gigante russo Nikolay Valuev pelo cinturão dos pesados versão Associação Mundial de boxe e sofreu uma derrota por decisão majoritária dos árbitros muito contestada por mídia e público.

Resultado Intercâmbio Brasil e Suécia

Thais Silva (vermelho) e Maja Stromberg / CBBoxe


A Confederação Brasileira de Boxe recebeu atletas da Suécia para um intercâmbio no boxe amador na última semana. Os representantes de ambos países treinaram juntos e se enfrentaram durante o final de semana no Clube Escola Santo Amaro, na capital paulista.

Confira os resultados:

Lutas do dia 19 (quinta-feira)

Feminino:

48kg Thais Silva (BRA) 5 x 0 Maja Stromberg (SUE)
54kg Clelia Marques (BRA) 5 x 0 Juliana Sodersderstrom (SUE)
64kg Annicka Wangberg (SUE) 4 x 1 Adriana Vieira (BRA)

Masculino:

60kg Allan Costa (BRA) 5 x 0 Caique Silva (BRA)
57kg Bashir Hassan (SUE) RSCI 3º x Jefferson Silva (BRA)
60kg Redouane Caja (SUE) 5 x 0 Didimo Nascimento (BRA)
64KG Roberto Custodio (BRA) 4 x 1 Ferdaws Sahar (SUE)
69KG David Lourenço (BRA) RSC3 x Siavash Saberian (SUE)
81KG Thiago Lima (BRA) 5 x 0 Oscar Ahlin (SUE)
91KG Rafael Lima (BRA) 4 x 1 Babacar Camera (SUE)

Lutas do dia 21 (Sábado)


Feminino:

48kg Thais Silva (BRA) 5 x Maja Stromberg (SUE)
54kg Clelia Marques (BRA) 5 x 0 Juliana Sodersderstrom (SUE)
64kg Annicka Wangberg (SUE) 4 x 1 Adriana Vieira (BRA)

Masculino:

54kg Jean Carvalho (BRA) 4 x 1 Niklas Helgesson (SUE)
57kg Josè Carlos Brito (BRA) 5 x 0 Bashir Hassan (SUE)
60kg Redouane Caja (SUE) 3 x 2 Didimo Nascimento (BRA)
64kg Everton Lopes (BRA) RSC1 x Ferdaws Sahar (SUE)
81kg Yamaguchi Florentino (BRA) 5 x 0 Oscar Ahlin (SUE)
81kg Rafael Lima (BRA) 5 x 0 Babacar Camara (SUE)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Furacão aumenta ritmo de treinos com Urango nos E.U.A

Texto Assessoria de Imprensa


Com previsão de lutar até a primeira metade de dezembro, o peso pena (57,1k) Carlos “Furacão” Oliveira (25-1-0, 19 KOs) vem acelerando os treinamentos na cidade de Hollywood, Flórida, Estados Unidos. O atleta já está a mais de um mês em terras americanas e aguarda a definição de seus managers para saber com quem e onde subirá novamente ao ringue.

“Esse período tem sido excelente. Estou adaptado à temperatura, ao fuso horário e, principalmente, aos métodos de treinos desenvolvidos por aqui”, comemora Furacão Oliveira. Um de seus parceiros rotineiros tem sido o campeão mundial FIB dos superleves (63,5k) Juan Urango, da Colômbia.

Classificado em 11º da AMB e 12º da OMB, Carlos Oliveira espera que seus agentes consigam promover um título internacional no mês que vem para que possa alcançar posições ainda melhores. "Confio no planejamento que meus managers têm apresentado", diz o brasileiro. Dono do cetro AMB Fedebol, o atleta também já ostentou a coroa latina OMB e acumula três triunfos seguidos sobre rivais estrangeiros.

Carlinhos Furacão / Divulgação

domingo, 22 de novembro de 2009

Ward surpreende Kessler

Mikkel Kessler x Andre Ward (dir.) / Associated Press


Americano bate dinamarquês por decisão técnica no Super Six.


“Neste momento estou sonhando” afirmou na noite de ontem um realizado Andre Ward (21-0, 13 KO’s) que estreou com uma vitória no torneio Super Six ao bater o dinamarquês Mikkel Kessler (42-2, 32 KO’s) e tirar-lhe o cinturão de super-campeão dos super-médios da Associação Mundial de Boxe nos E.U.A – seu país – em frente a uma platéia que o apoiou do início ao fim.

Kessler, o “Guerreiro Viking” foi campeão por aproximadamente 5 anos e era tido como favorito ao torneio que visa descobrir quem é o melhor da atualidade na categoria, mas a decisão técnica favorecendo o medalhista de ouro das Olimpíadas de 2004 mostra que no ringue muita coisa pode acontecer. “Eu nem sei o que estou sentindo, não posso comparar com a conquista da medalha de ouro, porque vai levar mais tempo pra ficha cair... Todos disseram que dei azar em tê-lo como primeiro adversário, mas nós (equipe) derrotamos o cara mais durão”, comemorou Ward ao lado de seu técnico Virgil Hunter.

A velocidade, disciplina e ritmo de Ward foram tão eficientes que ao termino do combate Kessler tinha seu rosto sangrando como uma vítima de Jason (Sexta-Feira 13), mas o europeu afirma que foi golpeado também com cotovelos e cabeçadas. O médico paralisou a luta no meio do 11° assaltou ao ver o corte no rosto de Kessler fruto de um choque de cabeças aumentar.

“Ele foi melhor hoje, mas eu gostaria de lutar por mais um minuto. Eu sei que poderia ter continuado, sofri um corte, mas não foi tão grave. Ele atacou muito com os cotovelos e deu muitas cabeçadas e não foi punido em nenhuma oportunidade. Não vou ficar me lamentando, mas não estou feliz com a arbitragem”, pontuou o derrotado Kessler.

A decisão técnica de interromper o combate o fez ser definido pelas plaquetas. O jurado Mikael Hook da Suécia apontou Ward com 97-93, o sul-africano Stanley Christodoulou e o americano Steve Morrow marcaram 98-92.

O torneio Super Six tem como líder o alemão “King” Arthur Abraham com 3 pontos (2 pela vitória e 1 pelo nocaute sobre Jermain Taylor), o inglês Carl Froch aparece em 2° com 2 pontos (derrotou Andre Dirrell), empatado com o britânico vem Andre Ward, e na quarta colocação aparecem os derrotados na primeira fase Mikkel Kessler, Andre Dirrell e Jermain Taylor.

Erdei bate Fragomeni e fica com coroa dos cruzadores CMB

Zsolt Erdei x Giacobbe Fragomeni - Eroll Popova


O húngaro Zsolt Erdei (31-0, 17 KO’s) conquistou a coroa dos cruzadores versão Conselho Mundial de Boxe no sábado por decisão majoritária em Kiel, na Alemanha, ao bater o italiano Giacobbe Fragomeni (26-2-1, 10 KO’s) pela pontuação de 115-113 (duplo) e 114-114.

Erdei controlou os 3 primeiros rounds com sua velocidade e aplicou fortes golpes com a direita na cabeça do rival, porém sua sorte mudou no meio da luta quando o ex-campeão aumentou o ritmo e começou a cansá-lo. “Após o 3° assalto achei que iria ganhar fácil, mas ele aumentou a pressão e eu comecei a me preocupar com meu condicionamento”, declarou o húngaro.

Nos assaltos 11 e 12 a apresentação parecia uma briga, com ambos de guarda baixa trocando golpes e esquecendo a técnica. Apesar de uma sequência do italiano no final, os árbitros deram a vitória ao desafiante que contra-atacava mais.

Fragomeni até então havia perdido apenas para o inglês David Haye, na época cruzador e hoje campeão dos peso-pesados pela AMB. Erdei que abdicou do cinturão dos meio-pesados da OMB, derrotou no passado em duas oportunidades o argentino Hugo Hernan Garay.

Rosilete bate Lescano pela 2ª vez no mesmo ano

Rosilete dos Santos / Revista Up


Rosilete dos Santos (18-4, 11 KO’s) bateu pela 2ª vez a argentina (Silvia Beatriz Lescano (7-5, 5 KO’s) ontem no ginásio Moringão, em Londrina, Paraná por pontos em uma luta considerada “difícil” por seu técnico e esposo Macaris do Livramento.

Rosilete já tinha derrotado Silvia Beatriz Lescano em julho deste ano por decisão unânime dos jurados. A ex-bóia fria paranaense é detentora do cinturão dos galos versão Comissão Mundial de Boxe – título de 2ª grandeza – desde setembro do ano passado. Em outubro de 2008 perdeu a disputa pela coroa mundial dos super-moscas versão interina da Associação Mundial de Boxe para a argentina Carolina Marcela Gutierrez Gaite.

Macaris garante que Rosilete voltará a disputar cinturões mundiais em 2011 quando defenderá sua coroa. Conforme o site BoxRec Rosilete é a melhor peso galo do Brasil em atividade e a 6° na classificação mundial.

sábado, 21 de novembro de 2009

Kessler e Ward fazem última luta do Super-Six em 2009

Kessler (esq.) x Ward / Tom Casino - Showtime


Mikkel Kessler (42-1, 32 KO’s) defende seu cinturão de super-campeão dos super-médios da Associação Mundial de Boxe contra Andre Ward (20-0, 13 KO’s). A luta será realizada na noite de hoje no Oracle Arena, em Oakland, nos E.U.A e serve como etapa do torneio Super Six elaborado para definir quem é o melhor super-médio da atualidade. No início da rodada Arthur Abraham nocauteou e mandou para o hospital Jermain Taylor, enquanto, Carl Froch bateu por pontos Andre Dirrell.

“Vim para Oakland e estou 150% preparado para a luta. Tive uma boa preparação e estou numa forma inacreditável para esse combate. Meu treinador disse que nunca me viu tão em forma quanto estou agora”, declarou Kessler, o “Guerreiro Viking” em coletiva de imprensa.

“Chegou a minha hora. Sei o que tenho no tanque e do que sou capaz. Estou muito animado, pois treinei para um título mundial por muitos e muitos anos. Na minha lista, primeiro estava a conquista da medalha de ouro, e depois, um título mundial. Me preparo para esse momento desde meus 9 anos de idade, e estou pronto”, afirmou o americano Ward em resposta ao seu rival da Dinamarca.

O alemão “King” Arthur Abraham lidera a tabela com 3 pontos – 2 pela vitória, e 1 pelo nocaute –, em 2° aparece o britânico Froch com 2 pontos pela vitória. Os americanos Taylor e Dirrell aparecem empatados na 3° colocação com zero pontos. Após a rodada inicial haverá mais duas e os 4 melhores seguem para as semifinais.


Pesagem Kessler x Ward

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Brasil x Suécia amanhã

Neste sábado dia 21, a Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) promove um encontro entre Brasil e Suécia no clube escola de Santo Amaro na capital paulista. Conforme o site da agremiação o intercâmbio surgiu após o crescimento do país no pugilismo amador e já foram realizados combates ontem.

Confira a programação de sábado (21):

Masculino:

54kg Jean Carvalho (BRA) x Niklas Helgesson (SUE)
57kg Josè Carlos Brito (BRA) x Bashir Hassan (SUE)
60kg Everton Lopes (BRA) x Redouane Caja (SUE)
64kg Myke Carvalho (BRA) x Ferdaws Sahar (SUE)
69kg Esquiva Florentino (BRA) x Siavashsaberian (SUE)
81kg Yamaguchi Florentino (BRA) x Oscar Ahlin (SUE)
81kg Thiago Lima (BRA) x Babacar Camara (SUE)

Feminino:

48kg Thais Silva (BRA) x Maja Stromberg (SUE)
54kg Clelia Marques (BRA) x Juliana Sodersderstrom (SUE)
64kg Adriana Vieira (BRA) x Annicka Wangberg (SUE)

Morre Ezau Teixeira

Lutador enfrentou Servílio de Oliveira no início de carreira profissional


Ezau Teixeira faleceu na tarde de ontem na capital paulista após sofrer complicações cardíacas, o ex-pugilista passou por uma cirurgia há 2 meses e estava na UTI. Teixeira tinha um cartel profissional com nenhuma vitória e 2 derrotas, sendo a primeira obtida na segunda luta profissional do medalha de bronze nos Jogos do México em 1968, Servílio de Oliveira.

Sobre a luta Teixeira acreditava ter sido uma grande honra ter enfrentado o único medalhista olímpico do boxe brasileiro. Nos tempos que subia no quadrilátero integrou a equipe amadora de Wilson Russo e participou de muitos combates na década de 1960 tendo como maior rival o pernambucano Heleno Ferreira.

O velório e sepultamento de Ezau Teixeira será na manhã de sábado dia 21 no cemitério da Paz, em Diadema, na grande São Paulo. Conforme Reinaldo Carrera no site da Liga Paulista de Boxe um dos sonhos de Teixeira era reencontrar Servilio de Oliveira.